domingo, 6 de setembro de 2015

Dizei amigos , Dizei só a mim ...tiveram saudades minhas ?

Ó ventos do monte
Ó brisas do mar
A história que vou contar
Dum pastor Florival
Meu irmão de Bensafrim natural
Rezava assim
Passava ele os dias
No seu labutar
E os anos do seu folgar
Serras vai serras vem
Seu cantar não tinha fim
O pastor cantava assim
Ó montes erguidos
Ó prados do mar em flor
Ó bosques antigos
Trajados de negra cor
Voa andorinha
Voa minha irmã
Não te vás embora
Vem volta amanhã
Dizei amigos
Dizei só a mim
Todos só de um lado
Quem vos fez assim
Dizei-me mil prados
Campinas dizei
A história que não contei
Serras vai serras vem
O seu mal não tinha fim
O pastor cantava assim
Ó montes erguidos
Ó prados do mar em flor
Ó bosques antigos
Trajados de negra cor
Voa andorinha
Voa minha irmã
Não te vás embora
Vem volta amanhã
Dizei amigos
Dizei só a mim
Todos só dum lado
Quem vos fez assim
Seu bem que ele vira
Num rio a banhar
Ao vê-lo vir espreitar
Nunca mais apareceu
Ao pastor de Bensafrim
Sua dor chorava assim
Ó montes erguidos
Ó prados do mar em flor
Ó bosques antigos
Trajados de negra cor
Voa andorinha
Não te vás embora
Vem volta amanhã
Dizei amigos
Dizei só a mim
Todos só dum lado
Quem vos fez assim

Zeca Afonso -  O PASTOR DE BENSAFRIM

fotos minhas tiradas bem perto de Bensafrim 

BOA SEMANA !

Beijinhos





A Mourinha de Bensafrim 

" É antiquíssima a povoação de Bensafrim, palavra árabe, que significa Terra dos bruxos. O próprio nome está a indicar a sua antiguidade, porque os mouros não lhe dariam tal designação se ali não encontrassem várias características pré-históricas, cuja significação desconheciam, atribuindo-os talvez à intervenção de seres superiores, fadas ou bruxas. 
Muitos sítios há em Bensafrim, que igualmente traduzem a sua antiguidade, como Algarinho, Almargem, Almarjões e outros, de origem desconhecida, sítios naturalmente povoados, e onde deveriam certamente correr as lendas; mas o povo tem-nas desprezado e esquecido, bem como dentro de poucos anos serão esquecidas as que hoje ainda correm. 
Como amostras dessas antigas lendas foi colegida uma, que vou reproduzir. 
É a freguesia de Bensafrim abundante de água potável mas, há trinta anos, não havia ali um poço ou uma nora que a fornecesse. Para beber iam buscá-la a duas fontes distantes, ou à fonte dos mouros, de que vou tratar. 
Esta fonte, com a abertura de muitos poços, abertos actualmente por toda a parte, foi-se secando pouco a pouco e hoje está entulhada de pedras até à boca, ou entrada. A entrada da fonte é formada por duas grandes pedras a prumo e outra transversal, semelhante à entrada de um dolmen. 
O muito reverendo pároco de Bensafrim, António Nunes da Glória, cavalheiro ilustrado e vantajosamente conhecido pelos homens ilustres que se tem entregado ao estudo das nossas antiguidades, não tem podido formar um juízo seguro sobre o tempo da construção daquela entrada. Embora esteja por fora argamassada com argamassa moderna parece-lhe todavia ser obra de remota antiguidade. 
O povo atribui-lhe uma origem mourisca e conserva pela tradição uma história que anda ligada à fonte. Diz-se que o interior da fonte é constituído por uma galeria bastante extensa com a mesma configuração da entrada. 
A fonte abre-se no declive de um pequeno outeiro a uns duzentos metros ao poente da povoação de Bensafrim.
Em tempos idos havia nesta fonte um mourinho encantado que sempre aparecia a quem lá ia, a deshoras, buscar água sem ser acompanhado. Era por esse motivo causa de muito susto, e só por grande necessidade ousava qualquer passar por aquele sitio em horas nocturnas, muito principalmente à meia noite. 
Um dia, porém, uma pobre mulher aventurou-se a passar sozinha por defronte da fonte. Era em Janeiro e estava um dia esplêndido, como costumam aparecer alguns nesta quadra do ano, quando não chove torrencialmente ou não aventa com fúria.
Qual não foi o pasmo da mulher ao ver nessa quadra uma esteira de figos ao sol, figos que pareciam colhidos de fresco da árvore, e tão frescos e apetitosos, que estavam mesmo pedindo quem os comesse.
A mulher não pôde resistir à tentação da gula e, mais feliz do que a sua primeira mãe Eva, tirou da esteira alguns que meteu na algibeira. Neste momento, porém, aparece o mouro encantado que lhe diz:
- Apanha, apanha, aproveita-te enquanto é tempo. 
A mulher deitou a correr transida de medo e, quando chegou a casa, fechou-se por dentro e começou mais descansadamente a pensar no que lhe acabava de suceder. Então teve uma súbita inspiração e tirou da algibeira os figos. Caso estupendo! Mais feliz do que Eva, não encontrou nos figos o castigo de sua primeira mãe, pois que estes se tinham transformado em belos dobrões de ouro! 
Perdeu o susto, abriu a porta, e deitou outra vez a correr em direcção da fonte, mas tanto a esteira como o mouro tinham desaparecido. Nem mesmo encontrou o sinal da esteira ou o sinal dos pés de um ser humano. 
Daí em diante a fonte secou-se e ninguém mais teve a suprema felicidade de ver a esteira ou a infelicidade de encontrar o mouro. 
Naturalmente tinha terminado o ciclo por Allah marcado para o termo do seu encantamento. Pelo menos assim o afirmam ainda hoje os moradores daqueles sítios em redor.
Ainda hoje, não obstante este juízo, ninguém passa de noite próximo da fonte que não dirija para esta os seus olhares temerosos e desconfiados, crendo ver nos movimentos das plantas ocasionados pelo vento os meneios do desditoso mouro, que os chama para junto de si: e então são mais apressados os passos do viandante, que sente espetar-se-lhe o cabelo na cabeça como sovelas!...


" Fonte Biblio OLIVEIRA, Francisco Xavier d'Ataíde As Mouras Encantadas e os Encantamentos do Algarve Loulé, Notícias de Loulé, 1996 [1898] , p.255-257

27 comentários:

  1. Meus queridos amigos e amigas, espero que se encontrem bem.
    Aos poucos vou-vos visitando e agradecendo os vossos comentários e mensagens.
    Beijinhos a todos
    Fê blue bird

    ResponderEliminar
  2. Que linda música e versos para marcar tua volta! Claro que estávamos com saudades! beijos, bom retorno! chica

    ResponderEliminar
  3. Com certeza querida amiga ,saudades que o tempo teimava incessantemente em não passar ,espero que tenha passado umas férias muito felizes ,desejo-lhe um resto de Domingo muito feliz ,beijinhos no coração

    ResponderEliminar

  4. Olá e seja a menina muito bem aparecida!! :D
    Ena ena, que a tua casa está toda renovada!
    E tu? Também vens renovada?

    Setembro estava à tua espera... e nós também.
    Por isso gostei de te ver... e agora se não te importas vou ouvir o Zeca! :)

    Muitos beijinhos minha linda
    (^^)

    ResponderEliminar
  5. Oi Fê que bom vê-la de volta.
    Seja bem vinda querida amiga.
    Adorei os versos imagens e música.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  6. Boa tarde
    Bem vinda.

    Como foi tão bom ouvir Zeca Afonso e recordar
    Parabéns pelas imagens.


    Beijinho
    Um tarde de Domingo muito feliz.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Que belo regresso, Amiga Fê!...

    Isso lá é pergunta que se faça??
    Claro que todos sentíamos muita saudade
    e aguardávamos Setembro, com ansiedade!!
    Vês? Até rimei e é verdade.

    As tuas fotos estão um primor! Que bonitas!...O nosso Zeca, sempre magnífico. Chego a um ponto que não tenho adjectivos para classificar as belezas que nos ofereces :-)

    Um grande beijinho!

    Janita

    ResponderEliminar
  8. 'Regressásti'?
    É bom voltar a ver-te por aqui.
    Boa semana, beijinhos.

    ResponderEliminar
  9. Tive saudades e gostei muito da história, das imagens, do poema e da música :)
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
  10. Querida Fê
    Feliz pelo teu regresso.
    E voltaste em grande estilo!!!
    Um poema soberbo, uma música maravilhosa
    e as fotos esplêndidas!!!
    Seja bem vinda ao nosso convívio querida
    Uma semana linda e abençoada
    Beijos e carinhos

    ResponderEliminar
  11. Seja bem regressada!
    E em muito boa companhia (José Afonso).
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  12. Como não sentir a falta de uma pessoa maravilhosa
    que se faz presente em cada suspiros nosso?
    Bela postagem e partilha com historia linda em canto.
    Seja bem vinda Fê.
    Uma semana de paz e inspiração.
    Beijo de paz.

    ResponderEliminar
  13. Seja bem aparecida, menina Fê! Já tinha saudades suas :)
    E que bom que é este reencontro ao som do Zeca.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  14. Belos versos e imagens para marcar o seu regresso, seja bem-vinda!
    Grande abraço, sucesso e grato pela visita!

    ResponderEliminar
  15. Para ti o tempo passou a correr, esse mesmo tempo para mim passou em câmara lenta. Descobriste uma amendoeira em flor no verão. Pelas fotos e a excelente terra que das a conhecer, imagino que te tenhas sentido feliz. Volta brevemente.
    Com carinho.

    ResponderEliminar
  16. Um pouco mais cedo e com muitas saudades
    venho convidar você para uma
    visitinha na minha postagem.
    Mesmo em meio as aflições temos que louvar
    a Deus pela nossas vidas.
    Comemorar é reunir com nossas amizades,
    que a dez anos muitos vem comemorando comigo.
    Eu tenho muito a agradecer a Deus por mais um ano
    pelo milagre da vida.
    Na verdade no decorrer desse ano nasci de novo
    após uma cirurgia.
    Gosto muito de falar as benção que recebo
    para lembrar que temos um Deus por nós.
    Pode ser grande a nossa luta ,
    mas grande mesmo é nossa vitória.
    Obrigada por tudo.
    Feliz semana .
    Beijos carinhosos...
    Evanir....
    PS..Se for do seu agrado deixei
    mimo na postagem.

    ResponderEliminar
  17. Chegaste com Setembro que também te levará algo de ti.

    Bem vinda Amiga, bem acompanhada com o grande Zeca.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  18. Que belíssimo lugar Fê, e tão doce música!
    Agradecemos a visita... Por certo ainda estás com os olhos cheios da beleza da encantada Bensafrim, que os encantamentos do lugar sejam benéficos e lhe tragam, se não moedas de ouro, muitas lembranças boas.
    Um abraço!
    Bíndi & Ghost

    ResponderEliminar
  19. Boa noite Amiga.
    Seja bem vinda de volta, saudade de você com certeza todos tivemos. Feliz semana, estou ausente por problemas familiares, muito difícil as vezes a vida se torna. Beijos.

    ResponderEliminar
  20. Oi amiga!
    Tenha um maravilhoso setembro.
    Bjus

    ResponderEliminar
  21. Olá Fê
    Grata pela msg de parabens..:-)))
    Como eu gosto de ouvir Zeca Afonso...:-)))
    Obrigada pela partilha
    Beijinho grande
    Teresa

    ResponderEliminar
  22. Fê, querida, como não sentir falta de você? Seu jeito amigo, suas casas enantadas, suas postagens lindas... Gostei muito das fotos e da maneira como retornou, com esse canto especial. Bjs.

    ResponderEliminar



Obrigada por estarem desse lado!
Fê Blue Bird