sábado, 2 de janeiro de 2021

vacina para doença incurável ?

Hoje vou pedir-vos um pouco mais do que 5 minutos .

Esperança , pintura de Akiko Hoshino
 Esperança , pintura de Akiko Hoshino

 

" Uma vez — e provavelmente muito em breve — o planeta caminha para um aquecimento irreversível, por definição, não haverá absolutamente nada que possamos fazer sobre isso.
 Assim, com o vírus, Gaia está nos dando uma última chance de aprender a amar e valorizar o local, a ser pequeno, a desacelerar e consumir muito menos, a ser humilde e a ser belo novamente como uma espécie, vivendo em seu vasto e brilhante corpo terreno? (...) "
continuação deste texto de Stephan Harding, aqui =»  Gaia e o coronavírus


*


Poderia começar esta mensagem com os habituais votos de feliz ano novo e renovadas esperanças no futuro, mas não, hoje, vou fazer outro registo.
2021, ou qualquer ano vindouro, mês ou dia, não vão ser melhores, não tenhamos ilusões. 
Somos natureza, somos Gaia, mas mesmo assim a maioria da nossa sociedade consumista olha a natureza como uma máquina de produtividade. 
Usamos e abusamos dos seus recursos naturais, sem nos preocuparmos com os efeitos dessa exploração avassaladora. 
Mas o que não é difícil de compreender, é que a nossa existência depende das boas condições de vida do nosso planeta.
A nossa vida depende do ar que respiramos. Depende dos alimentos que ingerimos, que vêm da terra, do solo fértil alimentado pelas águas das chuvas, dos lençóis freáticos ou das montanhas. O nosso abrigo também depende dos recursos naturais.
E todos dependemos da luz do astro rei, o Sol. Ou seja, dependemos da abundância dos 4 elementos: terra, fogo, água e ar.
Então porque motivo é que a nossa relação com o planeta é tão devastadora, usurpadora, distante, dominante e insensível? 
Porque motivo acreditamos que temos domínio sobre todos os recursos naturais e que eles devem e podem ser usados para o nosso bel prazer? 

Gasta-se milhões em investigação para medicamentos e vacinas, e para apoiar a biologia e a proteção da natureza ???
Tem que se prevenir as causas e não atacar os problemas !
Por muitas vacinas que se produzam, não há cura para a doença do consumismo e é este consumismo desenfreado e  o continuado desrespeito pela natureza e por todos os seres vivos, que leva à proliferação de vírus, doenças e morte.
Temos que refletir, fazer boas escolhas e ter boas atitudes em todos os dias do ano
Gaia agradece e a humanidade também! 


mas amanhã é outro dia e, voltarei a ser a Fê blue bird, a ter esperança, sonhos, ilusões...


Sejam felizes meus amigos!


texto por mim adaptado, retirado daqui



28 comentários:

  1. Enquanto os objectivos e valores desta sociedade não mudarem, nada mudará. Bom seria que as pessoas tomassem consciência disso e usassem as oportunidades que têm para eleger os que querem a mudança antes de as mudanças serem dolorosas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também penso de igual modo, primeiro começa nas nossas atitudes diárias e depois na altura de votarmos temos que fazer a diferença e exigir essa diferença.
      beijinho

      Eliminar
  2. Um dia o planeta cansa e é o nosso fim. Antes de nós ao longo de milhões de anos outras espécies se tornaram predominantes e todas desapareceram quando se tornaram uma ameaça para o planeta. E nós andamos a abusar da sorte.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elvira, o planeta já cá cansado , todos os dias nos mostra isso, basta estarmos atentos às notícias por esse mundo fora. A sorte também se vai cansar !
      Acho que este é o nosso maior desafio, mais do que o covid.

      beijinho e muita saúde !

      Eliminar
  3. Fernanda, está certíssima. Nossas dores são provocadas pelos desequilíbrios que causamos. Agimos como se todo os recursos oferecidos pela natureza fossem eternos, mas ela reage aos nossos atos. Os animais estão perdendo o habitat natural e invadindo casas para buscar alimento. Os rios perdem suas águas. As matas perdem suas árvores pela ambição humana. Sim, o vírus é nosso desafio emergencial, mas ficaremos expostos a outros males, com todas as mudanças catastróficas que provocamos. Grande beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim Marilene, é tudo isso !
      Enquanto não houver uma mudança de hábitos e de políticas ambientais a sério, nada vai mudar.
      Caminhamos a passos cada vez mais rápidos para a destruição.

      Um beijinho

      Eliminar
  4. Oi Fernanda
    O planeta já está cobrando pelos desequilíbrios que a humanidade provoca
    O que "Gaia" nos oferece estamos destruindo sem pensar nas consequências
    Elas estão aí nesse vírus letal. E depois dessa pandemia outras virão se nada for feito para conter o desequilíbrio
    Mas somos humanos e cultivamos dentro de nós a esperança.
    Vamos viver e esperançar em dias melhores
    Beijinhos poéticos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos de acordo Gracita,
      É urgente travar esses desequilíbrios que estamos sistematicamente fazendo ao nosso planeta.
      O que seria da humanidade sem a esperança, mas ela também nos leva a adiar o inadiável.

      Um beijinho poético também.

      Eliminar
  5. Quanto pesa a pegada ecológica do mamão, da papeia e do abacate?
    Lembram-se de como o girassol nos invadiu o território, para nos alterar o óleo alimentar? E a ambição de ter o Alqueva a servir a rega das pequenas explorações de agricultura familiar? De como nesse Alentejo imenso foi invadido pelo cultivo intensivo de olival, tendo-se perdido o celeiro da nação? De como as grandes superfícies tendem a tornar quase residual o comércio local e levando à míngua as feiras de levante?

    E porque raio é que se investiu tanto na rodovia, quando a mobilidade em automóvel é o modo menos verde? E porque carga de água é que o eucalipto ocupou o lugar do pinho?

    Meu Pássaro Azul, não me ficaria por aqui... só que esgotei o meu tempo... e ainda tenho que ir conhecer Gaia...

    (aviso: a Popota ainda irá destronar o Pai de Natal. Por uma razão: vende mais!)


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Volto. Depois de visitar Gaia, trago um recado:
      "Vá para fora, cá dentro"!
      Boa?

      Eliminar
    2. Claro que não é preciso ler o artigo de Stephan Harding, para termos consciência deste problema.
      Muitos cá dentro, como por exemplo a cientista Ana Sofia Reboleira já publicou sobre este assunto.
      E o meu amigo no seu comentário, também focou alguns exemplos flagrantes.
      A minha humilde abordagem foi só uma das formas em que me inspirei sobre este assunto, e tanto ainda há para dizer, fazer...
      ... ainda vou voltar a este assunto e dizer como tenho feito a minha parte. Boa ! (:

      beijinho

      Eliminar
  6. Fê, cada vez mais o planeta nos mostra sinais de esgotamento...E o que fazemos? Continuamos a apenas consumir e nada em troca dar...Essa mudança, desde pequena ouvi falar, no entanto... O que vemos nos fala por si! Uma pena! Belo post! beijos, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chica, há quantos anos somos alertados para este eminente desfecho.
      Vejamos como no espaço duma geração, tudo se tem transformado, e continuamos a praticar os mesmos erros e os governos a ignorarem as atrocidades ao meio-ambiente.
      O resultado já está à vista, infelizmente.

      Um beijinho e tudo de bom também para si.

      Eliminar
  7. Amiga Fê, falas nos milhões gastos na investigação de medicamentos e vacinas, mas não é na preservação da saúde, no prolongamento da vida com mais qualidade que os milhões despendidos são mal empregues. O dispêndio de milhares de milhões gastos em armamento nuclear que atenta contra o Planeta, isso sim, é, a meu ver, um verdadeiro atentado contra-natura.
    Vamos cumprindo com a nossa pequena quota-parte. Todos juntos, seremos muitos.
    Do resto não me pronunciarei. Creio que cada um vê o tema à sua maneira levando-o para o campo que tem em mente.
    Em boa verdade, é na diversidade de pensamento livre, que nos manifestamos enquanto indivíduos e seres pensantes.

    Um beijinho e BOM ANO!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Janita, este assunto pode ser desenvolvido em muitas frentes, todas elas válidas como as que referiste.
      Eu limitei-me a abordar desta forma, humilde, um assunto vasto e sério .
      Obviamente que o armamento nuclear, as guerras, a violência, o tráfico de armas e pessoas, e tantas outras calamidades são todos contra-natura.
      Faço a minha parte o melhor que posso e sei e em consciência.

      Um beijinho e bom ano para ti também!

      Eliminar
  8. O ser humano estraga tudo por onde passa.
    Os avisos, quase constantes, de pouco servem.

    Bom ano, Fê, beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo em absoluto contigo António.
      Não dá para neste particular ser optimista.

      Beijinho e bom ano !

      Eliminar
  9. Feliz 2021, boa noite de domingo, querida amiga Fê!
    A imagem é sensacional...
    O texto que a acompanha também o é.
    Seu escrito é de uma realidade exata.
    Só a esperança pode nos dar ânimo e generosidade para vivermos os próximos anos da revolução da nossa Gaia.
    Tenha dias abençoados, amiga!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Roselia,
      Mas é fácil vislumbrar um futuro risonho, quando vemos parte da humanidade desinteressada desta realidade.
      Digo parte, porque felizmente temos exemplos de mudança, resta ter esperança que o bom senso prevaleça.

      Um beijinho e muita saúde e paz!

      Eliminar
  10. Olá, amiga Fê,
    um belo texto, para nossa reflexão, parabéns!
    Meus votos de um Ano Novo com muita saúde, paz e esperança para você e sua família.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde amigo Pedro.
      Refletir é preciso, e agir ainda mais quando se trata deste particular assunto.
      Agradeço e retribuo os seus votos de Ano Novo.

      beijinho

      Eliminar
  11. Parece que não aprendemos nada com os nossos erros. Quem sabe agora reflitamos mais profundamente e sigamos um caminho menos adverso...

    Beijo, Fê, em um bom 2021. 😘😘

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim espero Maria, para bem da humanidade.

      beijinho e Bom Ano também para si.

      Eliminar
  12. Acho que tem muita razão, Fê!

    O consumismo, o egoísmo, o egocentrismo, etc são a razão principal para não termos um 2021 e seguintes melhores que 2020. O seu texto e a indicação que deixou fizeram-me lembrar uma entrevista a David Attenborough que vi há dias atrás. Segundo ele, 2020 foi somente um "abre olhos" e que ainda iriamos a tempo de reverter a situação. Mas, ele próprio não acredita que tal aconteça. Nem eu. Porque esta forma de estar na vida está demasiado interiorizada e seria preciso uma tomada de consciência abrupta, quase impossível. Não esqueçamos que há anos, Carl Sagan, chamava a atenção para o que estavamos a fazer ao nosso planeta. Contudo, chegamos a este nível de perigosidade!

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  13. Bom dia , Fê ! Estou retornando após as festas de fim de ano. 2020 se foi graças a Deus! Te desejo um 2021 repleto de coisas boas ! Estive lendo suas lindas postagens. Sigo comentando, após degustar a sua linda escrita. Grande beijo.

    ResponderEliminar
  14. Não me poderia rever mais, em todo o conteúdo desta sua fabulosa publicação, Fê!
    Talvez um dia, se chegue a um perfeito entendimento, sobre o que tantos insistem em ignorar... privilegiando, caprichos, lucros, prazeres, vontades... fazendo deste mundo... um palco de tudo isso... em direcção a uma catástrofe global, sem retorno... David Attemborough tem uma leitura também admirável, do que nos espera, se não mudarmos o paradigma da nossa consciência e atitudes, no seu último documentário...
    Esperemos que o bom senso prevaleça... pois já há quem defenda que esta janela de oportunidade... tem pouco mais do que meia dúzia de anos... antes que tudo, se torne incontrolável, em termos de alterações climáticas... Confesso, que a eleição de Biden, e o regresso aos acordos de Paris, me devolve alguma esperança... de que os próximos anos, de facto marquem uma vital diferença!...
    Um beijinho, Fê! Apesar de tudo, esperemos que este ano, seja incomparavelmente melhor que o anterior, e que não não falhe em saúde... para nós e para os nossos!...
    Tudo de bom! Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar

Todos os comentários serão respondidos e as visitas retribuídas.
Prometo ser tão breve quanto a minha saúde e disponibilidade o permitir.
Obrigada, por me darem 5 minutos do vosso tempo.