sábado, 28 de novembro de 2015

“Sete Letras”

Christian Schloe


Esta palavra Saudade
Sete letras de ternura
Sete letras de ansiedade
E outras tantas de aventura

Esta palavra saudade
A mais bela e a mais pura
Sete letras de verdade
E outras tantas, de loucura

Sete pedras, sete cardos
Sete facas e punhais
Sete beijos que são dados
Sete pecados mortais

Esta palavra saudade
Dói no corpo devagar
Quando a gente se levanta,
fica na cama a chorar

Esta palavra saudade
Sabe a sumo de limão
Tem um travo de amargura,
Que nasceu no coração

Ai palavra amarga e doce
estrangulada na garganta
Palavra com se fosse
o silêncio, que se canta

Meu cavalo imenso e louco
a galopar na distância
Entre o muito e entre o pouco,
que me afasta da infância

Esta palavra saudade
é a mais prenha de pranto,
como um filho que nascesse
Por termos sofrido tanto

Por termos sofrido tanto
É que a saudade está viva
São sete letras de encanto
Sete letras por enquanto,
Enquanto a gente for viva

Esta palavra saudade
sabe ao gosto das amoras
Cada vez que tu não vens,
cada vez que tu demoras

Ai palavra amarga e doce,
debruçada na idade
Palavra como se fossemos
resto de mocidade

Marcada por sete letras
a ferro e a fogo no tempo
Ai, palavra dos poetas
que a disparam contra o vento

Esta palavra saudade
dói no corpo devagar
Quando a gente se levanta
fica na cama a chorar

Por termos sofrido tanto
É que a saudade está viva
São sete letras de encanto 

 Sete letras por enquanto,
Enquanto a gente for viva

Ary dos Santos


a ouvir... ♫  Simone de Oliveira

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Em 100 anos, o que realmente mudou na vida das mulheres?

Vídeo questiona situações de desigualdade de género num período de 100 anos e justifica necessidade do feminismo.


Muitas pessoas ainda acreditam não haver motivos para o feminismo, entre elas, infelizmente, está um grande número de mulheres. Mas, todos sabemos que uma série de situações de injustiça e desigualdade de géneros são comuns na nossa sociedade, o que justifica a necessidade das mulheres ainda hoje, lutarem pelos seus direitos.
O canal de televisão Focus Features deixou muito claro muitas destas questões ao fazer uma experiência com jovens adolescentes. Elas foram convidadas a responder, se alguns dados alarmantes, como por exemplo, "62 milhões de meninas não vão para a escola" ou " 70% da população que sobrevive com menos de um dólar por dia são mulheres", correspondem a 1915 ou a 2015.

Assistam e façam a vossa própria reflexão.



Portugal é o sexto país da UE com maior desigualdade de género.


~~ * ~~

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

A.M.O.R.

Margarita Sikorskaia

Podes rezar ao teu Deus que eu rezo ao meu,
Talvez o meu Deus seja o teu,
Porque só há um Deus no nosso céu,
Chama-se A.M.O.R.
Chama-se
A.M.O.R.

O meu Deus não usa balas nem se explode na multidão,
Que o teu Deus não use ferros nem se esconde na Santa Inquisição,
Porque cada um tem um Deus na sua mão,
E o nosso chama-se
A.M.O.R.
E alguém pergunta ao longe e eu digo:
A.M.OR.

E se o meu Deus fosse uma Mulher e o teu também,
E se se beijassem na boca e no céu se ouvisse: ' Amén!',
Porque todos os Deuses tem destino de Mãe,
E o nosso é A.M.O.R.
Não é outro o nosso Deus que não
A.M.O.R.
E alguém me diz ao longe chama-se
A.M.O.R.
E há pobres e loucos que dizem:
A.M.O.R.

Podes pedir ao meu Deus que eu peço ao teu,
Que nos dê a Paz e a Luz e a Vida que nenhum ódio venceu,
Porque sabes onde estiver esse Deus estarás tu, estarei eu,
É um Deus que dá pelo nome
A.M.O.R.
E tu perguntas como se chama esse Deus e eu digo:
A.M.O.R.

E os tristes e os fracos dizem:
A.M.O.R.
E são poucos os loucos que não tem
A.M.O.R
E é por isso que eu quero que tu digas comigo A.M.O.R.
E alguém na rua diz
A.M.O.R.
E eu digo mais uma vez
A.M.O.R.
Chama-se
A.M.O.R.

 (Pedro Abrunhosa/Pedro Abrunhosa)


~~ * ~~

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

{ lavar o olhar }

Quero pintar o sol
Esquecer meu penar
Descansar no verde
e nele ficar...

Quero cantar o rio
Lavar meu olhar
Subir para o azul
e nele voar ...

Quero beber a chuva
Saborear o ar
Brincar com o vento
e nele acalmar...

Quero uma nova História
Um novo contar
Um mundo fraterno
e nele sonhar...

Fê blue bird

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

A Mente Livre Está em Perigo

desenho crayon da minha amiga Léah

"A nossa espécie é a única espécie criativa, e tem apenas um único instrumento criativo, a mente e espírito únicos de cada homem. Nunca nada foi criado por dois homens. Não existem boas colaborações, quer em arte, na música, na poesia, na matemática, na filosofia. De cada vez que o milagre da criação acontece, um grupo de pessoas pode construir com base nela e aumentá-la, mas o grupo em si nunca inventa nada. A preciosidade reside na mente solitária de cada homem.

E agora existem forças que enaltecem o conceito de grupo e que declararam uma guerra de exterminação a essa preciosidade, a mente do homem. Através das mais variadas formas de pressão, repressão, culto, e outros métodos violentos de condicionamento, a mente livre tem sido perseguida, roubada, drogada, exterminada. E este é um rumo de suicídio colectivo que a nossa espécie parece ter tomado.

E é nisto que eu acredito: que a mente livre e criativa do homem individual é a coisa mais valiosa no mundo. E é por isto que eu estou disposto a lutar: pela liberdade da mente tomar qualquer direcção que queira, sem direcção. E é contra isto que eu vou lutar com todas as minhas forças: qualquer religião, qualquer governo que limite ou destrua o indivíduo. É isto que eu sou e é esta a minha causa. Posso até compreender que um sistema baseado num padrão tenha que destruir a mente livre, pois esta é a única coisa que pode inspeccionar e destruir um sistema deste tipo. Concerteza que compreendo, mas lutarei contra isso por forma a preservar a única coisa que nos separa das restantes espécies. Pois se a mente livre for morta, estaremos perdidos.

John Steinbeck, in 'A Leste do Paraíso'

~~ * ~~

a ouvir... Sia - Bird Set Free 

Bird Set Free
Clipped wings, I was a broken thing
Had a voice, had a voice but I could not sing
You would wind me down
I struggled on the ground
So lost, the line had been crossed
Had a voice, had a voice but I could not talk
You held me down
I struggle to fly now

But there's a scream inside that we are frightened
We hold on so tight, we cannot deny
Eats us alive, oh it eats us alive
Yes, there's a scream inside that we are frightened
We hold on so tight, but I don't wanna die, no
I don't wanna die, I don't wanna die

I'm not gon' care if I sing off key
I find myself in my melodies
I sing for love, I sing for me
I shout it out like a bird set free
No I don't care if I sing off key
I find myself in my melodies
I sing for love, I sing for me
I'll shout it out like a bird set free
I'll shout it out like a bird set free
I'll shout it out like a bird set free

Now I fly, hit the high notes
I have a voice, have a voice, hear me roar tonight
You held me down
But I fought back loud

But there's a scream inside that we are frightened
We hold on so tight, we cannot deny
Eats us alive, oh it eats us alive
Yes, there's a scream inside that we are frightened
We hold on so tight, but I don't wanna die, no
I don't wanna die, I don't wanna die

I'm not gon' care if I sing off key
I find myself in my melodies
I sing for love, I sing for me
I shout it out like a bird set free
No I don't care if I sing off key
I find myself in my melodies
I sing for love, I sing for me
I'll shout it out like a bird set free

I'll shout it out like a bird set free
I'll shout it out like a bird set free
I'll shout it out like a bird set free
I'll shout it out like a bird set free
I'll shout it out like a bird set free


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

"Gosto dos meus erros; não quero prescindir da liberdade deliciosa de me enganar." *

* Charles Chaplin

Conseguem ver as mulheres nas imagens?

Jörg Düsterwald


Estas fotografias são o resultado de muitas horas de maquilhagem e muitos anos de experiência do artista alemão Jörg Düsterwald de 49 anos, vencedor de vários prémios de pintura, consagrou-se na arte de camuflar pessoas em paisagens. O seu desafio é "enganar o olho humano".

 ~~ * ~~

E por falar em enganar, a empresa Sacla, uma das empresas de produtos alimentares mais progressistas de Itália, fez uma grande surpresa numa escola primária de Buckinghamshire, encenando uma ópera improvisada na cantina à hora de almoço.
Quatro cantores de ópera disfarçados como pessoal da cantina, invadiram a sala e começaram a cantar um medley empolgante dos clássicos italianos de Verdi, Puccini e Rossini.
O desempenho impressionante dos cantores emocionou as crianças, cujas reacções de espanto,medo e alegria foram capturadas pelas câmaras instaladas nos bastidores. 



~~ * ~~


terça-feira, 10 de novembro de 2015

Quem vai ganhar ?

O "Golden Retriever" da esquerda ou o da direita ?

Bem, o melhor é chamar um árbitro isento e justo ! :)

 {Qualquer semelhança com a política nacional é pura coincidência.}

"O que realmente nos separa dos animais é a nossa capacidade de esperança."
José Saramago

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

{ para a minha filha...

...que hoje faz 26 anos. }
© Katie m. Berggren

Que nunca te falte:
A estrada que te leva e a força que te levanta
O amor que te humaniza e a razão que te equilibra
O pão de todo dia e o verso de cada poema.

[Lou Wit]

~~ * ~~



Querida Filha:
 embora as saudades sejam muitas
só quero que sejas feliz !
a minha filha -Tailândia

 Um grande beijinho da tua mãe que te adora !

Fê blue bird

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

{ quero acreditar }

 que ainda há histórias com final feliz.

ENYA / EL SUEÑO DE LAS HADAS 


imagem retirada daqui

MÃEZINHA

Andam em mim fantasmas, sombras, ais... 
Coisas que eu sinto em mim, que eu sinto agora;
Névoas de dantes, dum longínquo outrora;
Castelos d'oiro em mundos irreais...

Gotas d'água tombando... Roseirais
A desfolhar-se em mim como quem chora...
— E um ano vale um dia ou uma hora,
Se tu me vais fugindo mais e mais!...

Ó meu Amor, meu seio é como um berço
Ondula brandamente... Brandamente...
Num ritmo escultural d'onda ou de verso!

No mundo quem te vê?! Ele é enorme!...
Amor, sou tua mãe! Vá... docemente
Poisa a cabeça... fecha os olhos... dorme...

Florbela Espanca, in 'Antologia Poética'