segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Dor


Passa-se um dia e outro dia 
À espera que passe a Dor, 
E a Dor não passa, e porfia, 
Porque trás dia, outro dia 
Que traz Dor inda maior; 

Porque embora a Dor aflita 
Calasse há muito seus ais, 
Ainda, fundo, palpita 
Uma outra Dor que não grita: 
A Dor do que não dói mais.


Francisco Bugalho, in "Dispersos e Inéditos"




segunda-feira, 14 de outubro de 2013

" UM CONTO" para reflectir.




Sombrio e tocante a curta metragem "Un Conte", aborda a violência em família usando o ponto de vista de uma criança. O filme de animação em 2D foi dirigido por Guilherme Arantes  e é um projecto de graduação da prestigiada escola de animação Gobelins.

*

« Um covarde é incapaz de demonstrar amor. Isso é privilégio dos corajosos. »
Mahatma Gandhi





domingo, 13 de outubro de 2013

BOA SEMANA !

Haverá melhor companhia que música e poesia ? 


Sorriso audível das folhas 
Não és mais que a brisa ali 
Se eu te olho e tu me olhas, 
Quem primeiro é que sorri? 
O primeiro a sorrir ri.

Ri e olha de repente 
Para fins de não olhar 
Para onde nas folhas sente 
O som do vento a passar 
Tudo é vento e disfarçar.

Mas o olhar, de estar olhando 
Onde não olha, voltou 
E estamos os dois falando 
O que se não conversou 
Isto acaba ou começou? 

Fernando Pessoa


sexta-feira, 11 de outubro de 2013

"O medo mora comigo"



Quem dorme à noite comigo,
É meu segredo.
Mas se insistirem lhes digo:
O medo mora comigo
Mas só o medo...

E cedo, porque me embala,
No vai-e-vem da solidão,
É com o silêncio que fala.
Com voz que move onde estala
E nos perturba a razão

Gritar, quem pode salvar-me?
Do que está dentro de mim?
Gostava até de matar-me
Mas eu sei que ele há de esperar-me
Ao pé da ponte, do fim.

Amália Rodrigues







Júlio Resende é já um dos grandes pianistas portugueses da actualidade. Resende começou a tocar aos 4 anos e tem formação clássica, mas cedo descobriu que não ficava satisfeito em ser intérprete de temas onde não pudesse improvisar.
Este disco é um novo desafio: trazer o Fado ao piano. Cantar as melodias com o piano, em vez de as acompanhar apenas. Com o piano exprimir tudo o que o Fado significa. Afirma Júlio Resende que “todos os pianistas têm o sonho de realizar um disco a solo. Eu queria fazer o disco a solo mais pessoal possível. Entendo a palavra “solo” como algo que tem a ver com terra, com raízes, com o chão que pisas, que habitas. Entre as minhas memórias musicais mais antigas está a voz da Amália a cantar “A Casa Portuguesa!” ou o avassalador “Estranha Forma de Vida” e ela serve de símbolo para esta viagem musical.”
Assim chegou ao disco que se prepara para editar em breve – Amália Por Júlio Resende. Uma obra onde revisita, apenas com o piano, alguns dos mais marcantes fados interpretados pela maior diva da música Portuguesa, Amália.
O resultado é um disco onde a tradição e modernidade convivem em harmonia, onde o património é preservado pela inovação.


Para além das fantásticas interpretações ao Piano, Júlio conseguiu o feito de ressuscitar Amália, que graças às novas tecnologias dá a sua voz ao Fado Medo.

BOM FIM DE SEMANA !



segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Carta para o meu Filho






Meu Filho:


Estou a escrever-te pois temo que estejas a perder o encanto pela vida. Sinto isso sempre que vejo os teus lindos olhos ausentes, com menos brilho.
Desde criança que sempre acreditaste nas minhas palavras, pois elas são de amor profundo, peço-te, acredita nelas de novo.
Lembras-te...quando duvidavas de ti e eu sabia que ias vencer.
Lembras-te...quando tinhas medo e eu dizia que eras o mais forte.
Quando tinhas quatro anos lembras-te ... recebeste uma medalha que dizia "EU NÃO CHOREI" porque te portaste com valentia quando a analista te tirou sangue pela primeira vez.
Tantos e tantos momentos de cumplicidade que passámos juntos e tantos que ainda vamos celebrar.
Por tudo isto, ouve-me e acredita uma vez mais !
Não desistas, segue o teu rumo, continua o caminho que com tanto empenho alcançaste, tem esperança no futuro. E se o futuro passa por deixares este país que não te dá valor, sai e luta pelo lugar a que tens direito.
Tu sabes que eu só quero ver-te feliz, e tenho e terei sempre muito orgulho em ti .

 Da tua mãe que te adora

domingo, 6 de outubro de 2013

"Deixa-me dizer o que eu tenho...

e ninguém me vai tirar
 a menos que eu queira


"Deixa-me dizer o que eu tenho
 E ninguém me vai tirar
A menos que eu queira:

 Tenho meu cabelo, minha cabeça
 Meu cérebro, meus ouvidos
 Meus olhos, meu nariz 
E a minha boca - tenho meu sorriso
 Minha língua, meu queixo 
Meu pescoço, meus seios 
Meu coração, minha alma
 Minhas costas
 E meu sexo 
 Tenho meus braços, minhas mãos
 Meus dedos, minhas pernas
 Meus pés, dedos dos pés
 E o meu fígado
 Tenho o meu sangue
 Eu tenho vida - eu tenho vidas
 Tenho dores de cabeça e dores de dentes
 E momentos ruins como tu tens
 Eu tenho liberdade
 E tenho vida"

Nina Simone - Ain't Got No...I've Got Life



 *
BOA SEMANA!

sábado, 5 de outubro de 2013

'Viagens na minha Terra'




«... E eu pergunto aos economistas políticos, aos moralistas, se já calcularam o número de indivíduos que é forçoso condenar a miséria, ao trabalho desproporcionado, à desmoralização, à infâmia, à ignorância crapulosa, à desgraça invencível, à penúria absoluta, para produzir um rico?
 - Que lho digam no Parlamento inglês, onde, depois de tantas comissões de inquérito, já devia andar orçado o número de almas que é preciso vender ao diabo, número de corpos que se tem de entregar antes do tempo ao cemitério para fazer um tecelão rico e fidalgo como Sir Roberto Peel, um mineiro, um banqueiro, um granjeeiro, seja o que for: cada homem rico, abastado, custa centos de infelizes, de miseráveis. »

Almeida Garrett, in 'Viagens na minha Terra'

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Para mim todos os dias !

O Dia Mundial do Animal celebra-se anualmente a 4 de Outubro.
”Olhe no fundo dos olhos de um animal e, por um momento, troque de lugar com ele. A vida dele se tornará tão preciosa quanto a sua e você se tornará tão vulnerável quanto ele. Agora sorria, se você acredita que todos os animais merecem nosso respeito e nossa protecção, pois em determinado ponto eles são nós e nós somos eles.” – Philip Ochoa




quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Para uma amiga com nome de Flor


«Disse a flor para o pequeno príncipe: é preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas.»
Antoine de Saint-Exupéry


«May you take time to celebrate the quiet miracles that seek no attention.
 May you be consoled in the secret symmetry of your soul.
 May you experience each day as a sacred gift, woven around the heart of wonder.
 May you have joy and peace in the temple of your senses.»