quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

“Sound Of Silence”

Quem não se lembra do lendário duo Simon e Garfunkel dos anos sessenta e de um dos seus temas mais famosos "Sound of Silence". Uma melodia que tem resistido à passagem do tempo e da qual já fizeram  centenas de diferentes versões por todo o mundo. 
"Sound of Silence"  é uma chamada de atenção para a sociedade em que vivemos, pois podemos estar rodeados por milhares de pessoas e sentir-mo-nos completamente sós.
O aspecto surpreendente desta versão que hoje aqui coloco, é a forma como esta música tranquila e lenta, tocou o coração de um dos cantores mais radicais do heavy metal, o vocalista dos Disturbed, David Draiman, que a gravou dando-lhe o seu toque pessoal. 
Ainda que esta versão possa não ser do agrado de todos, vão ter que admitir que ela capta a emoção crua e intensa por trás da letra. Pessoalmente acho que David Draiman faz justiça à versão original. 
Apreciem :



The Sound Of Silence

Hello darkness, my old friend
I've come to talk with you again
Because a vision softly creeping
Left its seeds while I was sleeping
And the vision that was planted in my brain
Still remains within the sound of silence

In restless dreams I walked alone
Narrow streets of cobblestone
'Neath the halo of a street lamp
I turned my collar to the cold and damp

When my eyes were stabbed
By the flash of a neon light
That split the night
And touched the sound of silence

And in the naked light I saw
Ten thousand people, maybe more
People talking without speaking
People hearing without listening

People writing songs
That voices never share
And no one dare
Disturb the sound of silence

"Fools" said I, "you do not know
Silence like a cancer grows
Hear my words that I might teach you
Take my arms that I might reach to you"
But my words like silent raindrops fell
And echoed in the wells of silence

And the people bowed and prayed
To the neon God they made
And the sign flashed out it's warning
And the words that it was forming

And the sign said
"The words of the prophets
Are written on the subway walls
And tenement halls"
And whispered in the sound of silence

Simon & Garfunkel




31 comentários:

  1. Querida Fê, esta versão é bastante interessante, mas confesso que prefiro a interpretação original mais doce da dupla imbatível. Esta música é intemporal e capta, com mestria, os problemas da sociedade moderna - o vazio e a solidão. Para mim, não está só quem está sozinho, mas quem está desligado do mundo e dos outros.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  2. Adoro este tema, mas não conhecia esta versão, qualquer uma das duas me encanta.

    Beijos Fé

    ResponderEliminar
  3. Cada dia tenho mais pena de não saber inglês.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Ai, Garfunkel e a nossa adolescência! Eu gosto desta versão!
    Obrigada pela partilha!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Muito interessante está versão, mas prefiro a versão original.
    Gostei Fe, um abraço.

    ResponderEliminar
  6. Muito interessante está versão, mas prefiro a versão original.
    Gostei Fe, um abraço.

    ResponderEliminar
  7. Já ouvi em várias versões e posso dizer que gostei desta também ,uma belíssima música da dupla Simon & Garfunkel muitos beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Boa noite
    Muito bom de se ouvir, obrigada

    Beijo e uma noite feliz
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. Quem não lembra Fê?
    Mas esta versão depois de ouvi-la duas vezes realmente se encaixa perfeitamente.
    Uma excelente partilha amiga tive de compartilhar no G+
    Carinhoso abraço e beijo de paz amiga.

    ResponderEliminar
  10. ~~~
    Excelente interpretação!

    Velhinha e dramática, mas sempre atual.

    Quando aprenderá a humanidade a ser mais solidária?!

    ~~~ Beijinho amigo, Fbb. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  11. Gostei muito desta versão e das imagens do vídeo, Fê.

    Mas continuo com a mesma paixão pelo original a duas vozes, do Paul e do Garfunkel.

    De qualquer modo, seja qual for a versão, a mensagem e a emoção estará sempre lá.

    Um beijinho grande,

    Janita

    ResponderEliminar
  12. Eu não adorei!... AMEI!!!!!!!!!!!
    É brutal de boa esta versão! É mesmo um daqueles casos... dos poucos, diga-se... em que acho esta versão, tão boa ou melhor do que a original! E nunca pensei dizer isto sobre as músicas de Simon & Garfunkel!
    Uma tremenda duma partilha, Fê! Uma das melhores descobertas em termos musicais, que já me deram a conhecer ultimamente!...
    Andava eu a cozinhar um post sobre o silêncio... e nada melhor do que esta música para combinar com o mesmo... é claro, que se a Fê não se importar, quando eu o fizer, coloco um link para o seu blog... pois o mérito de quem me deu a conhecer esta versão poderosa e maravilhosa, é todo seu!
    Beijinhos! E grata por esta partilha extraordinária!...
    Ana

    ResponderEliminar
  13. Boa noite Fê, para mim uma das canções mais bonitas de sempre nas vozes inconfundiveis de Art e Garfunkel. Vou mais tarde ouvir a outra versão (estou no tele;)) e dir-lhe ei a minha opinião. Fiquei curiosa com essa nova versão.
    Um beijinho.
    Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fê acabei de ouvir e ver esta obra prima. Um vídeo fantástico e uma voz fabulosa. Vou ouvir muitas vezes. Muito obrigada por ter partilhado. Bjs e uma boa noite.

      Eliminar
    2. Ainda voltei para dizer que apesar de uma interptetação diferente em nada desvirtua o original. A emoção está toda lá. Bjs

      Eliminar
  14. Fê, que lindo uma delícia de ouvir!Bela versão!!"
    Beijos
    Amara

    ResponderEliminar
  15. Uma excelente surpresa.
    No início muito fiel ao original, depois muito mais heavy.
    Gostei muito!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  16. Oi Fê eu aprecio as duas,pois são imbatíveis.
    Adorei esse video.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  17. Prefiro sempre os originais às versões.

    Fico contente, porém, com o facto de ele ter dado a uma canção belissima o devido valor

    Beijinhos. amiga

    ResponderEliminar
  18. Olá Fê,

    Maravilhosa versão. E como ele a interpreta com emoção!
    A música é linda e poderá atravessar gerações encantando e emocionando, seja em que versão for.

    Que bom que você gostou do novo visual do meu blog. Ainda estou ensaiando, mas de todas as tentativas, a melhor ainda é a que está no blog.

    Belos dias.

    Obrigada pela visita. Ainda ficarei ausente por uns dias, mas continuarei retribuindo todas as visitas.

    Beijão.

    ResponderEliminar
  19. Impossível resistir a esta sua descoberta musical, Fê!...
    Encaixou-se perfeitamente no tema que eu tinha prestes a sair... e tal como afirmei, deixei, por lá na minha chafarica, um link para aqui.
    Espero que a Fê, não se importe!...
    Beijinhos!
    Ana

    ResponderEliminar
  20. Muito bom!!

    Beijos-visite-me- aqui-http://quadrasepensamentos.blogspot.pt/

    Obrigada

    ResponderEliminar
  21. O original desta canção ainda permanece na minha memoria. Passei este disco algumas semanas no "top equipa", estava eu no radio clube do Bié. Grandes momentos. Um excelente escolha, não desvirtua o original.
    Bj

    ResponderEliminar
  22. Boa tarde, não conhecia esta versão dos Disturbed, conheço a banda mas não sabia da versão, tenho o original em vinil, é um clássico que está sempre actualizado. assim como, é agradável de ouvir, quando oiço este e outros clássicos, faz-me lembrar os bailaricos particulares.
    AG

    ResponderEliminar
  23. Se eu não conhecesse a versão original, maravilhosamente interpretada por Paul Simon & Art Garfunkel, era capaz de ouvir, mais que uma vez, esta tua proposta que não está má de todo.
    Mas não, não consigo libertar-me dos anos 60.
    Quanto aos Disturbed, nada tenho a dizer.
    Beijinho, Fê.

    ResponderEliminar
  24. Adoro essa canção. Apesar da triste letra.
    Quero te desejar um feliz 2016 cheio de alegria e felicidade.

    ResponderEliminar
  25. Um eterno "The sound silent".
    quantas vezes não vale mais um silêncio, embora eu prefira a voz :)
    Mas certamente muita gente se sente só acompanhada.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  26. Gosto muito de todas as músicas deles, comecei a ouvi-los porque uma das minhas irmãs era fã e estava a sempre a colocá-las bem alto para todos ouvirmos.

    ResponderEliminar
  27. Olá, Fê.
    Manifesto a minha ignorância em relação ao grupo Disturbed, que não conheço (fui ver no Youtube as músicas, que não são nada o meu estilo), mas fui fã de Paul Simon & Art Garfunkel, tenho aqui o álbum deles, que me ofereceram nos anos 80, e com esta maravilhosa canção.
    Contudo, gostei de ouvir esta versão do vocalista dos Disturbed, talvez pela sua voz rouca e forte que capta a mossa atenção para o vídeo, sem dúvida, fabuloso; na realidade, os sons do silêncio que sussurram o que se passa neste nosso planeta: terrorismo, a guerra do século XXI, a fuga e o desespero dos povos.
    Parabéns pelo post.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  28. É uma adaptação muito segura, pois é muito fiel nas entoações da voz e no ritmo da original. Por isso não choca. E se não choca as pessoas aceitam. Se o único fator "chocante" é ser cantada por alguém do universo rock - puf! Isso quer dizer o quê exatamente? Isso não é motivo algum de choque. Se fosse cantada por MIM, isso sim, seria um PAVOROSO CHOQUE!!!

    ResponderEliminar



Obrigada por estarem desse lado!
Fê Blue Bird