sexta-feira, 30 de maio de 2014

A incrível amizade entre o bode Mr G e o burro Jellybean.

A organização Animal Place, um dos maiores santuários americanos para animais maltratados em fazendas, divulgou a história de Mr. G, um pequeno bode de coração partido que, aparentemente, havia desistido de viver. 
A equipa de resgate entendeu que a causa da imensa dor e apatia de Mr. G era devida à falta da companhia do seu melhor amigo, um burro chamado Jellybean.
Os dois viveram juntos durante anos e acabaram separados na altura em que foram resgatados de uma situação de negligência e maus-tratos, e acolhidos por dois santuários distintos.
Segundo o santuário, Mr. G estava inconsolável, recusando-se a comer e passando os seus dias deitado imóvel num canto do recinto onde estava acomodado, sempre de cabeça baixa. Nem os mimos, nem os petiscos que recebia, surtiram efeito na tentativa de fazer com que ele se alimentasse ou que se movesse.
Depois que a possibilidade de problemas de saúde foi descartada, tornou-se óbvio para o grupo de resgate que Mr. G estava deprimido pela separação do seu companheiro. Decidiu-se, então, que os dois amigos deveriam ser reunidos novamente. Um dos voluntários viajou durante 14 horas, entre ida e volta, para trazer Jellybean ao Rescue Ranch.
Eis a descrição do encontro entre os dois:
“Quando Jellybean entrou nas acomodações de Mr. G, este não podia acreditar no que seus olhos viam. Parecia tão surpreendido que olhou duas vezes, e foi só quando sentiu o cheiro característico de Jellybean, que Mr. G acreditou que era verdade que seu mais querido amigo havia voltado.
Mr. G levantou-se com ímpeto renovado, resfolegando e farejando o odor da presença de Jellybean e correu atrás dele para o ao ar livre. O momento mágico desse encontro foi quando Mr. G começou a comer na mesma tigela onde estava o alimento oferecido a Jellybean!”
A história de Mr. G e Jellybean é mais uma entre tantas que ensinam a profundidade dos sentimentos dos animais e fazem com que as pessoas se lembrem, que não são as únicas criaturas dotadas de personalidades distintas capazes de experimentar uma vasta gama de emoções e de estabelecer fortes vínculos de amor e amizade com outros seres.
Os dois amigos serão moradores vitalícios do Animal Place. Os voluntários do local esperam que a história de Mr. G e Jellybean ajude os visitantes e as pessoas em geral a compreender a riqueza e a qualidade da vida emocional dos animais não humanos.

Até agora, o Rescue Ranch resgatou, encaminhou para adopção ou abrigou de forma permanente, 13.351 galinhas, 25 perus, 6 ovelhas, 7 porcos, um pato e 16 cabras. Esse é um enorme número de animais para lidar e encaminhar para uma vida digna, mas representa apenas uma ínfima parcela de todos os animais que são criados e mortos nas fazendas industriais a cada ano.
Milhões de vacas, porcos, galinhas, ovelhas e tantos outros animais que nascem neste mundo são confinados, geneticamente modificados, mutilados e privados da companhia de amigos e família, além de submetidos, sistematicamente, às mais diversas torturas e abusos, porque são considerados por muitos, criaturas “irracionais” e “menos inteligentes que os humanos” ou, como queria Descartes, “máquinas sem alma”.
Histórias da vida animal, como a de Mr. G e Jellybean, entre tantas e tantas outras, sensibilizarão as pessoas para o facto de que os animais são indivíduos, e não mercadorias para servir de alimento, vestuário ou diversão.
Para honrar as vidas de Mr. G e Jellybean e o afecto indestrutível que os une, o santuário Animal Place pede a todos que divulguem essa linda história para, dessa forma, ajudar a despertar a consciência dos humanos sobre a vida emocional dos animais.
Espera-se que essa consciência leve à compaixão pelos milhões de animais tiranizados e escravizados e que a compaixão seja demonstrada através da recusa em consumir produtos de origem animal.

fonte:http://www.anda.jor.br/
Vale a pena verem o vídeo deste reencontro:
  BOM FIM DE SEMANA


quarta-feira, 28 de maio de 2014

{ tenho tantas saudades tuas filha linda }

 "À medida que os filhos crescem, a mãe deve diminuir de tamanho. 
Mas a tendência da gente é continuar a ser enorme." 
 Clarice Lispector

A ternura materna por Léon Perrault




 A MEUS FILHOS

Estou aqui ao lado,
à margem de seu caminho,
vendo você passar.
Quero que vá sozinho
mas me mantenho por perto.
Se o rumo é certo,
me aprumo e aplaudo;
se é via tortuosa,
jogo-lhe aos pés uma rosa
pra que desviando dela
você chegue a outro lugar;
se a sombra é fria,
mando-lhe um beijo quente;
se o chão queima do sol nascente,
estendo-lhe a poesia
para que o possa atenuar,
se não houver alimento,
peço ao vento
sementes que lhe tragam vida.
Para a sede,
roubo do céu a lágrima caída da madrugada.
Mas se você não precisar de nada,
ainda assim eu estarei vigiando,
escondida talvez atrás de um querubim.
Abençoarei sua vida e sua estrada,
mesmo que já esteja transformada
na forma clara e casta de um jasmim.
© FLORA FIGUEIREDO
In Florescência, 1987
*
{ O amor de mãe é tão imenso quanto o céu, tão profundo como todos os mares do mundo unidos num só local, tão inacreditavelmente belo e verdadeiro, contudo este imenso amor também nos faz sofrer, e ficamos com um aperto tão grande no peito quando um filho está longe de nós. Tenho tantas saudades tuas filha linda... }


segunda-feira, 26 de maio de 2014

Música, levai-me:

Onde estão as barcas? Onde são as ilhas?

 Eugénio de Andrade

Storm at Sea on a Moonlit Night, Ivan Konstantinovich Aivazovsky. Russian (1817 - 1900)

domingo, 25 de maio de 2014

Cumpriste o ritual e sabes tudo. . .


"APRENDAMOS O RITO"

Põe na mesa a toalha adamascada
Traz as rosas mais frescas do jardim
Deita o vinho no copo, corta o pão
Com a faca de prata e de marfim

Alguém veio juntar-se à tua mesa
Alguém a quem não vês mas que pressentes
Cruza as mãos no regaço, não perguntes
Nas perguntas que fazes é que mentes

Prova depois o vinho, come o pão
Rasga a palma da mão no caule agudo
Leva as rosas à fronte, cobre os olhos
Cumpriste o ritual e sabes tudo. . .

José Saramago






BOA SEMANA!


quarta-feira, 21 de maio de 2014

{perguntas sem resposta}


Steve Hanks

com os olhos no céu
e lágrimas de mar
abracei o vento
deixei-me levar

perguntas sofridas
fechadas, sem ar
esquecidas, mantidas
em qualquer lugar

com os olhos no vento
e lágrimas de céu
procurei a vida
que desapareceu

respostas veladas
cansadas, vividas
amargas, sonhadas
e por mim perdidas

com os olhos no mar
 e lágrimas de vento
perguntas sem resposta
passou o momento
.

finais de 2012

segunda-feira, 19 de maio de 2014

12 cães e 1 gato muito felizes

DESEJO-VOS UMA SEMANA MUITO FELIZ TAMBÉM !

Um tratador de animais que vive na Austrália resolveu levar 12 cães e 1 gato para conhecer o mar.
A diversão foi tão grande que ele resolveu fazer um vídeo-clipe .
A música, vocês já devem ter ouvido,  "Happy ", do cantor Pharrell Williams, e as imagens são desse dia bem passado com os seus amigos .

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Chamar a Si Todo o Céu com um Sorriso

“Quero sempre poder ter um sorriso estampado no meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre... 
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.” 
―Mario Quintana


que o meu coração esteja sempre aberto às pequenas
aves que são os segredos da vida
o que quer que cantem é melhor do que conhecer
e se os homens não as ouvem estão velhos

que o meu pensamento caminhe pelo faminto
e destemido e sedento e servil
e mesmo que seja domingo que eu me engane
pois sempre que os homens têm razão não são jovens

e que eu não faça nada de útil
e te ame muito mais do que verdadeiramente
nunca houve ninguém tão louco que não conseguisse
chamar a si todo o céu com um sorriso

E. E. Cummings



Desejo-vos um excelente fim de semana !

quinta-feira, 15 de maio de 2014

A vida é feita de ares bons e ares ruins

{escondo-me por detrás de palavras emprestadas
dispo-me de palavras minhas
chegará um dia em que
 tenho que me vestir }



Ela não pode pensar
Ela não pode lembrar
Não quer nem mencionar
No que ficou para trás
Ela não quer olhar
Não pode suportar
De saber que é assim
Tudo um dia tem fim
E ela nunca foi feliz

Sua vida é feita de ares bons, ares ruins
Noites estreladas, noites de luar
Nunca o mesmo dia, nunca o mesmo ar

Ela não sabe para onde é
Que foi que o vento levou
O seu olhar
Ela não quer, ela nem tenta
Abrir os olhos e ver
Ao longe, o mar
Não consegue escutar
Não consegue cantar
Não consegue chorar

Sua vida é feita de ares bons, ares ruins
Quando na janela logo ao despertar
Fica sufocada e não pode pular

Sua vida é feita de ares bons, ares ruins
Noites estreladas, noites de luar
Nunca o mesmo dia, nunca o mesmo ar


Dom La Nena

domingo, 11 de maio de 2014

BOA SEMANA !





EU NESSE TEMPO

Eu nesse tempo voava
tanto quanto me permito recordar.

Coleccionava bonecos
e cromos para colar
e mitos
e voava no espaço da sala
evitando sair pela janela.

O mundo era enorme
terrível
e eu voava.

Ainda hoje por vezes
a horas mortas
abraço o ar
e dou comigo a voar
afastado dos caminhos
para que não digam que as asas
são apenas ornamento

José Fanha




quarta-feira, 7 de maio de 2014

Que custa um beijo?

Beijo na face
Pede-se e dá-se:
             Dá?
Que custa um beijo?
Não tenha pejo:
             Vá!

Um beijo é culpa,
Que se desculpa:
             Dá?
A borboleta
Beija a violeta:
             Vá!

Um beijo é graça,
Que a mais não passa:
             Dá?
Teme que a tente?
É inocente...
             Vá!

Guardo segredo,
Não tenha medo...
             Vê?
Dê-me um beijinho,
Dê de mansinho,
             Dê! 




João de Deus


Como o tempo passa :)



beijinhos para todos