quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

CHUVA



 Sentada junto à janela, deambulo nas palavras
à procura de inspiração. 
  A música que sempre me acompanha quando escrevo, chega ao fim ,
- silêncio- 
O ecrã do velho portátil, de repente, fica todo negro, 
( está na últimas, coitado )
fico inquieta,
nem o som da chuva miudinha me acalma.
 -a gata sobe para o meu colo-
 Sinto um barulho no estômago,
ainda não tomei o pequeno almoço
mas vou esperar mais um bocadinho.
Agarro no meu inseparável bloco
numa caneta e, começo a escrever mas 
não dá, não consigo me concentrar.
Levanto-me repentinamente,
a cadeira cai
- a gata foge - 
dirijo-me cambaleante para a cozinha.
(a tensão deve-me ter baixado )
O melhor é preparar o pequeno-almoço,
corto o pão para as torradas, preparo o café
( contrariamente ao que dizem, acalma-me )
e, quando me preparo para o saborear,
 o computador dá sinal de vida.
Esqueço o café,
as torradas ficam a espreitar na torradeira,
corro para a sala,
tropeço na cadeira,
- piso a gata -
quando finalmente os meus dedos frenéticos procuram o conforto das teclas...

...  acordo em sobressalto :

 -que pesadelo!-


Fê blue bird

~~*~~

often a bird  - Wim Mertens

55 comentários:

  1. Há momentos em que nos sentimos vazios, não temos nada para dizer... mas de repente, as palavras soltam-se e voltamos a sorrir.... apesar da chuva, do frio...
    Gostei muito...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim Marta, foi um desses momentos. A vida tem que continuar na sua rotina e, no sorriso.
      Obrigada.

      Retribuo os beijos e os abraços.

      Eliminar
  2. Um pesadelo poético 😻 que até à gata agradou!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que lhe desagradou, mas já está resolvido (:

      Um beijinho

      Eliminar
    2. Os poetas amam os gatos 🐱
      E as gatas amam as pisadelas das poetisas 🐱

      Eliminar
  3. Tens a capacidade de nos prender até a última palavra! Lindo! Adorei! beijos, chica

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito dessa descrição. Sugiro que se inspire com a música de Wim Mertens, no caso de já conhecer a sugestão fica sem efeito.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela sugestão que registei com agrado.

      Abraço retribuído!

      Eliminar
    2. Muito bem escolhida essa composição de Wim Mertens. Sou um seguidor deste grande compositor e intérprete. Tem momentos da sua obra que são inesquecíveis.
      Um abraço

      Eliminar
  5. Vi e ouvi o vídeo — often a bird de Wim Mertens.
    Não conhecia e gostei 👍

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma indicação do "brancas nuvens negras " que ficou aqui perfeita !
      Obrigada ematejoca (;

      Eliminar
  6. Picos de ansiedade... e alguns dias de puro pesadelo... em que sentimos o peso do mundo sobre as costas... literalmente aqui, deste lado... em que a tensão me vai parar às costas, e depois ando um dia ou dois quase sem me conseguir mexer...
    Um excelente momento poético, que muito bem delineou estes tempos de vida suspensa, em que convivemos com a esperança e a saturação, procurando resistir como podemos a toda esta avalanche de emoções, que tomaram conta de muitos dos nossos dias... e às vezes... nem o sol, colabora do lado de fora pra nos animar... :-)
    Gostei imenso da escolha musical, que não conhecia!
    Beijinhos! Continuação de uma boa semana, Fê!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana, obrigada,
      Há dias, há momentos, bastante complicados, parece que nada corre bem, o que aqui caricaturei, mostra que não podemos deixar o humor desaparecer.
      Este meu regresso aos blogues tem sido uma terapia, uma evasão necessária, das muitas que temos que utilizar para superarmos da melhor forma esta complicada situação.
      Estou aberta a boas sugestões de quem me visita, a escolha da música é prova disso.

      Um beijinho e não se esqueça de cuidar de si, combinado ?

      Eliminar
  7. Adorei Fê. Fiquei presa de cada verso até o final.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Elvira,
      Fico muito grata por ter apreciado, vindo da Elvira que tão bem escreve, é mesmo um elogio.

      Abraço e muita saúde também para si.

      Eliminar
  8. Olá,querida amiga Fê!
    Ainda bem que exatamente assim a inspiração, ela nos toma como uma amante frenética, dando poder ao toque tanto da leva como do teclado. É voluntariosa e nos impele ao mais e mais e nunca fica saciada.
    Seja sol ou chuva... Ainda mais se põe afinada e linda como as que vejo aqui.
    Música linda dando uma cobertura ao �� poético.
    Que suspiro aliviado dei aqui agora, querida.
    Esteja bem, amiga, proteja-se!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A inspiração querida amiga, como bem descreveu, tem vontade própria.
      Há dias que nos visita, noutros se recolhe e, nós só temos que aceitar isso com a tranquilidade possível.
      Obrigada amiga Rosélia, registo sempre com agrado a sua carinhosa visita.

      Um beijinho e muita saúde para si e para os seus.

      Eliminar
  9. Fico indeciso
    Se foi um mau sonho
    Se foi mesmo vivido

    Prefiro concluir
    que tenha sido pesadelo

    Um poeta finge
    finge tão completamente
    que até finge ser angústia
    a angústia que deveras sente

    (onde é que eu já ouvi mais ou menos isto?)

    Bjinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leu nas entrelinhas acertadamente, Rogério.

      "E assim nas calhas de roda
      Gira, a entreter a razão,
      Esse comboio de corda
      Que se chama coração. "

      Beijinho

      Eliminar
  10. Querida Fê, ainda bem que acordaste! Porém o pesadelo nos rendeu agradável leitura; apesar das atrapalhadas e do sofrimento do gato. Grande beijo. Tenha uma feliz noite.

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. E assim nasceu um post para meu entretém e de quem o leu, também (;
      Feliz final de tarde amigo Beto .

      Um beijinho

      Eliminar
  11. Querida Fê, pesadelos dão criativas crônicas e belos poemas!
    Realmente você me prendeu do começo ao fim, é a anarquia do momento em que vivemos, e adorei, me vi em seu poema!
    Um bom fim de semana que está chegando, com muita paz e saúde!
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque será querida Taís, que é nos momentos mais difíceis que temos maior inspiração ?
      Sou um bocadinho "cabeça no ar" e agora ainda mais com toda esta situação.
      Fique bem amiga!
      Um fim de semana com igual sentimento para si e para os seus.

      beijinho grato

      Eliminar
  12. Pra quê a nuvem, se não fosse a chuva,

    Pra quê a chuva se não fosse a planta,

    Pra quê a planta se não fosse o Sol?


    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vinda Maria João.

      Pra quê a chuva, se não fosse a nuvem,
      Pra quê a planta, se não fosse a chuva,
      Pra quê o sol, se não fosse a planta?

      Abraço retribuído.

      Eliminar
  13. :))
    Não foi um pesadelo dos tais, daqueles que enegrecem a noite, foi até bastante fofinho. :) Comunicar com os outros é bom, não é assim, querida Fê? Seja como for, desengatou-se o empecilho que impedia a criação de um novo post e, com uma criatividade muito própria, voilà!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um pesadelo fofinho , gostei desta descrição AC ! :))
      Pelo menos e ainda bem, podemos comunicar através computadores. Andam por aqui muitos vírus, mas acho que o malvado e muito falado "bicho" ainda não anda por aqui (;

      Um beijinho e obrigada ;)

      Eliminar
  14. Gostei do texto, mas detesto chuva.....


    Abraço grande a amigo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga São,
      vamos ter chuva, quer gostemos ou não, no fim e semana que se aproxima.

      Abraço grande para si também.

      Eliminar
  15. Pesadelo ou não rendeu uma ótima crônica em que caminhei até o ultimo suspiro, no caso de alívio pela inquietação reinante. Amei.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo simpático e divertido comentário.
      Volte sempre !

      Eliminar
  16. Como do pesadelo, escrito com algum humor, constróis um poema que nos prende do princípio ao fim.
    A música, quu desconhecia,é divinal.

    Bom fim de semana.
    Beijinhos sem pesadelos
    😘😘😘

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manu,
      a forma como observamos o nosso quotidiano, pode mudar um pesadelo para algo divertido :)
      Ainda bem que gostaste !

      Um beijinho livre de pesadelos ;)

      Eliminar
  17. Fê,
    Que texto mais bom
    de ler e acompanhar a
    cada linha.
    Adorei o formato.
    Bjins de ótimo fim de semana.
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vinda Cátia !
      Fico feliz por ter apreciado, irei retribuir a visita.

      Bom fim de semana e um beijinho

      Eliminar
  18. Querida Fê, foi um pesadelo muito ligeiro, quase inócuo...um pequeno e interessante incómodo. Mas deste-lhe uma graça, que tive que sorrir.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se te fez sorrir querida Ana, já valeu a pena...o pesadelo :)

      Beijinho

      Eliminar
  19. Há pesadelos frutuosos; este é um deles. Deu um relato magnífico.
    Parabéns.



    Beijo
    SOL da Esteva

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sol,
      temos que aproveitar tudo, até os pesadelos ;)
      Obrigada!

      beijinho

      Eliminar
  20. Bom dia
    Infelizmente tenho por norma muitos pesadelos e quase nunca me trazem grandes recordações.
    bom fim de semana

    JR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JR
      Também tenho desses, mas não conto a ninguém.

      Bom fim de semana, se possível livre de maus pesadelos.

      Eliminar
  21. A descoberta consiste em ver o que todos viram e em pensar no que ninguém pensou.

    ResponderEliminar
  22. "a cadeira cai
    - a gata foge-
    ...
    tropeço na cadeira
    - piso a gata"-

    Estes quatro versos mostraram-me que algo se passava.
    Mas sem pensar que era um sonho.
    Depois ri-me a bom rir. :)))
    Gostei muito, querida Fê.
    Beijo
    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Olinda.
      ... e assim nasceu um post ;)
      Num tempo de tantas incertezas , temos que rir ...para não chorar.

      Um beijinho de boa noite!

      Eliminar
  23. Deixar a mente vagando
    Como se a deambular
    Por um e outro lugar
    É a alma não ter comando.

    Nossa alma é livre quando
    Não tem freios nem radar
    Para correr, trafegar
    Entre os mistérios em bando.

    Assim da tua janela
    Vê o universo por ela
    Sem que tu saias de casa.

    A nossa alma é singela!
    Voa como a ave, aquela
    Que voa em sonho, sem asa.

    Linda postagem, Fê! Parabéns! Abraço cordial! Laerte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Laerte,
      os seus preciosos comentários poéticos, valorizam sempre este meu espaço. Obrigada!

      Um abraço para si também, com a minha admiração.

      Eliminar
  24. Olá minha querida,
    que narrativa deliciosa!
    Um grande beijinho!
    Megy Maia☔💮☔

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Megy,
      fico feliz por ter gostado.

      Grande beijinho também para si.

      Eliminar
  25. Olá, Fê, é sempre uma alegria vir a esse simpático espaço!
    Meus parabéns minha amiga, pelo belo poema.
    Um bom domingo, com alegria e paz.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Pedro, pelo seu generoso comentário.

      Continuação de bom domingo também para si e para os seus.~

      Beijinho

      Eliminar
  26. Caso não fosse um pesadelo, quem ficava em pesadelo, era a gata, com uma pisadela, lol
    Gostei do poema e da música do vídeo
    .
    Saudação poética.
    Domingo feliz
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a gata foi quem ficou pior neste pesadelo :)

      Um abraço e bom fim de semana Ricardo

      Eliminar

Todos os comentários serão respondidos e as visitas retribuídas.
Prometo ser tão breve quanto a minha saúde e disponibilidade o permitir.
Obrigada, por me darem 5 minutos do vosso tempo.