terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Está nas tuas mãos mudar o nosso destino.

sugestão: vão ouvindo o som do vídeo enquanto prosseguem a leitura.



somos filhos do sol 
à beira desta imensidão de nada 
que nos afasta do abismo.

somos filhos do sol
 presos num fio de sonho
imaginando que somos invencíveis.

somos filhos do sol
lutando no mundo que herdámos
por aqueles que o destruíram.

somos filhos do sol
sem água, sem lua, sem estrelas
só este amarelo sem viço.

somos filhos do sol
quer queiram quer não este é o nosso futuro.
- não acreditas?

Está nas tuas mãos mudar o nosso destino.


Fê blue bird


~~*~~

nota da autora: 
Peço desculpa por ter mudado a palavra "meu" no título e no final do "poema"  para "nosso destino".
Não me referia ao meu destino, mas ao destino da protagonista, a criança da imagem.
Quase sempre escrevo de acordo com o que a imagem me sugere. Neste caso, pessimismo, admito.

domingo, 16 de janeiro de 2022

CINEMA AO DOMINGO - 1

"Sou um poeta morto! Fui para os bosques viver de livre vontade para sugar todo o tutano da vida, para aniquilar tudo o que não era vida e para, quando morrer, não descobrir que não vivi"

“Oh, Captain, my Captain!”

"Não lemos e escrevemos poesia porque é moda. Lemos e escrevemos poesia porque fazemos parte da raça humana. 
E a raça humana está impregnada de paixão. 
Medicina, Direito, Administração, Engenharia, são atividades nobres, necessárias à vida. Mas a poesia, a beleza, o romance, o amor, são coisas pelas quais vale a pena viver."
“Carpe diem”. 

 *


A minha paixão pelo cinema vem desde criança. Frequentei uma escola primária que tinha uma sala de cinema, onde aos domingos podíamos ver filmes gratuitamente. Quem é de Lisboa e já tem alguns aninhos, talvez se lembre do Cinema Promotora no Largo do Calvário.
Mais tarde fui frequentadora assídua dos cinemas,  Restelo, Monumental, Éden, Tivoli, S. Jorge, Apolo 70 etc, etc.
Domingo para mim, era dia de ir ao cinema. 
Ainda hoje aos meus serões não passo sem a sua companhia, embora já não frequente as salas de cinema, mas os canais de filmes na televisão.
Tudo isto para vos dizer que aqui, aos domingos (sempre que possa) vou partilhar convosco, principalmente com aqueles que gostam de cinema, os filmes que de algum modo, marcaram a minha vida, como este, com que hoje dou início a esta rubrica.

Acham que vale a pena?

Gostaria também de saber quais os filmes que marcaram a vossa vida, pode ser?


Beijinho com estima.

Fê blue bird



quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

Sonata De Outono *


"Quando as aves partirem no oiro do tempo e eu ficar só, descansarei nesta terra fértil sorrindo maliciosamente ao outono da vida."

Fê blue bird 


Sergey Nesterchuk

*

Sonata De Outono *
Carlos do Carmo

  

 Inverno não ainda, mas outono 
A sonata que bate no meu peito 
Poeta distraído, cão sem dono
Até na própria cama em que me deito 

Inverno não ainda, mas outono 
A sonata que bate no meu peito 
Acordar é a forma de ter sono 
O presente, o pretérito imperfeito 

Mesmo eu de mim próprio me abandono
Se o rigor que me devo, não respeito
 Acordar é a forma de ter sono 
O presente, o pretérito imperfeito

 Morro de pé, mas morro devagar
 A vida é afinal o meu lugar 
E só acaba quando eu quiser 

Não me deixo ficar, não pode ser 
Peço meças ao Sol, ao céu, ao mar 
Pois viver é também acontecer 

A vida é afinal no meu lugar 
E só acaba quando eu quiser.


~~*~~