terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Por que fiz eu dos sonhos a minha única vida?

 
Contemplo o Lago Mudo
Que uma brisa estremece.
Não sei se penso em tudo
Ou se tudo me esquece.

O lago nada me diz,
Não sinto a brisa mexê-lo
Não sei se sou feliz
Nem se desejo sê-lo. 

Trémulos vincos risonhos
Na água adormecida.
Por que fiz eu dos sonhos
A minha única vida?

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"




"a música mais relaxante de sempre"

Boa semana!

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

sem palavras


perdi a inspiração
fiquei sem palavras

esgotei-as nos dias sem futuro
sufoquei-as nas noites de insónia

 procuro-as desesperadamente
noutras bocas
 noutros olhares 
noutros lugares

e quando as encontro
partilho-as 
renovando a esperança
de um dia

voltar a escrever

voltar a pintar

voltar a falar

.







quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

OXALÁ


"
"Esconder é fácil, difícil é deixar de sentir. O tempo ameniza, mas não cura. A novidade preenche, mas não substitui."
Martha Medeiros

 

Oxalá

Madredeus


Oxalá, me passe a dor de cabeça, oxalá
Oxalá, o passo não me esmoreça;

Oxalá, o Carnaval aconteça, oxalá,
Oxalá, o povo nunca se esqueça;

Oxalá, eu não ande sem cuidado,
Oxalá eu não passe um mau bocado;
Oxalá, eu não faça tudo à pressa,
Oxalá, meu Futuro aconteça

Oxalá, que a vida me corra bem, oxalá
Oxalá, que a tua vida também;

Oxalá, o Carnaval aconteça, oxalá
Oxalá, o povo nunca se esqueça;

Oxalá, o tempo passe, hora a hora,
Oxalá, que ninguém se vá embora,
Oxalá, se aproxime o Carnaval,
Oxalá, tudo corra, menos mal


segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

VAMOS !

Não caminhes atrás de mim, posso não te guiar. 

Não andes na minha frente, posso não te seguir.

Simplesmente caminha ao meu lado e sê meu amigo.


 Albert Camus

domingo, 20 de janeiro de 2013

Ah! Se eu pudesse entender o que dizem os teus olhos...

Gosto de olhos!
Gosto de olhar!
Com um olhar terno.
Com um olhar que abraça e acaricia.

Tanto que os olhos podem ser, dizer, fazer ...
Gosto de olhar!
Gosto do olhar!
Gosto!




sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

há um mar...



... de dor dentro de mim
                                       quase negro, quase fim
                                                                                  quando o mar me arrasta assim...


 

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Felizmente há luar !

«Há Homens que obrigam todos os outros Homens a reverem-se por dentro.»

 Luís de Sttau Monteiro
@

Ensina-se-lhes que sejam valentes, para um dia virem a ser julgados por covardes!
Ensina-se-lhes que sejam justos, para viverem num mundo em que reina a injustiça!
Ensina-se-lhes que sejam leais, para que a lealdade, um dia, os leve à forca!
(Levanta-se)
Não seria mais humano, mais honesto, ensiná-los, de pequeninos, a viverem em paz com a hipocrisia do mundo?
Quem é mais feliz: o que luta por uma vida digna e acaba na forca, ou o que vive em paz com a sua inconsciência e acaba respeitado por todos?"
(...)
Se o meu filho fosse vivo, havia de fazer dele um homem de bem, desses que vão ao teatro e a tudo assistem, com sorrisos alarves, fingindo nada terem a ver com o que se passa em cena!
(Pausa)
Havia de lhe ensinar a mentir, a cuidar mais do fato que da consciência e da bolsa do que da alma.
(Abre uma gaveta da cómoda e tira dela um uniforme velho de Gomes Freire)
Se o meu filho fosse vivo... Havia de morrer de velhice e de gordura, com a consciência tranquila e o peito a abarrotar de medalhas!
(Coloca o uniforme de Gomes Freire sobre a cadeira)
Tudo isso o meu homem poderia ter tido...
(Acaricia o uniforme)
Se tivesse sido menos homem..."

luís de sttau monteiro


domingo, 13 de janeiro de 2013

TORTURA

TORTURA

Tirar dentro do peito a Emoção,
A lúcida Verdade, o Sentimento!
- E ser, depois de vir do coração,
Um punhado de cinza esparso ao vento!...

Sonhar um verso de alto pensamento,
E puro como um ritmo de oração!
- E ser, depois de vir do coração,
O pó, o nada, o sonho dum momento...

São assim ocos, rudes, os meus versos:
Rimas perdidas, vendavais dispersos,
Com que eu iludo os outros, com que minto!

Quem me dera encontrar o verso puro,
O verso altivo e forte, estranho e duro,
Que dissesse, a chorar, isto que sinto!

Florbela Espanca


Boa semana 
beijinhos

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

- Canta-me uma canção de amor !

Ela pediu-lhe entre longos e doces pestanejares.


E ele...cantou !





 ilustrações de Sonja Wimmer.



«O verdadeiro amor nunca se desgasta. Quanto mais se dá mais se tem.»
Antoine de Saint-Exupéry

Desejo-vos um excelente fim de semana!
 

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Não basta abrir a janela


Não basta abrir a janela
Para ver os campos e o rio.
Não é bastante não ser cego
Para ver as árvores e as flores.
É preciso também não ter filosofia nenhuma. 
Com filosofia não há árvores: há idéias apenas.
Há só cada um de nós, como uma cave.
Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora;
E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse,
Que nunca é o que se vê quando se abre a janela.

Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos"

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Encantei-me.

links da Fê
«Os cisnes são animais monogâmicos, isto é, formam casais que vivem juntos a vida toda. As ninhadas variam de quatro até dez ovos, dependendo da espécie. O casal costuma cuidar dos filhotes desde quando nascem até se tornarem jovens.»


Me Encante

Me encante da maneira que você quiser, como você souber.
Me encante, para que eu possa me dar...

Me encante nos mínimos detalhes.
Saiba me sorrir: aquele sorriso malicioso,
Gostoso, inocente e carente.

Me encante com suas mãos,
Gesticule quando for preciso.
Me toque, quero correr esse risco.

Me acarinhe se quiser...
Vou fingir que não entendo,
Que nem queria esse momento.

Me encante com seus olhos...
Me olhe profundo, mas só por um segundo.
Depois desvie o seu olhar.
Como se o meu olhar,
Não tivesse conseguido te encantar...

E então, volte a me fitar.
Tão profundamente, que eu fique perdido.
Sem saber o que falar...

Me encante com suas palavras...
Me fale dos seus sonhos, dos seus prazeres.
Me conte segredos, sem medos,
E depois me diga o quanto te encantei.

Me encante com serenidade...
Mas não se esqueça também,
Que tem que ser com simplicidade,
Não pode haver maldade.

Me encante com uma certa calma,
Sem pressa. Tente entender a minha alma.

Me encante como você fez com o seu primeiro namorado...
Sem subterfúgios, sem cálculos, sem dúvidas, com certeza.

Me encante na calada da madrugada,
Na luz do sol ou em baixo da chuva....

Me encante sem dizer nada, ou até dizendo tudo.
Sorrindo ou chorando. Triste ou alegre...
Mas, me encante de verdade, com vontade...

Que depois, eu te confesso que me apaixonei,
E prometo te encantar por todos os dias...
Pelo resto das nossas vidas!!!

( Pablo Neruda )




{Apesar dos pesares,  a música e a poesia ainda me encantam.}
 

domingo, 6 de janeiro de 2013

De volta pra casa

"Amadurecer talvez seja descobrir que sofrer algumas perdas é inevitável,

 mas que não precisamos nos agarrar à dor para justificar nossa existência."

Martha Medeiros

Apreciem!


As imagens são recortes de uma série de reportagens produzida pela BBC de Londres e apresentada pela rede Globo.
 A musica é de Yanni- Face in the photograph e o texto de Flávio Sequeira.

BOA SEMANA!

beijinho



quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

"Às vezes uma vida vale um instante."

pintura de Renata Brzozowska
há quase que um êxtase místico  no compasso
 em que o pé se levanta voluptuosamente do chão
 um dia
 hei-de descalçar a timidez
derrubar as paredes do meu corpo
e mergulhar na noite enquanto cheira a céu estrelado
.





"Às vezes uma vida vale um instante."

(Perfume de Mulher)


BOM FIM DE SEMANA!







terça-feira, 1 de janeiro de 2013

EU ACREDITO ! E TU ?

Neste meu primeiro post de 2013 celebro a AMIZADE . 

 


“O Crisóstomo disse ao Camilo: todos nascemos filhos de mil pais e de mais mil mães, e a solidão é sobretudo a incapacidade de ver qualquer pessoa como nos pertencendo, para que nos pertença de verdade e se gere um cuidado mútuo. Como se os nossos mil pais e mais as nossas mil mães coincidissem em parte, como se fôssemos por aí irmãos, irmãos uns dos outros. Somos o resultado de tanta gente, de tanta história, tão grandes sonhos que vão passando de pessoa a pessoa, que nunca estaremos sós.”

Em O filho de mil homens (o melhor livro que li no ano passado) todas as personagens começam assim, cercadas de solidão. Porém, a cada página elas vão-se entrelaçando e encontrando umas nas outras o fio da sua própria meada. E as ilhas que no início eram gente, vão-se juntando até formarem um continente.




 MEUS AMIGOS E AMIGAS

BEM-VINDO 2013 !