sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Bom Fim de Semana !


Sangrando

Quando eu soltar a minha voz
Por favor entenda
Que palavra por palavra
Eis aqui uma pessoa se entregando

Coração na boca
Peito aberto
Vou sangrando
São as lutas dessa nossa vida
Que eu estou cantando

Quando eu abrir minha garganta
Essa força tanta
Tudo que você ouvir
Esteja certa
Que estarei vivendo

Veja o brilho dos meus olhos
E o tremor nas minhas mãos
E o meu corpo tão suado
Transbordando toda a raça e emoção

E se eu chorar
E o sal molhar o meu sorriso
Não se espante, cante
Que o teu canto é a minha força
Pra cantar

Quando eu soltar a minha voz
Por favor, entenda
É apenas o meu jeito de viver
O que é amar

Gonzaguinha
beijinhos 


quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Balançar


Pedes-me um tempo
Pra balanço de vida
Mas eu sou de letras
Não me sei dividir

Para mim um balanço
É mesmo balançar
Balançar até dar
Balanço e sair

Pedes-me um sonho
Pra fazer de chão
Mas eu desses não tenho
Só dos de voar

Agarras a minha mão
Com a tua mão
E prendes-me a dizer
Que me estás a salvar

De quê?
De viver o perigo
De quê?
De rasgar o peito
Com o quê?
De morrer,
Mas de que paixão?
De quê?
Se o que mata mais
É não ver
O que a noite esconde
E não ter
Nem sentir o vento ardente
A soprar o coração

Prendes o mundo
Dentro das mãos fechadas
E o que cabe é pouco
Mas é tudo o que tens

Esqueces que às vezes
Quando falha o chão
O salto é sem rede
E tens de abrir as mãos

Pedes-me um sonho
Pra juntar os pedaços
Mas nem tudo o que parte
Se volta a colar

E agarras a minha mão
Com a tua mão
E prendes-me e dizes-me
Para te salvar

De quê?
De viver o perigo
De quê?
De rasgar o peito
Com o quê?
De morrer,
Mas de que paixão?
De quê?
se o que mata mais
É não ver
O que a noite esconde
E não ter
Nem sentir o vento ardente
A soprar o coração

Mafalda Veiga

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

O Rui Pedro desapareceu em 1998, com 11 anos. Hoje faz 27 anos.

 Filomena nunca desistiu de procurar o seu filho. 
A dor de perder um filho, que podia muito bem ser o nosso, e o sofrimento incessante de uma mãe, que podia muito bem ser qualquer uma de nós.
Ler artigo completo aqui

sábado, 25 de janeiro de 2014

BOM FIM DE SEMANA !

Os braços de uma mãe são feitos de ternura e os filhos dormem profundamente neles.
Victor Hugo

Certa vez perguntaram a uma mãe qual era seu filho preferido, aquele que ela mais amava.
E ela, deixando entrever um sorriso, respondeu:
“Nada é mais volúvel que um coração de mãe.
E, como mãe, lhe respondo: o filho dileto, aquele a quem me dedico de corpo e alma,

É o meu filho doente, até que sare.
O que partiu, até que volte.
O que está cansado, até que descanse.
O que está com fome, até que se alimente.
O que está com sede, até que beba.
O que está estudando, até que aprenda.
O que está nu, até que se vista.
O que não trabalha, até que se empregue.
O que namora, até que se case.
O que casa, até que conviva.
O que é pai, até que os crie.
O que prometeu, até que se cumpra.
O que deve, até que pague.
O que chora, até que cale.

E já com o semblante bem distante daquele sorriso, completou:

O que já me deixou…
…até que o reencontre…


(Erma Bombeck)



terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Uma Imagem, Um Poema, Uma Música ...


Catrin Welz-Stein.

Um poema deve ser palpável, silencioso,
como um fruto redondo.

Mudo
como os velhos medalhões ao toque dos dedos.

Silente
como o gasto peitoril de uma janela em que cresceu o musgo.

Um poema deve ser calado
como o voo dos pássaros.

Como a lua que sobe,
um poema deve ser imóvel
no tempo,

deixando, memória por memória, o pensamento,
como a lua detrás das folhas de inverno;

deixando-o como, ramo a ramo, a lua solta
as árvores emaranhadas na noite.

Um poema deve ser imóvel
no tempo
como a lua que sobe.

Um poema deve ser igual a:
não a verdade.

Por toda a história da dor,
uma porta franqueada e uma folha de ácer.

Para o amor,
as gramíneas inclinadas e duas luzes sobre o mar.

Um poema deve ser,
e não significar.

Archibald MacLeish (1892-1982)
Tradução: Péricles Eugénio da Silva Ramos




O nome desse instrumento é Hang e existem 5 tipos diferentes desde o seu aparecimento em 2003 na Suíça.Devido ao aspecto de disco voador, as pessoas vão-lhe chamando várias coisas como por exemplo "spacedrum".

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

BOM FIM DE SEMANA !

Ouvir Stacey Kent tem o mesmo efeito de bálsamo que tinham alguns beijos sobre as nossas infantis feridas... reais ou imaginárias.
Bom fim de semana !
You’ve got a friend” 

 Stacey Kent (Carole King)




When you're down and troubled and you need some love and care
And nothing, nothing is going right
Close your eyes and think of me and soon I will be there
To brighten up even your darkest night.

You just call out my name, and you know wherever I am
I'll come running to see you again.
Winter, spring, summer, or fall, all you have to do is call
And I'll be theren, yes I will, you've got a friend.

If the sky above you grows dark and full of clouds
And that old north wind begins to blow
Keep your head together and call my name out loud.
Soon you'll hear me knocking at your door.

You just call out my name, and you know wherever I am
I'll come running to see you again.
Winter, spring, summer, or fall, all you have to do is call
And I'll be there, yes, I will.

Now ain't it good to know that you've got a friend
When people can be so cold.
They'll hurt you, yes, and desert you.
And, take your soul if you let them, but don't you let them.

You just call out my name, and you know wherever I am
I'll come running to see you again.
Winter, spring, summer, or fall, all you have to do is call
And I'll be there, yes, I will, you've got a friend.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

O amor é...

Amour
(by Gianfranco Meloni)
O Amor é... O amor é o início. O amor é o meio. O amor é o fim. O amor faz-te pensar, faz-te sofrer, faz-te agarrar o tempo, faz-te esquecer o tempo. O amor obriga-te a escolher, a separar, a rejeitar. O amor castiga-te. O amor compensa-te. O amor é um prémio e um castigo. O amor fere-te, o amor salva-te, o amor é um farol e um naufrágio. O amor é alegria. O amor é tristeza. É ciúme, orgasmo, êxtase. O nós, o outro, a ciência da vida.
O amor é um pássaro. Uma armadilha. Uma fraqueza e uma força.
O amor é uma inquietação, uma esperança, uma certeza, uma dúvida. O amor dá-te asas, o amor derruba-te, o amor assusta-te, o amor promete-te, o amor vinga-te, o amor faz-te feliz.
O amor é um caos, o amor é uma ordem. O amor é um mágico. E um palhaço. E uma criança. O amor é um prisioneiro. E um guarda.
Uma sentença. O amor é um guerrilheiro. O amor comanda-te. O amor ordena-te. O amor rouba-te. O amor mata-te.
O amor lembra-te. O amor esquece-te. O amor respira-te. O amor sufoca-te. O amor é um sucesso. E um fracasso. Uma obsessão. Uma doença. O rasto de um cometa. Um buraco negro. Uma estrela. Um dia azul. Um dia de paz.
O amor é um pobre. Um pedinte. O amor é um rico. Um hipócrita, um santo. Um herói e um débil. O amor é um nome. É um corpo. Uma luz. Uma cruz. Uma dor. Uma cor. É a pele de um sorriso.

Joaquim Pessoa, in 'Ano Comum'


*

Il mondo non si è fermato
Mai un momento
La notte insegue sempre il giorno
Ed il giorno verrà

domingo, 12 de janeiro de 2014

Eu sou assim, quem quiser gostar de mim eu sou assim
.



Deixa-me brincar, ser criança feliz sem medo
Deixa-me fingir, ser bela adormecida sem nome
Deixa-me chorar, rir, escrever sem nexo
Deixa-me apaixonar, ser louca varrida sem freio
Deixa-me sonhar, dormir, ter sorriso de menina travesso
Deixa-me mentir, contradizer, querer e não querer, não ligues
Deixa-me ser assim, pássaro fugidio
e renascer a cada instante
como mulher
menina
e amante!





Eu sou assim, quem quiser gostar de mim eu sou assim
 Eu sou assim,
 quem quiser gostar de mim eu sou assim
 Meu mundo é hoje 
não existe amanhã pra mim

 E sou assim, assim morrerei um dia

 Não levarei arrependimentos 
nem o peso da hipocrisia

 Tenho pena daqueles
 que se agacham até o chão
 Enganando a si mesmos 
por dinheiro ou posição

 Nunca tomei parte
 desse enorme batalhão

 Pois sei que além de flores,
 nada mais vai no caixão. 

("Meu mundo é hoje" - João Batista/Wilson Batista )

*

BOA SEMANA !


terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Vou cuidar melhor dos pássaros que vivem na minha cabeça.


Mónica Carretero Ilustradora

Vi esta ilustração num blogue que sigo e que muito aprecio
e identifiquei-me imediatamente com ela.
 Não posso, não quero e não mereço, continuar triste e deprimida.
Despedi-me de 2013 com essa atitude e não vou continuar assim.
Faço-o por mim, por quem amo, e por todos quem tem o prazer de vir aqui.
Assim sendo...
Desejo a todos um FELIZ 2014!

 *
Cantiga para quem sonha
   
Tu que tens dez réis de esperança e de amor
grita bem alto que queres viver.
Compra pão e vinho, mas rouba uma flor.
Tudo o que é belo não é de vender
Não vendem ondas do mar
nem brisa ou estrelas, sol ou lua-cheia
Não vendem moças de amar
nem certas janelas em dunas de areia.

Canta, canta como uma ave ou um rio
Dá o teu braço aos que querem sonhar
Quem trouxer mãos livres ou um assobio,
nem é preciso que saiba cantar.

Tu que crês num mundo maior e melhor
grita bem alto que o céu está aqui.
Tu que vês irmãos, só irmãos em redor,
Crê que esse mundo começa por ti.
Traz uma viola, um poema,
um passo de dança, um sonho maduro.
Canta glosando este tema,
Em cada criança há um homem puro.

Canta, canta como uma ave ou um rio
Dá o teu braço aos que querem sonhar
Quem trouxer mãos livres ou um assobio,
nem é preciso que saiba cantar.


 Letra - Leonel Neves
Música - João Gomes
Canta - Luiz Goes