quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Deixa-me ser como sou.


@

Deixa-me rir, brincar 
como criança feliz
sem medo.
Deixa-me fingir, ser bela
 princesa adormecida
sem nome.
Deixa-me sonhar, tentar
 escrever um poema
sem nexo.
Deixa-me cantar, desafinar
numa voz de menina
travessa.
Deixa-me dizer, contradizer 
querer e não querer
não ligues.
Deixa-me ser como sou
pássaro fugidio
e renascer a cada instante
como menina
 mulher
 e amante!




 
cliquem para ouvir - Deixa-me Rir - Jorge Palma

~~*~~

35 comentários:

  1. Nada como a liberdade de poder ser autênticos, não é? Lindo! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  2. Lindo poema. Amei,
    Adoro Jorge Palma.

    Beijinhos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Simplesmente maravilhoso o poema.
    ...gosto muito de Jorge Palma!
    O olhar é lindo!!! Bj amigo

    ResponderEliminar
  4. Que sejas tudo aquilo que te leve ao encontro da felicidade!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  5. Adorei o teu belíssimo poema, querida amiga.
    Sabes que eu também tenho absoluta necessidade
    de cultivar a menina que tenho em mim.
    Um 'post' perfeito, de acordo contigo...
    ~~~~ Alegres abraços menineiros ~~~~

    ResponderEliminar
  6. Maravilhosa querida amiga que sejamos livres e únicos no viver ,desejo-lhe uma noite muito feliz ,beijinhos no coração

    ResponderEliminar
  7. Muito lindo o poema, querida Fê. A imagem soberba...:)

    Fiquei com a sensação de já o ter lido aqui antes, de me ser familiar. Gostei de mais, é mesmo um hino ao desejo de ser livre, como um passarinho! :)

    Beijinhos, sem te contradizer.

    ResponderEliminar
  8. Deixa-me rir, brincar
    como criança feliz
    sem medo.

    DEIXO

    Deixa-me fingir, ser bela
    princesa adormecida
    sem nome.

    DEIXO

    Deixa-me sonhar, tentar
    escrever um poema
    sem nexo.

    DEIXO

    Deixa-me cantar, desafinar
    numa voz de menina
    travessa.

    DEIXO

    DEIXO

    Deixa-me dizer, contradizer
    querer e não querer
    não ligues.

    DEIXO

    Deixa-me ser como sou
    pássaro fugidio
    e renascer a cada instante
    como menina
    mulher
    e amante!

    NÃO DEIXO
    QUEM A TANTO PEDE PERMISSÃO
    NÃO TEM DIREITO
    QUE DEIXE A TANTO

    (não acredites em tudo que escrevo, e o Jorge é meu irmão)

    Deixa-me dizer, contradizer
    querer e não querer
    não ligues.
    Deixa-me ser como sou
    pássaro fugidio
    e renascer a cada instante
    como menina
    mulher
    e amante!


    ResponderEliminar
  9. Liberdade de ser, de deixar as emoções fluierem, ora menina ora mulher ora amante, afinal tudo faz parte de ser MULHER:
    Adorei o poema e a música.

    Beijinhos Fê

    ResponderEliminar
  10. Lindo!
    Como sempre uma postagem que nos deixa sempre com vontade de vir te visitar.
    Bjus

    ResponderEliminar
  11. Seu belo poema “Deixa-me ser como sou”, e
    “Deixa-me rir”, como Jorge Palma,
    enriqueceram esta postagem.
    Parabéns Fê.
    Abraços.
    Pedro.

    ResponderEliminar
  12. Um belo poema minha amiga e é sempre um prazer ouvir Jorge Palma.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
  13. A liberdade nos permite tudo isso.
    Belas palavras Fê!
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  14. A liberdade da criação em dizeres belíssimos
    Uma explosão de talento Fê
    Beijos

    ResponderEliminar
  15. Ser livre nem sempre é fácil!

    Beijos, Fê :)

    ResponderEliminar
  16. Um belíssimo poema amiga. Gostei muito.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  17. Enquanto ia lendo o teu poema, Fê, ia-me lembrando da canção do Jorge Palma. Muito bonito.

    Beijinho risonhos...

    ResponderEliminar
  18. Como negar um pedido de liberdade como este? Viva sempre esta vontade de “rir, brincar, como criança feliz, sem medo” e não precisa fingir que és bela, pois tu és, menina linda, e essa princesa que está a despertar dentro de ti tem também um lindo nome, Fernanda. Podes sonhar e “tentar escrever um poema sem nexo, podes cantar e “desafinar numa voz de menina travessa”, porque não iremos ligar quando tu quiseres “dizer, contradizer, querer e não querer” pois dá para entender estas contradições que vez em quando assolam a alma. Tu podes ser como tu és um “pássaro fugidio” e podes também “renascer a cada instante como menina, mulher e amante!”
    Que lindo o teu poema, minha querida! Uma doçura de se ler ao qual não pude me furtar de ‘passear’ nos versos. No vídeo, uma música e um intérprete que fiquei a conhecer, e que tanto gostei.
    Também uma bela imagem! Apenas não consegui assistir o vídeo.
    Fê, resolvi voltar a fazer postagens lá no meu espaço, como uma forma de fazer catarse dos sentimentos sofridos que no momento estão a me acompanhar.
    Espero, minha linda, que as horas dos teus dias sejam preenchidas com alegria, amor e paz.
    Fica um beijo carinhoso do meu para o teu coração,
    Leninha

    ResponderEliminar
  19. Com tão belo pedido em poesia, deixamos amiga.
    Uma linda inspiração para uma construção perfeita.
    Ao som de uma canção que faz viajar.
    Abraços amiga.
    Bjs de paz e lindo fim de semana.

    ResponderEliminar
  20. Bonito poema, FBB, de verdade e paixão.

    Deixa-me ser como sou
    Só assim sei que te dou
    Por inteiro o que sou

    Bj

    ResponderEliminar
  21. A passar por cá para desejar um ótimo dia!


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  22. "Deixa-me dizer-te" que achei o teu poema maravilhoso !
    Quantas vezes gostaríamos de ser como somos, ou tentarmos viver e ser como gostaríamos e as "amarras" da sociedade em que vivemos não nos permitem e olham-nos de lado ?! ...
    Aos adultos isso não nos é permitido e é pena !

    Beijinhos, Querida Amiga !

    ResponderEliminar

  23. tão lindo poema!
    que já vejo o seu libertar como um pássaro
    que voa a realizar todos os seus desejos!

    bjs

    ResponderEliminar
  24. Fê lindo poema e uma canção que adoro ouvir. Todos devíamos lutar por sermos quem somos. Não é fácil numa sociedade como a que vivemos, onde se critica só pelo belo prazer de se ser contra mas, eu, nunca soube ser aquilo que não sou. Tive alguns problemas, tive, no entanto deu-me sempre muito prazer fazer, dizer e ser aquilo que era e sou. Ser aquilo que se é é saudável.
    Vou ficar a ouvir essa canção maravilhosa. Beijinhos

    ResponderEliminar
  25. Belíssimos versos embalados por linda canção,Fê querida
    Tenha um feliz fim de semana.
    Beijinhos de
    Verena e Bichinhos.

    ResponderEliminar
  26. Amiga Querida que linda poesia e esta linda música.Parabéns pela inspiração,
    Beijinhos, Léah

    ResponderEliminar
  27. Seria uma dádiva, Fê, se pudéssemos ser como somos sem um 'Ué' ou uma palavrinha que desfaça, que diga que não é, que não podemos etc. Só virando a mesa para dizermos 'sou assim e pronto'. Na verdade somos criaturas que queremos dominar, queremos que os outros sejam à nossa semelhança.Para sermos autênticos precisamos matar um leão por dia. Mas damos nosso grito de independência, não há dúvida! Com certo trabalho chegaremos no ponto certo.
    Beijo, amiga. Gostei imenso, poema criativo, batalhador...

    ResponderEliminar
  28. Obrigada Fê pela visita e palavras em meu blog.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  29. Felizmente, sou livre!!

    Mas o preço foi/ é bem alto, não nego.Porém, vale a pena !

    Beijinhos e bom fim de semana, amiga

    ResponderEliminar
  30. Sejas como és - feliz!
    Menina, mulher e amante
    Da poesia, o bastante
    Expondo o que o coração diz.

    Eu sou um pobre aprendiz
    A poeta, não obstante,
    Versejo como um errante
    Vate falso a que me fiz.

    Arremedo em poesia
    Numa vaga fantasia
    Divagando atrás do belo.

    Não crio, como alguém cria,
    Imito. E em taça vazia
    Bebo, qual polichinelo.

    ResponderEliminar
  31. Deixar fluir o que somos é um ato de amor para si mesmo. Lindo poema! Beijos.

    ResponderEliminar
  32. Um belíssimo poema!
    E adoro esta música do Jorge Palma :)
    beijinhos e bom domingo

    ResponderEliminar
  33. É a nossa maior liberdade... podermos ser como somos...
    Um poema fantástico... e como sempre, uma escolha musical de primeira, a acompanhar...
    Beijinhos! Boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
  34. Deixar ser
    o ser fantástico que é <3
    Beijinhos

    ResponderEliminar



Obrigada por estarem desse lado!
Fê Blue Bird