quarta-feira, 7 de outubro de 2015

{ papagaios de papel }


Ali estava ela, sentada na esplanada que tão bem conhecíamos, aproximei-me nervosamente...
- Desculpa atrasei-me...o trânsito estava insuportável.
- Não faz mal, senta-te, o que queres beber?
- Só um café.
Enquanto a empregada o servia, ela tentava impedir as lágrimas que os seus olhos teimosamente pediam. Estendeu-me a mão e eu pedi-lhe que parasse!
- Desculpa, pensei muito, mas não te posso dar o que precisas...
A vista daquele lugar era magnífica, estávamos tão alto que podíamos ver muito abaixo de nós, os papagaios de papel que dançavam com o vento e as copas das árvores coloridas, estávamos no início do Outono, num daqueles dias em que tudo parece perfeito.
Entregou-me um papel dobrado.
- Para leres depois.
Tentei falar, só que não havia mais nada para dizer.
Levantou-se, voltou-me as costas e saiu.
Mergulhei num misto de culpa e de certeza, desdobrei o papel amarrotado na minha mão...
" Não sei o que me assusta mais, se o desejo que nos esmaga, se a nossa infinita capacidade para o esmagar.  Tua, para sempre ! "
Fê blue bird


Dalida - Je Suis Malade

24 comentários:

  1. O amor não correspondido magoa fundo.

    Beijos, Fê. :)

    ResponderEliminar
  2. Uma passagem muito bem contada, cujo desfecho nos faz pensar. Qual delas será verdade? Talvez ambas...

    Um beijinho, Fê

    ResponderEliminar
  3. Maravilhoso querida amiga ,um final que nos faz pensar ,muitos beijinhos no seu lindo coração .

    ResponderEliminar
  4. Ui..Quando amamos e não somos correspondidas. é o mais cruel que existe .
    Um texto muito bom que faz reflectir

    Beijo de boa noite

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Há situações
    Há canções

    que escusam palavras
    está
    tudo lá

    ResponderEliminar
  6. Querida Amiga..
    Linda musica amiga e excelente postagem
    emoções e desencanto de um amor contido na alma.
    Um beijo carinhoso.
    Evanir.

    ResponderEliminar
  7. As dores do amor, quem nunca as sofreu, como disse o poeta " só passou pela vida não viveu".
    beijinhos,
    Léah

    ResponderEliminar
  8. Desgostos de amor quem não os tem?
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Amores não correspondidos.
    Belo texto.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
  10. Um amor não correspondido traz sempre muita dor e grande desilusão
    Tenha um lindo dia amiga Fê
    Beijos e carinhos perfumados

    ResponderEliminar
  11. A bonita voz da malograda Dalida numa canção intemporal...Como intemporais serão sempre os amores desencontrados!...

    Porque será que sinto um nó na garganta?...

    Um beijinho, amiga Fê!

    ResponderEliminar
  12. Que belo texto
    No final fica sempre um sentimento de culpa. Mas tudo pode mudar.

    Optimo dia...beijos...=http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. Os "fins" são sempre doídos, fica a incerteza, a culpa, o sentimento de querer fazer tudo diferente...
    Mas, como dizem os poetas "o tempo é sempre o melhor remédio".

    Abraços e lindo dia.

    ResponderEliminar
  14. Desencontros de outono. E fiquei "esmagada" com a estética do texto... Parabéns.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  15. ~~~
    ~ Desgostos profundos, os fins de grandes amores...

    ~~ Fiquei muito contente,
    por voltares a ter a tua habitual inspiração - magnífica!

    ~~~ Excelente ''post''. ~~~

    ~~~~~~ Beijinhos. ~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  16. Mágoas sempre temos quando amamos,mas não devemos deixá-las tornarem-se
    desgostos.
    Bjs Fê e um ótimo final de semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  17. Belo trecho! Sempre tristes e dolorosos os desamores.

    A imagem é belíssima!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar

  18. Belo texto, Fê querida.

    Fica uma dorzinha no peito, feita mágoa, por a vida não ser bem o que se espera...
    Um fim magoado para um amor que terminou? Que a esperança e a vontade de amar não deixe à míngua um coração que não para de bater.

    Beijinho carinhoso.

    ResponderEliminar
  19. Como é possível, quantas vezes, sermos nós próprios a acabar com sonhos do que tanto desejamos ? ...
    Somos masoquistas por natureza ! :(

    Beijinhos, Fê ... e um bom fim de semana ! :))

    ResponderEliminar
  20. Passando para desejar bom final de semana- beijos---Visite-nos... Texto do Gil António..
    http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  21. Um texto que faz lembrar, e muito, um certo tipo de cinema (saudoso) de há anos atrás...
    Belo, Fê!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  22. O momento de um não é o do outro. E ficam ambos esmagados pelas opções impostas. Excelente!!!! Bjs.

    ResponderEliminar
  23. Fiquei a pensar que não podia acabar assim, que tinha de haver um depois com um reencontro..
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar



Obrigada por estarem desse lado!
Fê Blue Bird