terça-feira, 17 de junho de 2014

E nada como um dia após o outro.

E se tropeçar
Do chão não vai passar
Quem sete vezes cai levanta oito
@

Pra começar
Cada coisa em seu lugar
E nada como um dia após o outro

Por que apressar?
Se nem sabe onde chegar
Correr em vão se o caminho é longo

Quem se soltar, da vida vai gostar
E a vida vai gostar de volta em dobro

E se tropeçar
Do chão não vai passar
Quem sete vezes cai levanta oito

Julga saber
E esquece de aprender
Coitado de quem se interessa pouco

E quando chorar
Tristeza pra lavar
Num ombro cai metade do sufoco

O novo virá
Pra re-harmonizar
A terra, o ar, água e o fogo

E sem se queixar
As peças vão voltar
Pra mesma caixa no final do jogo

Pode esperar
O tempo nos dirá
Que nada como um dia após o outro

O tempo dirá
O tempo é que dirá
E nada como um dia após o outro.

Tiago Iorc - {feat. Daniel Lopes}




BOA SEMANA !

17 comentários:

  1. Muito lindo e adorei a imagem também! bjs,chica

    ResponderEliminar
  2. Bonito poema.
    Esta publicação significa que já regressou?

    Bjo

    ResponderEliminar
  3. "Quem sete vezes cai levanta oito"

    Não importa o número de tuas quedas
    Importa o número das vezes que te levantas

    É bonito, isto!

    ResponderEliminar
  4. e eu costumo dizer :

    -E nada como um dia após o outro, e uma noite pelo meio.

    beijinho

    :)

    ResponderEliminar
  5. e eu costumo dizer :

    -E nada como um dia após o outro, e uma noite pelo meio.

    beijinho

    :)

    ResponderEliminar
  6. e eu costumo dizer :

    -E nada como um dia após o outro, e uma noite pelo meio.

    beijinho

    :)

    ResponderEliminar
  7. Gostei do poema: viver a vida!

    A imagem é giríssima. Eu era assim na infância: brincava tanto! Adorava andar no baloiço, andar descalça...

    Na vida e nas brincadeiras, se caímos temos que nos levantar, senão perdemos tempo; tempo precioso.

    Continuação de boas férias, se for ainda caso disso.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  8. Que cada amanhecer de cada dia seja simplesmente o renovar da esperança de um amanha bem melhor do que hoje ,muitos beijinhos querida amiga

    ResponderEliminar
  9. Obrigada Fê!
    Lindo poema...e a imagem que me fez recuar no tempo, não tive um baloiço assim, mas um à minha maneira, ainda hoje gosto de andar de baloiço...já o andar descalça, foi assim que fui criada, mas não deixo de andar ainda hoje em casa e à beira mar, adoro junto com as gaivotas.

    Boa semana Fê.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  10. Gostei muito do post , mas adorei a senhora a acordar no cabeçalho !!

    Beijinhos e bons sonhos, amiga

    ResponderEliminar
  11. Gostei. Como não há verba disponível, deixo apenas um like.

    Um dia de cada vez. Aprendi isso em Junho de 2006, fiz uma actualização do pensamento, em Outubro de 2012.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  12. Nada como um dia apos o outro FÊ.
    E vamos que vamos como diria a Chica.
    Linda musica e ilustração.
    Abraços

    ResponderEliminar
  13. ,) nada, como um dia após, o outro, senão houvesse pressa...
    Não que vá adiantar, vamos mesmo devagar...
    Havemos de chegar...
    Beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
  14. Olá Fê,
    É isso mesmo: é caindo que se aprende a levantar!
    Muito bom.
    Bjo amigo
    Carmem

    ResponderEliminar
  15. Amiga nada como viver cada dia porque em cada um deles pode haver sentimentos e sensações diferentes. O amanhã nunca é igual a hoje e é esta rotatividade que nos traz "vivos". A rotina mata, mata até os nossos sonhos. Se tivéssemos tudo sonhávamos? Beijinhos

    ResponderEliminar



Obrigada por estarem desse lado!
Fê Blue Bird