sexta-feira, 17 de outubro de 2014

" OS NINGUÉNS "

Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza
imagem retirada da net sem indicação de autor
"O dia internacional para a erradicação da pobreza celebra-se a 17 de Outubro. A data foi comemorada pela primeira vez em 1992, com o objectivo de alertar a população para a necessidade de defender um direito básico do ser humano. A erradicação da pobreza e da fome é um dos oito objectivos de desenvolvimento do milénio, definidos no ano de 2000 por 193 países membros das Nações Unidas e várias organizações internacionais.
Em Portugal, o número de pobres e de pessoas que passam fome tem vindo a aumentar, em resultado da crise. As instituições de apoio e caridade social têm registado um aumento significativo do número de pedidos de apoio por parte das famílias portuguesas.
Segundo dados revelados pela Rede Europeia Anti-Pobreza, 18% dos portugueses são pobres. De acordo com esta organização, o número europeu que serve de referência para definir a pobreza equivale a um vencimento mínimo mensal de 406 euros." 
*
Os ninguéns de Eduardo Galeano

BOM FIM DE SEMANA !

Fê blue bird

Os ninguéns
As pulgas sonham com comprar um cão, e os ninguéns com deixar a pobreza, que em algum dia mágico a sorte chova de repente, que chova a boa sorte a cântaros; mas a boa sorte não chove ontem, nem hoje, nem amanhã, nem nunca, nem uma chuvinha cai do céu da boa sorte, por mais que os ninguéns a chamem e mesmo que a mão esquerda coce, ou se levantem com o pé direito, ou comecem o ano mudando de vassoura.
Os ninguéns: os filhos de ninguém, os donos de nada.
Os ninguéns: os nenhuns, correndo soltos, morrendo a vida, fodidos e mal pagos:
Que não são, embora sejam.
Que não falam idiomas, falam dialectos.
Que não praticam religiões, praticam superstições.
Que não fazem arte, fazem artesanato.
Que não são seres humanos, são recursos humanos.
Que não tem cultura, têm folclore.
Que não têm cara, têm braços.
Que não têm nome, têm número.
Que não aparecem na história universal, aparecem nas páginas policiais da imprensa local.
Os ninguéns, que custam menos do que a bala que os mata.

O livro dos abraços / Eduardo Galeano; tradução de Eric Nepomuceno.


13 comentários:

  1. Texto intenso e verdadeiro...Aqui no Brasil também apesar de dizerem o contrário os governantes, há muitos desses NINGUÉNS!!! Emocionante aqui! bjs, ótimo fds! chica

    ResponderEliminar
  2. Cada vez, mais ninguéns!
    :(
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. De um lado o opulento do outro a miserabalidade de quem nada tem ,um mundo de duas realidades bem diferentes ,um lindo fim de semana querida amiga ,muitos beijinhos .

    ResponderEliminar
  4. ~
    ~ ~ ~ ~ ~ Los Nadies ~ ~ ~ ~ ~

    ~ ~ ... Y suenan los nadies con salir de pobres, ~ ~

    ~ ~ ~ ~ que algún mágico dia ~ ~ ~ ~

    ~ ~ ~ llueva de pronto la buena suerte... ~ ~ ~


    ~ ~ Um poema impressionante pela sua grande humanidade. ~ ~

    ~ ~ ~ Uma página organizada com tocante sentido cívico e filantrópico. ~ ~ ~

    ~ ~ ~ ~ Doce e agradável fim de semana. ~ ~ ~ ~

    ~ ~ ~ A b r a ç o. ~ ~ ~

    ~ ~ ~

    ResponderEliminar
  5. AVISO

    Mais tarde, ou mais cedo
    tenho que te levar isto

    Galeano é meu irmão
    (e também Platão)

    ResponderEliminar
  6. E do zés ninguém não reza a história.

    Bem haja quem se preocupa.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  7. Quem quer saber deles? Minha amiga, passaram a ser discussão de gabinetes...
    Belo post!

    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Como é verdadeira a frase de Platão!
    Os escritos de Eduardo Galeano são admiráveis. O que mais me toca, nesse texto poético, é "que não são seres humanos, são recursos humanos". Essa é uma realidade triste, que também está presente aqui, embora o governo afirme ter erradicado a miséria extrema. Bjs.

    ResponderEliminar
  9. Um texto para pensar e sentirmos remorsos de um país assim...
    Beijo.

    ResponderEliminar
  10. Uma dor, uma pena, uma vergonha para todos nós!

    O vídeo é forte!! Mas muito importante que se divulgue.

    ResponderEliminar
  11. Só a solidariedade social e política poderá nos unir no grande mutirão para libertar a humanidade da pobreza, da fome e da desigualdade social.
    Aqui no nosso país temos vários programas que tem este propósito e dizem as estatísticas que até o final de 2016 teremos esse mal (a fome) erradicado. Os nossos ninguéns estão sendo aclamados nos debates e propagandas do segundo turno para a presidência. Nestes momentos todos se lembram deles...

    O vídeo que postaste é chocante, dói na alma, e contém uma grande e dolorosa verdade. As imagens machucam os olhos e ferem a alma. Uma forma de despertar a sociedade para esta vergonha mundial.

    Que tua semana seja pautada de sorrisos e estrelas, inundando teu coração de doces alegrias.
    Helena

    ResponderEliminar
  12. Só a solidariedade social e política poderá nos unir no grande mutirão para libertar a humanidade da pobreza, da fome e da desigualdade social.
    Aqui no nosso país temos vários programas que tem este propósito e dizem as estatísticas que até o final de 2016 teremos esse mal (a fome) erradicado. Os nossos ninguéns estão sendo aclamados nos debates e propagandas do segundo turno para a presidência. Nestes momentos todos se lembram deles...

    O vídeo que postaste é chocante, dói na alma, e contém uma grande e dolorosa verdade. As imagens machucam os olhos e ferem a alma. Uma forma de despertar a sociedade para esta vergonha mundial.

    Que tua semana seja pautada de sorrisos e estrelas, inundando teu coração de doces alegrias.
    Helena

    ResponderEliminar
  13. Amiga que linda homenagem aos ninguém que para mim são mais alguém, já que eles sabem mais que ninguém o que é a vida e dão-lha muito mais valor que nós. Quantas vezes um nada para eles é tudo mas somos nós os que mais nos queixamos, eles vivem o momento. O vídeo é excelente e muito profundo. Beijinhos

    ResponderEliminar



Obrigada por estarem desse lado!
Fê Blue Bird