quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

E se ...

E se de uma criança faminta um país acordasse

E se de uma vala imunda uma flor perfumasse
 
E se de um jovem perdido um futuro brilhasse

E se de uma janela fechada um rosto saudasse

E se de uma mulher maltratada uma mão ajudasse

 E se de uma mão estendida outra mão lhe pegasse

E se de um homem sem destino um rumo tomasse

E se de um mundo dividido uma união brotasse

E se de um corpo sofrido alguém abraçasse

 E se de um coração partido um amor o colasse

 E se do cano duma pistola um pássaro cantasse.






terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Pai luta para vestir os seus filhos gémeos

Como muitos sabem, vestir um bebé de 10 meses pode ser uma tarefa difícil, imaginem agora se forem dois.
Nesta fase os bebés não param quietos, principalmente na hora de mudar a fralda, tomar banho, praticamente qualquer coisa que os obrigue a ficar quietos.
Neste vídeo um pai tenta vestir os pijamas aos seus filhos gémeos na cama.  Assim que ele tenta vestir um, o outro rola e tenta sair da cama. No entanto, o pai nunca desiste! Após o que se parece uma eternidade, ele finalmente consegue que os dois rapazes estejam prontos para dormir. Tudo isto enquanto a mãe rebolava no chão de tanto rir .
Ufa... Acho que o pai também precisa de descansar :)

Apreciem :


~~*~~

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Esta Gente...

Esta gente cujo rosto
Às vezes luminoso
E outras vezes tosco

Ora me lembra escravos
Ora me lembra reis

Faz renascer meu gosto
De luta e de combate
Contra o abutre e a cobra
O porco e o milhafre

Pois a gente que tem
O rosto desenhado
Por paciência e fome
É a gente em quem
Um país ocupado
Escreve o seu nome

E em frente desta gente
Ignorada e pisada
Como a pedra do chão
E mais do que a pedra
Humilhada e calcada

Meu canto se renova
E recomeço a busca
De um país liberto
De uma vida limpa
E de um tempo justo

Sophia de Mello Breyner Andresen, in "Geografia"



Tereza Tarouca -  Poema de Sophia de Mello Breyner Andresen
Música de Lima Brummon

domingo, 24 de janeiro de 2016

JÁ VOTEI !


Carolina Beatriz Ângelo, foi a primeira mulher a votar em Portugal a 28 de maio de 1911. Sufragista, destacou-se como militante da Liga Republicana das Mulheres, fundadora e presidente da Associação de Propaganda Feminista.
A primeira lei eleitoral da República Portuguesa reconhecia o direito de votar aos «cidadãos portugueses com mais de 21 anos, que soubessem ler e escrever e fossem chefes de família».
Carolina Ângelo viu nesta redacção da lei a oportunidade de a subverter a seu favor, dado que, gramaticalmente, o plural masculino das palavras inclui o masculino e o feminino. Viúva e com uma filha menor a cargo, com mais de 21 anos e instruída, dirigiu ao presidente da comissão recenseadora do 2º bairro de Lisboa um requerimento no sentido de o seu nome «ser incluído no novo recenseamento eleitoral a que tem de proceder-se».
De forma a evitar que tal exemplo pudesse ser repetido, a lei foi alterada no ano seguinte, com a especificação de que apenas os chefes de família do sexo masculino poderiam votar.
Carolina Beatriz Ângelo faleceu, aos 33 anos, no mesmo ano em que conseguiu algo histórico, 1911, a 3 de Outubro.




sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

DONA MARIA !

Simplesmente feliz.
Dona Maria é uma mulher brasileira de 55 anos. Ela é uma ex-sem-terra e  no vídeo em baixo conta-nos o quanto batalhou para conseguir o seu tão sonhado pedacinho de terra do qual retira o seu sustento com muito suor e trabalho.
Dona Maria, relata-nos também que não tem dinheiro para comprar um chinelo novo, mas isso está longe de ser um problema. Ela vai todas as noites para a escola, onde realiza um outro sonho: o de ser alfabetizada. “Minha pobreza é essa daqui“, diz ela apontando para o chinelinho velho, que conserta usando pregos.
Entretanto, apesar de todas as dificuldades que muitos de nós nem sequer imaginamos, ela mantém a alegria durante todo o depoimento, fala da professora Esmerina que a ajuda a reconhecer as letras do alfabeto e a escrever seu próprio nome. Vejam o seu depoimento completo:



Este vídeo faz parte do documentário 'HUMAN' do fotógrafo francês Yann Arthus-Bertrand, que tem a finalidade de encontrar aquilo que nos torna, simplesmente, humanos. 'HUMAN' está disponível integralmente no Youtube.


BOM FIM DE SEMANA !

 

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Quem me sabe responder ?

 A árvore perguntou ao vento:
-Vento, porque me despes e me expões assim? 
Não sabes que preciso das folhas para compor o meu corpo e dar sombra a quem precisa?


 O vento respondeu :


-Árvore, tudo na vida tem um propósito, o meu é desfolhar-te todos os anos para florires de novo, ainda mais bela do que dantes.

Pergunto:

- Será que toda a renovação precisa de dor e de desnudamento, ou haverá outra maneira de voltarmos a florir?




a ouvir - Caitlin T. Delaney & Maximilian Mross
"Say Something" (A Great Big World) Cello and Piano Cover

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

O RISO É CONTAGIANTE !

Depois da terapia do abraço , vamos para a do riso :)
Todos já devem ter ouvido a expressão “rir é o melhor remédio”, está provado cientificamente que a acção de sorrir melhora o nosso sistema respiratório e imunológico, aumenta a oxigenação sanguínea, além de provocar a libertação de substâncias no nosso corpo que diminuem o stress e que ajudam a diminuir a dor. Não nos podemos esquecer também de que sorrir nos aproxima de outras pessoas, ajudando na nossa inserção social. O bem-estar causado pelo riso é notável e, por isso, a risoterapia já é usada em vários hospitais como forma de melhorar a qualidade de vida do paciente. 
 Assim sendo, vamos espalhar o riso por aí!

E QUE TAL JUNTARMOS ABRAÇO E RISO!

 Depois de verem este vídeo não acredito que não estejam a sorrir :)


"Rirmos juntos é melhor do que falar a mesma língua. Ou talvez o riso seja uma língua anterior que fomos perdendo à medida que o mundo foi deixando de ser nosso."

Mia Couto 

~~ * ~~

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

ABRAÇA-ME !


Há abraços que te abraçam inteira.
Há abraços feitos de mãos a chamar-te, a segurar-te.
Há abraços feitos de olhos a olhar-te, a ler-te, até de olhos fechados.
Há abraços feitos de corpos a fundir-se, de almas a sorrir-se.
Há abraços feitos de respirações e corações compassados.
Há abraços feitos de sossego, de cura.
Há abraços feitos de mundo.
E há, o teu abraço ! 
Jinchul kim


CLANDESTINOS DO AMOR

Vivemos sempre sem pedir licença
cantávamos cantigas proibidas
Vencemos os apelos da descrença
que não deixaram mágoas nem feridas

Clandestinos do Amor, sábios e loucos
vivemos de promessas ao luar
Das noites que souberam sempre a pouco
sem saber o que havia para jantar

Mas enquanto olhares para mim eu sou eterna
estou viva enquanto ouvir a tua voz
Contigo não há frio nem inverno
e a música que ouvimos vem de nós

Vivemos sem saber o que era o perigo
de beijos e de cravos encarnados
Do calor do vinho e dos amigos
daquilo que para os outros é pecado

Tu sabias que eu vinha ter contigo
pegaste-me na mão para dançar
Como se acordasse um sonho antigo
nem a morte nos pode separar

Nós somos um instante no infinito
fragmento à deriva no Universo
O que somos não é para ser dito
o que sente não cabe num só verso

Enquanto olhares para mim eu sou eterna
estou viva enquanto ouvir a tua voz
Contigo não há frio nem inverno
e a música que ouvimos vem de nós.


a ouvir - Ana Moura

Tema do filme: "Os gatos não têm vertigens"
de António-Pedro Vasconcelos

~~ * ~~

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

“Sound Of Silence”

Quem não se lembra do lendário duo Simon e Garfunkel dos anos sessenta e de um dos seus temas mais famosos "Sound of Silence". Uma melodia que tem resistido à passagem do tempo e da qual já fizeram  centenas de diferentes versões por todo o mundo. 
"Sound of Silence"  é uma chamada de atenção para a sociedade em que vivemos, pois podemos estar rodeados por milhares de pessoas e sentir-mo-nos completamente sós.
O aspecto surpreendente desta versão que hoje aqui coloco, é a forma como esta música tranquila e lenta, tocou o coração de um dos cantores mais radicais do heavy metal, o vocalista dos Disturbed, David Draiman, que a gravou dando-lhe o seu toque pessoal. 
Ainda que esta versão possa não ser do agrado de todos, vão ter que admitir que ela capta a emoção crua e intensa por trás da letra. Pessoalmente acho que David Draiman faz justiça à versão original. 
Apreciem :



The Sound Of Silence

Hello darkness, my old friend
I've come to talk with you again
Because a vision softly creeping
Left its seeds while I was sleeping
And the vision that was planted in my brain
Still remains within the sound of silence

In restless dreams I walked alone
Narrow streets of cobblestone
'Neath the halo of a street lamp
I turned my collar to the cold and damp

When my eyes were stabbed
By the flash of a neon light
That split the night
And touched the sound of silence

And in the naked light I saw
Ten thousand people, maybe more
People talking without speaking
People hearing without listening

People writing songs
That voices never share
And no one dare
Disturb the sound of silence

"Fools" said I, "you do not know
Silence like a cancer grows
Hear my words that I might teach you
Take my arms that I might reach to you"
But my words like silent raindrops fell
And echoed in the wells of silence

And the people bowed and prayed
To the neon God they made
And the sign flashed out it's warning
And the words that it was forming

And the sign said
"The words of the prophets
Are written on the subway walls
And tenement halls"
And whispered in the sound of silence

Simon & Garfunkel




segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Mãe...


... estou zangada.
Sim, este é o meu sentimento. Nem triste, nem revoltada, mas zangada.
A felicidade por teres envelhecido e te saber presente, não dilui esta zanga cravada no peito, que tanto dói e me sufoca.
... estou zangada por te estar a perder todos os dias mais um bocadinho.
Por não conseguir interagir contigo.
Por me ralhares sem motivo só porque não estás bem. 
Por já não saber que fazer para te ajudar a suportar a vida.
Estou tão zangada mãe. 
Até estou zangada por apreciar a vida e ter momentos só meus. 
Mãe, deixei de reconhecer no teu olhar a cumplicidade que nos unia, perdeu-se ...e eu, por mais que busque não consigo encontrá-la.
Sabes mãe, pensava que o nosso grande amor bastava, e zango-me por perceber que amar-te já não chega.



sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Metamorfose

Enzokk


Marianne Williamson
 Lentamente... 
despiu a velha pele que a cobria
  cada pedaço, uma memória,
uma saudade. Um passado que partia.
 
Lentamente...
cresceram asas e nova pele renascia
cada asa, uma conquista,
uma dádiva. Um presente que teria.

 
Lentamente...
  numa pedra, numa flor, pousaria
cada uma, uma esperança,
 uma incógnita. Que futuro alcançaria ...

Marianne Williamson




a ouvir - Chad Lawson: Heart in Hand

~~*~~

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Viva La Vida


"Eu te desejo um Norte 
que é pra teres um caminho, um lugar, um objectivo, um sonhar.
 Eu te desejo muitos dias recheados de amor e poesia. 

 Eu te desejo o melhor. 
 Hoje, amanhã e sempre,
 porque meu coração (não senhor!) não guarda rancor.

 E tu, se puderes, me faz um favor:
 me deseje também o bem, 
que a gente (sabia?) só colhe o que tem.

 E apesar de todos os (a)pesares 
 Eu te desejo ALEGRIA.
 Porque sem ela, nem o sofrer teria razão de ser. 

Eu te desejo tudo que há de mais sagrado em mim: 
 eu te desejo VIDA." 

 Dulce Miller 



a ouvir - David Garrett / Viva La Vida

domingo, 3 de janeiro de 2016

RECOMEÇAR !


A primeira camélia- foto tirada no quintal da minha mãe

"Revirei aquela gaveta onde se guarda tudo de importante: amor, alegria, sorrisos, fé…..
Como foi bom!!!
Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, perfumei na esperança, passei um paninho nas minhas metas e deixei-as à mostra.
Coloquei nas gavetas de baixo lembranças da infância; em cima, as de minha juventude, e... pendurado bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar... e de recomeçar..." 

Martha Medeiros

a ouvir - Gregorian & Sarah Brightman - Moment of Peace