quinta-feira, 30 de maio de 2013

Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar! *

Sede como os pássaros que, ao pousarem um instante sobre ramos muito leves, 
sentem-nos ceder, mas cantam!  Eles sabem que possuem asas.
Victor Hugo



.
* Florbela Espanca

BOM FIM DE SEMANA
beijinhos

terça-feira, 28 de maio de 2013

Amou daquela vez como se fosse a última...


Amou daquela vez como se fosse a última
Beijou sua mulher como se fosse a última
E cada filho seu como se fosse o único
E atravessou a rua com seu passo tímido
Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima
Sentou pra descansar como se fosse sábado
Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
Danou e gargalhou como se ouvisse música
E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
E flutuou no ar como se fosse um pássaro
E se acabou no chão feito um pacote flácido
Agonizou no meio do passeio público
Morreu na contra-mão atrapalhando o tráfego

Amou daquela vez como se fosse o último
Beijou sua mulher como se fosse a única
E cada filho seu como se fosse o pródigo
E atravessou a rua com seu passo bêbado
Subiu a construo como se fosse sólido
Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo com tijolo num desenho lógico
Seus olhos embotados de cimento e tráfego
Sentou pra descansar como se fosse um príncipe
Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo
Bebeu e soluçou como se fosse máquina
Danou e gargalhou como se fosse o próximo
E tropeçou no céu como se ouvisse música
E flutuou no ar como se fosse sábado
E se acabou no chão feito um pacote tímido
Agonizou no meio do passeio náufrago
Morreu na contra-mão atrapalhando o público

Amou daquela vez como se fosse máquina
Beijou sua mulher como se fosse lógico
Ergueu no patamar quatro paredes flácidas
Sentou pra descansar como se fosse um pássaro
E flutuou no ar como se fosse um príncipe
E se acabou no chão feito um pacote bêbado
Morreu na contra-mão atrapalhando o sábado



Construção


Chico Buarque

*
Adoro a voz de Cristina Branco !
Quando ouvi esta versão pela primeira vez, arrepiei-me.





sábado, 25 de maio de 2013

Os pássaros que foram engaiolados, poderão ainda voar?


Esmeralda:

Os pássaros que foram engaiolados
poderão ainda voar?
As crianças que foram molestadas
  poderão ainda amar?
Eu era como uma andorinha
chegava com a primavera
  corria pelas ruelas
  cantando canções ciganas.
Onde estás, tocador de sinos?
Onde estás, meu Quasímodo?
Vem me salvar da corda.
Vem me salvar destas barras.

Quasimodo:

Onde estás, minha Esmeralda?
Onde te escondes de mim?
Já faz três dias
  que por aqui não te vemos.
Terás partido em viagem
com o teu belo capitão?
Sem noivado, sem casamento
como é a moda dos pagões.
Terás morrido talvez
sem oração e sem coroa?
Não permitas jamais que um padre
se aproxime de ti.

Esmeralda:

Recordas-te de um dia na feira...

Quasimodo:

Quando me amarraram na corda.

Esmeralda:

Quando te dei água para beber.

Quasimodo:

Eu tombei sobre os joelhos

Os dois:

Este é o dia em que nos tornamos
amigos por toda a vida até à morte.
Há algo que se passa entre nós
qualquer coisa de muito forte.
Os pássaros que foram engaiolados
Poderão ainda voar?
As crianças que foram molestadas
  Poderão ainda amar?



Bom fim de semana
beijinho


sexta-feira, 24 de maio de 2013

Pourqoui Mon Dieu ?

Georges Moustaki (Alexandria, 3 de maio de 1934 - Nice, 23 de maio de 2013


Pourquoi mon Dieu ?


Georges Moustaki

Oh toi qui sais combien mon Dieu c'est fragile un amour
Pourquoi l'avoir laissé mourir sans lui porter secours
C'était un fleuve ivre de vie
Mais la source s'est tarie
Oh mon Dieu pourquoi mon Dieu
Il n'y a plus que l'amertume
Dans mon cœur qui se consume
Oh mon Dieu pourquoi mon Dieu
Qu'adviendra-t-il de moi mon Dieu
Qu'adviendra-t-il de moi de nous
On peut sourire on peut souffrir
On peut mourir d'un souvenir
Pourquoi mon Dieu pourquoi mon Dieu
Oh toi qui sais combien mon Dieu c'est fragile un amour
Pourquoi l'avoir laissé brûler au soleil de mes jours
Il n'y a plus que son ombre
Portant le chagrin du monde
Oh mon Dieu pourquoi mon Dieu
Je n'ose même plus attendre
Qu'il renaisse de ses cendres
Oh mon Dieu pourquoi mon Dieu
Qu'adviendra-t-il de moi mon Dieu
Qu'adviendra-t-il de moi de nous
On peut sourire on peut souffrir
On peut mourir d'un souvenir
Pourquoi mon Dieu pourquoi mon Dieu


Pourquoi mon Dieu...

terça-feira, 21 de maio de 2013

«Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém que o que mais queremos é tirar essa pessoa dos nossos sonhos e abraçá-la...»



A foto em cima, captada por um fotógrafo iraquiano, mostra-nos uma menina que perdeu a mãe na guerra.
Ela desenhou o perfil da mãe com giz no pátio do orfanato, aconchegou-se no ventre materno que ainda existe nos seus sonhos e adormece (deixando de fora as sandálias, como é tradição de muitas culturas no oriente, quando entram num espaço sagrado).


citação do título de Clarice Lispector

sexta-feira, 17 de maio de 2013

[em caso de dor, ponha gelo, mude o corte de cabelo ]



Em caso de dor, ponha gelo
Mude o corte do cabelo
Mude como modelo
Vá ao cinema, dê um sorriso
Ainda que amarelo
Esqueça seu cotovelo
Se amargo for já ter sido
Troque já este vestido
Troque o padrão do tecido
Saia do sério, deixe os critérios
Siga todos os sentidos
Faça fazer sentido
A cada milágrimas sai um milagre
Em caso de tristeza vire a mesa
Coma só a sobremesa
Coma somente a cereja
Jogue para cima, faça cena
Cante as rimas de um poema
Sofra apenas, viva apenas
Sendo só fissura, ou loucura
Quem sabe casando cura
Ninguém sabe o que procura
Faça uma novena, reze um terço
Caia fora do contexto, invente seu endereço
A cada milágrimas sai um milagre
Mas se apesar de banal
Chorar for inevitável
Sinta o gosto do sal
Sinta o gosto do sal
Gota a gota, uma a uma
Duas, três, dez, cem mil lágrimas, sinta o milagre
A cada milágrimas sai um milagre


Alice Ruiz





BOM FIM DE SEMANA
Beijinho

quarta-feira, 15 de maio de 2013

QUERO...

Amour
(by Gianfranco Meloni)
a ternura do teu olhar
o conforto do teu ombro
a certeza do teu abraço
 e o aperto da tua mão
quando já não querer mais nada
.



Por mais que a vida nos agarre assim
Nos troque planos sem sequer pedir
Sem perguntar a que é que tem direito
Sem lhe importar o que nos faz sentir

Eu sei que ainda somos imortais
Se nos olhamos tão fundo de frente
Se o meu caminho for por onde vais
A encher de luz os meus lugares ausentes

É que eu quero-te tanto
Não saberia não te ter
É que eu quero-te tanto
É sempre mais do que eu te sei dizer
Mil vezes mais do que eu te sei dizer

Por mais que a vida nos agarre assim
Nos dê em troca do que nos roubou
Às vezes fogo e mar, loucura e chão
Ás vezes só a cinza que sobrou

Eu sei que ainda somos muito mais
Se nos olhamos tão fundo de frente
Se a minha vida for por onde vais
A encher de luz os meus lugares ausentes

É que eu quero-te tanto
Não saberia não te ter
É que eu quero-te tanto
É sempre mais do que eu te sei dizer
Mil vezes mais do que eu te sei dizer

Mafalda Veiga

.



segunda-feira, 13 de maio de 2013

namorado de tricot :)

É SÓ TER JEITO
E SAI UM NAMORADO PERFEITO
PARA COLOCAR NO LEITO. :)

MY KNITTED BOYFRIEND from Noortje de Keijzer on Vimeo.


BOA SEMANA!
Li um dia, não sei onde,
Que em todos os namorados
 Uns amam muito, e os outros
 Contentam-se em ser amados

 Fico a cismar pensativa
 Neste mistério encantado...
 Diga pra mim: de nós dois
 Quem ama e quem é amado?...

 Florbela Espanca

sexta-feira, 10 de maio de 2013

{ o teu rosto }

♥ muito mais que cinco minutos !


o rosto dos que passam sem serem vistos

o rosto dos que oferecem um sorriso

o rosto dos que vimos todos os dias

o rosto dos que não conhecemos

o rosto das vozes que escutamos

o rosto das palavras que perturbam

o rosto familiar sem o ser

o rosto das sombras e do imaginado

o rosto dos afectos e da solidão

um rosto, mil rosto, um só rosto

o teu rosto

.

o meu rosto


OBRIGADA !



BOM FIM DE SEMANA!

beijinho



terça-feira, 7 de maio de 2013

adormeci...

... e não quero que me acordem.





Eu estava dormindo e me acordaram
E me encontrei, assim, num mundo estranho e louco...
E quando eu começava a compreendê-lo
Um pouco,
Já eram horas de dormir de novo!

Mario Quintana

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Que é voar?

Amanda Cass . 







Que é voar?

É só subir no ar,

levantar da terra o corpo, os pés?

Isso é que é voar?

Não.



Voar é libertar-me,

é parar no espaço inconsistente

é ser livre, leve, independente

é ter alma separada de toda a existência

é não viver senão em não-vivência.



É isso voar?

Não.



Voar é humano

é transitório, momentâneo.



Aquele que voa tem de poisar em algum lugar

isso é partir

e não voltar.



Ana Hatherly

Desejo-vos uma excelente semana.

domingo, 5 de maio de 2013

Obrigada mãe!

Se amar é dar-se, tudo deste-me tudo mãe !

 
abraço-a todos os dias





 ♡

Para quem já não pode abraçar a sua mãe, dedico este poema de uma amiga de longa data.
Escreveu-o um ano antes da mãe falecer, depois de cerca de 20 anos com Alzheimer.


MÃE

Nem lembro já o teu sorriso
Mãe.
ficou guardado num retrato antigo,
num velho álbum de fotografias.

Nem lembro já a tua voz,
também,
passeando pela casa antigas melodias.

Perdeu-se já no tempo
o eco dos teus passos
e a cor e o sabor
dos teus abraços.

Restou apenas um corpo anquilosado,
e um olhar ausente
e quase sempre fugidio,
onde se espelha a dor,
o medo e o espanto
e que dói Tanto.



Maria Adelaide Braz
09.09.2010