quinta-feira, 24 de março de 2016

Páscoa Feliz !


Deusa Ishtar, Astarte, Inanna, Afrodite ou Isis

O VERDADEIRO SIGNIFICADO DA PÁSCOA ::

Em muitos idiomas, como o português, o nome Páscoa deriva-se do hebraico “Pesach” que significa “Passagem” ou “Passover” no inglês, mas as nações de língua inglesa chamam a Páscoa de “Easter”, palavra derivada do nome da deusa teutônica “Ostra” (em escandinavo) ou “Ostern” e “Eastre” (para os nórdicos), que tem sua origem na mitologia desses povos, cuja essência principal era a da fertilidade na primavera. 
“Ester” do Antigo Testamento é uma repetição da deusa Ishtar.
Ishtar é a deusa dos acádios, herança dos seus antecessores sumérios, cognata da deusa Astarte dos filisteus, de Isis dos egípcios, Inanna dos sumérios e da Afrodite, dos Gregos.
Astarte, Astoreth ou Isis, de quem vem Páscoa (“Easter”), cujo reino e significado longínquo pouco é dito ou reconhecido pela nossa actual sociedade, era representada pelo planeta Vénus.
Inanna-Ishtar leva-nos de volta a um tempo onde o Feminino era activo, dinâmico, poderoso, com os dons da paixão, do riso, e da graça envolvente. Os sumérios viam Inana como uma metáfora para o Divino na Matéria, e eu vou mais longe, para afirmar que Inana/Ishtar é alegria, conexão, paixão, entusiasmo e força; a guerreira que mantém sua posição com integridade, como não-vítima.
Ela representa a força e o encantamento da existência sob a forma feminina, e para tanto é autocentrada, auto definida e independente.
Inana/Ishtar é o arquétipo mesopotâmico do Feminino Dinâmico e Não Maternal. O arquétipo da Grande Mãe nos alimenta a partir do útero e dá-nos sustento ao longo de toda infância e anos subsequentes do ponto de vista da protecção e aceitação total. Por outro lado, as deusas dinâmicas e não maternais aparecem quando estamos no limiar do portal que nos levará à maturidade e plenitude, quando nos sentimos aptos para tomar as rédeas de nossas vidas com nossas próprias mãos.[...]
Na Antiguidade era comum o culto aos deuses através de rituais e Ishtar tinha alguns rituais de carácter sexual, uma vez que era a deusa da fertilidade.
Um ritual importante ocorria no equinócio da primavera, onde os participantes pintavam e decoravam ovos (símbolo da fertilidade) e os escondiam e enterravam em tocas nos campos.
O Equinócio da Primavera marcava, para os antigos, o início do Ano e princípio do ciclo sazonal das Estações. O momento de fertilizar a terra e renovar sua força e vitalidade que seria transformada no inicio do Verão em Abundância e Fartura.
A Páscoa, portanto, simboliza a capacidade que o ser humano possui de renascer e de renovar-se a cada ciclo do tempo. Esta capacidade está associada à condição de libertar-se de tudo o que é velho e abrir-se para o novo.
Na simbologia cósmica, significa o renascimento da Terra em sua força de fertilidade (primavera) após um período de morte (inverno).
O Ovo em muitas culturas representa o símbolo da imortalidade, da ressurreição e da abundância da vida que se manifesta na Primavera. É o símbolo representativo da Criação entre os Chineses, os Egípcios, os Gregos, os Romanos, os Persas e outros povos.
A Lebre está, aqui, associada à Lua que é também o planeta regente da Reprodução, da Fertilidade e da Maternidade. A Lebre, pela sua grande fertilidade e facilidade reprodutiva, tem sido objecto dos mais variados mitos populares. A Lebre chega a ter 42 crias por ano e associa-se também a ideia de Longevidade e de Imortalidade.
Nesta data, as vibrações estão centradas na comemoração da “Páscoa – Passagem” e as energias geradas nestas celebrações estão voltadas para os processos de libertação, comunhão com o Sagrado e o renascimento.
Aproveite este momento fazendo uma imersão. Vibre nestas energias, libertando-se do que não tem mais sentido e preparando-se para renascer para uma vida melhor.
Nesta Páscoa, que a paz e o espírito de renovação estejam presentes em seu coração, abrindo-lhe novos caminhos, outras possibilidades e trazendo-lhe a certeza de que uma nova etapa muito mais próspera e abundante se inicia, basta experimentar!!
Fonte: Dani Rossi


Agora sim faz-me sentido a palavra Páscoa, assim com o significado do Ovo e da Lebre ou Coelho.
 Independente da crença ou religião, desejo a todos os meus amigos e amigas,
 uma Páscoa Renovadora, Libertadora e principalmente muito Feliz!

Um beijinho e até para a semana!
Fê blue bird


DEVA PREMAL - Yemaya Assessu

segunda-feira, 21 de março de 2016

Para mim poesia...




é a primavera a dizer-me
BOM DIA !
é olhar nos teus olhos e ver
ALEGRIA
é sentir no teu beijo a doce
MAGIA
é dançar no teu corpo e vibrar
Ousadia
é  viver com o lema :

"HOJE É OUTRO DIA !

E para ti, o que é poesia ?


ERNESTO CORTAZAR - La vie en rose
{ recebi este vídeo da minha amiga Majo }

sábado, 19 de março de 2016

{ o nosso céu }

hoje da minha janela com o Cristo-Rei ao fundo - foto capturada às " 6:45 a.m."


Sabes Pai, aquela dor de cabeça que de vez em quando me visita, hoje fez-me levantar cedo.
Abri a janela e olhei o céu, estava tão lindo !
Nunca fomos de comemorar este dia, talvez porque todos os dias eram teus. 
Mas hoje, Pai, o céu comemorou-o! E senti-te presente !
A Mãe está bem, um pouco perdida no seu mundo e sentindo muito a tua falta.
Tentei levar-lhe hoje um pouco deste céu, mas não consegui, ele desapareceu... mas, no jardim que era dos dois, esta flor hoje brindou-nos, e eu soube nesse instante, que estava ali o nosso céu.

hoje às 11:45 a.m.



Um beijinho para sempre

F.




Hermana Glenda - "A Solas con Dios "

quarta-feira, 16 de março de 2016

{ auto-retrato }

 "A pintura abstracta liberta-me ! Pinto o que sinto, sem limitações nem modelos de perfeição."
Fê blue bird
CRESCIMENTO pintura minha , óleo sobre tela-conjunto de três quadros 80x40cm/cada-Janeiro 2016


 na parede da minha sala

~~*~~

a tristeza disfarço num sorriso
um carinho apaga a minha dor
 não quero mais do que preciso
  e acredito na amizade e no amor

 buscar a perfeição é um defeito
gostar de aprender  uma virtude
para escrever tenho algum jeito
e quando pinto atinjo a plenitude

em jovem não fui destemida
 não seguindo a minha vocação
cresci, fiz as pazes com a vida
esqueci os tempos que já lá vão

meus filhos são meu maior feito
dou-me por inteiro e por opção
pelos outros tenho respeito
e rimando abri meu coração
.


a ouvir - For Your Name Is Holy - Paul Wilbur

domingo, 13 de março de 2016

♥ Vamos brincar com a chica nº 8 ♥


A Chica, no seu blogue "Sementes da Chica", todas as semanas inventa uma palavra nova para "brincarmos". Eu sempre que posso participo, pois dá-me muito prazer brincar com as palavras e com todos os amigos que se associam a esta brincadeira, criando deste modo uma semente enorme de afectos e boa disposição.
Geralmente participo no meu outro blogue  ♥ I Love Cats ♥, mas como o coloquei em "Stand by" por tempo indeterminado, é aqui que a partir desta semana passo a fazer as minhas participações. 
Depois desta explicação, segue-se a minha frase e já agora, brinquem também :)


MESMO NUM CHINELO UM GATO CONTINUA BELO

A história da humanidade lamentavelmente já crucificou o gato, já o condenou, já o reduziu a interesseiro, traidor, que traz má sorte etc... Hoje felizmente, o gato cresce entre nós e vem ocupando cada vez mais o seu espaço merecidamente. 
Por isso, precisa ser melhor compreendido. Seus anseios, expectativas, afecto e independência mexem com o ser humano e são mal interpretados, por isso são tratados injustamente. 
Passar pela vida podendo compartilhar o nosso dia a dia com um gato, além de ser uma honra é uma grande aprendizagem.
O gato ama incondicionalmente o seu dono, sente a sua falta e sofre com isso. É chamado de “independente” como se fosse mau conseguir ser independente nos afectos e no amor!
A independência felina é um avanço da sua espécie que incomoda  quem não conhece verdadeiramente os gatos. Ser independente não significa ser alheio, frio e amar menos. 
Se o relacionamento humano fosse pautado um pouco mais  no comportamento felino, certamente seríamos mais felizes e teríamos uma convivência mais saudável .
O gato não disfarça, não se submete e continua nos amando incondicionalmente.  O gato sabe fazer companhia como ninguém. É fiel companheiro e adora estar por perto. 
Se nunca conviveram com um gato, está na hora de serem mais flexíveis e reverem a vossa posição. Adoptem um gato e podem ter a certeza que serão mais felizes. 

Eugénio de Andrade por Carlos Ferreira

 

"Acerca de Gatos" 


Em Abril chegam os gatos: à frente
o mais antigo, eu tinha
dez anos ou nem isso,
um pequeno tigre que nunca se habituou
às areias do caixote, mas foi quem
primeiro me tomou o coração de assalto.
Veio depois, já em Coimbra, uma gata
que não parava em casa: fornicava
e paria no pinhal, não lhe tive
afeição que durasse, nem ela a merecia,
de tão puta. Só muitos anos
depois entrou em casa, para ser
senhor dela, o pequeno persa
azul. A beleza vira-nos a alma
do avesso e vai-se embora.
Por isso, quem me lambe a ferida
aberta que me deixou a sua morte
é agora uma gatita rafeira e negra
com três ou quatro borradelas de cal
na barriga. É ao sol dos seus olhos
que talvez aqueça as mãos, e partilhe
a leitura do Público ao domingo.

Eugénio de Andrade


sexta-feira, 11 de março de 2016

{ sem nome }

 notbeingnoticed

Naquele lugar ermo
havia janelas trancadas e portas fechadas com o maior dos despudores.
Olhos felinos, memórias de negro, rubis e pecados capitais.
Não sei a maioria dos nomes das mulheres.
Nem dos homens.
Todos sem rosto, sem nome.
Não os quero saber.
Quero-os vagos, imprecisos, numa escrita de água que logo se apaga quando se constrói.
Cedo, mais cedo que se supõe
haverá um outro passo errático que ali se dirigirá, ali se deitará, ali fingirá , ali perecerá.
E no mural da parede dos fundos ficarão mais rostos à espera de um perdão.





a ouvir - Within Temptation - Lost

terça-feira, 8 de março de 2016

Dia da Mulher ?



Inventaram o dia da mulher 
 E o poeta não sabe o que pensar
 Talvez torne mais triste o seu cantar
 Talvez seja mais forte o seu sofrer.

 O poeta não canta quando quer
 E canta muitas vezes a chorar... 
Hoje não canta apenas vai gritar:
 Meus amigos, assim não pode ser !

 A mulher criação maravilhosa, 
 Dulcíssima mãe, avó generosa,
 Filha rebelde, dores e alegrias, 

 Trabalho e luta amor e mais cansaço...
 Agora vou cantar no teu regaço:
 É dia da mulher todos os dias. 

 2010-03-08 -  Nogueira Pardal




 Mãe:

Sentado no canto onde costumo viver a minha solidão, fechei os olhos, sentei-me no chão, a cabeça sobre a tua saia, senti as tuas mãos a catar-me, como naquelas tardes em que os teus dedos hábeis arrancavam da minha cabeça os piolhos e as lêndeas vulgares naquela época de miséria que ambos conhecemos, sem, felizmente, a ter sofrido, época em que os moços, hoje velhos como eu, brincavam, descalços, rasgados e famintos porque a guerra parara a mina, lá no Largo dos Altos da alentejana vila mineira onde nasci e comecei a aprender, sem que ao tempo me apercebesse, solidariedade, liberdade, democracia e esse supremo bem que dá pelo nome de amizade.

 Mãe: 

É dia 7 de Março, daqui a dez dias faço 78 anos. Há quanto tempo me deixaste? Ou será que nunca me deixaste? Como me poderias ter deixado se minha cabeça continua na tua saia e os teus dedos percorrem-me os cabelos!
Amanhã dizem que é o dia da mulher, uma amiga ligou-me há pouco a pedir que fosse dizer uns versos num “lar de velhos”, como se eu não fosse um velho... Dia da mulher! Que coisa estúpida! Será que os criadores dessa aberração tiveram mãe?! Será que quem tornou esse dia instituição mundial respeita as mulheres? 

Mãe: 

Desde o dia em nasceste, desde o dia em que, pequenina, ficaste sem pai nem mãe (Que dia seria o da avó que com tanto sacrifício te criou?) desde o dia em que no cartório uniste a tua vida à do João com quem viveste até ao último segundo, desde o dia em que nasci, se houve dias que não foram teus foi porque os deste a mim, a minha irmã e ao analfabeto mais culto, mais vertical, em suma, mais homem que conheci e que foi o “teu homem” nos bons e maus momentos. Os teus dias foram todos os dias e continuarão a ser os teus dias para além de mim porque os teus netos te recordam com saudade e falam de ti com ternura. 

Mãe: 

Fica tranquila, não vou chorar e muitos menos colaborar com aqueles que aviltam a imagem da mulher pretendendo dedicar-lhe um dia... Vou ler-te aqueles versos, que já não leste, que escrevi naquele dia de natal, o último em que te vi e te falei, embora já me não visses ou ouvis- ses, na véspera de partires para aquela viagem sem regresso que todos temos que fazer. 

Mãe 
Tu não morres, 
Tu não podes partir e deixar-me. 
Que serei eu sem ti?
Que farei eu só?
És a única mulher que me quer,
És a única mulher perfeita 
E pura,
Por isso não morras mãe, 
Deixa viver esta loucura.

Beijos, muitos
Do teu Zé 

 2016-03-07-Nogueira Pardal


Estes poemas e texto são da autoria do poeta e meu professor de poesia José Nogueira Pardal.
O último texto "Mãe" veio acompanhado com estas palavras do professor:

" Um dia, espero que não demore muito, a mulher ocupará o lugar que lhe pertence e que desde sempre lhe tem sido roubado. Talvez achem uma forma pouco ortodoxa de vos homenagear, mas, sinceramente, acho-a poética sobretudo porque saiu do mais íntimo de mim. "




a ouvir - Rodrigo Leão - Alma Mater

quinta-feira, 3 de março de 2016

M de Março que se inicia! M de Mulher a comemorar!

~Hoje vou-vos pedir um pouco mais que 5 minutos ~

Como sabem, dia 8 de Março comemora-se o Dia Internacional da Mulher.  Mais do que uma data comemorativa, o dia 8 é para reflectirmos sobre valores e igualdade entre homens e mulheres.
Esta minha singela homenagem é dedicada a todas nós, Mulheres, sem deixar de parte os Homens que nos estimam e respeitam.
Para compor este post escolhi obviamente Mulheres que admiro:
-Uma ilustradora, uma escritora, uma poeta, uma amiga e escritora e uma compositora.

As ilustrações que se seguem, assim como a composição que fiz no cabeçalho é da ilustradora americana Julianna Swaney.

 A Missão da Mulher 
"Acho que a missão da mulher é assombrar, espantar. Se a mulher não espanta... 
De resto, não é só a mulher, todos os seres humanos têm que deslumbrar os seus semelhantes para serem um acontecimento. Temos que ser um acontecimento uns para os outros. 
Então a pessoa tem que fazer o possível para deslumbrar o seu semelhante, para que a vida seja um motivo de deslumbramento. "

Natália Correia, in Entrevista '(1983)'


Nós Mulheres

PARTILHAMOS
COZINHAMOS
PLANTAMOS
ESPERAMOS
ESPANTAMOS
SONHAMOS
AMAMOS
VIAJAMOS
ESTUDAMOS
CHORAMOS
GERAMOS
CUIDAMOS
EQUILIBRAMOS
VOAMOS

Voamos a lua,
menstruadas

Os homens gritam:
- são as bruxas

As mulheres pensam:
- são os anjos

As crianças dizem:
- são as fadas

Maria Teresa Horta, in 'Os Anjos'



Esta semana tive o prazer de receber e ler o livro " ROSA" da minha amiga e escritora  Elvira Carvalho, que retrata de forma magnífica e comovente, os anseios, sonhos, ilusões e desilusões de uma jovem e humilde mulher que sofre as injustiças e descriminações inerentes à sua condição.


Como música de fundo e para finalizar , escolhi uma canção que gosto particularmente, escrita e cantada por uma Mulher que admiro muito também, Maria Guinot .

Silêncio e tanta gente



 Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar
É uma pedra
Ou um grito
Que nasce em qualquer lugar

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal aquilo que sou
Sou um grito
Ou sou uma pedra
De um lugar onde não estou

Às vezes sou também
O tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar

Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou um grito
De um amor por acontecer

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou