terça-feira, 30 de março de 2021

“Cuidado com o medo, ele adora roubar sonhos”.

Aceitei com satisfação o desafio da Norma Emiliano do blogue Pensando em Família
 Inspirar-me na imagem em baixo, e construir uma ideia, um pequeno conto.



 
Em tempos sonhei, que o medo tinha roubado e escondido num lugar secreto,
 todos os sonhos do mundo.
Sonhos de amor, de amizade, de memórias preciosas, amontoados em pilhas,
 guardados por monstros e dragões de mil cabeças.
Toda a gente tinha medo do medo,
todos fugiam e gritavam:
- Cuidado com o medo, ele adora roubar sonhos !
Alguns, mais corajosos, queriam salvar os sonhos,
 e acabaram perecendo na busca daquele lugar .
Outros simplesmente, desistiram de o procurar. 
Nunca mais ninguém sonhou !
...
Acordei em lágrimas,
mas, uma frase persistia na minha cabeça,
uma frase que Alguém me segredou,
 talvez em sonhos ...

"Alimenta o Sonho, ele adora vencer o medo.


Fê blue bird

~~*~~


Lorena McKennitt - The Mystics Dream

domingo, 28 de março de 2021

-Demoraste a chegar !



Mesmo ao longe dava para ver como tudo estava mudado. 
A casa há muito que tinha perdida a sua cor, as portas e as janelas abertas e descuradas, clamavam por atenção. 
As árvores e as plantas do jardim jaziam secas e retorcidas, e na parede da varanda, pendia uma velha gaiola vazia. 
O seu coração acelerava, as pernas tremiam-lhe, com dificuldade abriu o velho e enferrujado portão, e lentamente caminhou até à porta da entrada.
Com a visão turva pelas lágrimas que insistiam em cair, entrou em casa.
Tudo estava igual ao dia em que emigrou para o Brasil, à procura de um futuro melhor para os dois. 
Por lá foi ficando, acabando por esquecer o reencontro prometido.
Coberta por uma espessa camada de pó, a velha cristaleira ao canto escondida. A mesa ao centro com os retratos de família que já não existia, e o rádio antigo que os embalava ao serão. Ao fundo o piano, onde ela dedilhava as mais belas melodias que ele tinha ouvido.
O silêncio era total, apenas um fio de luz entrava por uma fresta da janela.
Caminhou vacilante até o quarto, e lá estava ela, deitada na cama com o olhar perdido. 
Sem olhar para ele, disse com voz fraca:
 -Demoraste a chegar ! 
Nesse momento, o chão faltou-lhe sob os pés. Ela esperou por ele, quarenta anos !
Sentou-se ao seu lado, segurou-lhe as mãos trémulas e enrugadas, e teve a certeza que não teriam mais tempo de recuperar as suas vidas.
Nesse dia, chorou todas as lágrimas que tinha para chorar.
Nesse dia, tudo perdeu.


Fê blue bird




Adele - When We Were Young

~~*~~

quinta-feira, 25 de março de 2021

Chuva de Verão


Levantou-se rapidamente, quase com raiva, tinha que encontrar uma solução, não podia ficar eternamente à espera . 
Dez meses, trezentos dias, quatrocentos e trinta e dois mil minutos de dedicação diária, de noites sem dormir, e ele desaparecia assim, sem avisar, sem lhe deixar ao menos uma mensagem.
Foi à gaveta do cómoda, procurou a pequena arma entre as roupas macias, e guardou-a no bolso da gabardina.
Sufocava cada vez que olhava para aquele lugar agora escuro, sem vida.
Desceu apressadamente as escadas, e saiu de casa sem olhar para trás. 
Chovia dolorosamente, e a argila vermelha das arribas escarpadas esvaíam-se como sangue. 
O ar estava quente e impregnado dos fortes odores daquela inesperada chuva de verão. 
Caminhou até à praia, até o mar lhe lamber as pernas cansadas e doridas. 
As ondas explodiam na areia espalhando espuma e búzios para de seguida os levar de novo. 
Sentou-se, fechou os olhos, e deixou que aquela melodia a acalmasse.
Sabia que tinha chegado o momento, não podia continuar a viver naquela agonia, tinha que tomar um decisão.
Correu para em casa, abriu a porta, subiu as escadas , e ... 






[ como nem todos abriram a  "janela "  :) 
decidi mostrar o meu final, mas podem sugerir outro desfecho :) ]

~~*~~

e... quando chegou já a empresa fornecedora do sinal de TV tinha restabelecido a emissão.

~~*~~


"Trazer uma aflição dentro do peito/ É dar vida a um defeito/ Que se extingue com a razão..."

~~*~~


...acredito que abriu a gaveta e guardou a arma no lugar donde a tirou.

~~*~~


"... encheu seu coração de perdão, amou mais ainda e esperou, pacientemente, o tempo de reconciliação.

~~*~~


A Net que tinha caído, já se restaurara, acredito que a arma voltou para o macio das roupas, não sem antes lha apontar e rugir. Safaste-te desta, um dia chegará que não terás tanta sorte :-)

~~*~~


...pensou atirar, mas resolveu dar mais uma chance para ela
ao ver vídeos da chegada da Primavera. Trancou-a na gaveta.

~~*~~


Já havia luz... já não se sentia presa à angústia que a invadia e a impedia de pensar...
Talvez agora se sinta pronta a recomeçar...mesmo que só....

~~*~~


..., entrou em casa, colocou a arma numa gaveta do roupeiro, tirou da estante um livro de poesia, encheu um cálice de Porto, derramou-se no sofá e logo após o segundo poema adormeceu.

~~*~~


..."Escreveu o mais belo e contundente poema de quantos havia já escrito"

~~*~~


...e depois de meditar no acto que iria comprometê-la para o resto da vida, decidiu descarregar a sua raiva ( concretizando ou não) , no écran onde terá visto tantas tragédias semelhantes. A sensatez prevaleceu.

~~*~~


" Voltou para casa sim, mas não
sem antes jogar no mar
a arma que a poderia tentar
tantas outras vezes e até mesmo
destruir seus dias. Entrou em casa
leve e na certeza de que agora sim
pode seguir adiante
e abrir a mente para novas possibilidades..."


~~*~~


Deitou-se na cama, levando a arma à boca... e... deu-lhe uma trinca!...
Estava na hora de se livrar daquela arma de chocolate... precisava de abandonar aquele hábito de comer doces, quando estava de mau humor... mas achou que seria melhor pensar seriamente no assunto, num outro dia... :-))
Ouviu um barulho na janela do quarto... foi ver o que se tratava... abriu-a... e era o seu gato!... Estava de volta, depois de se ter escapulido mais uma tarde inteira para o jardim do vizinho... :-D

~~*~~


Suspirou profundamente, guardou a arma, olhou a TV desmaiada, pegou num livro, sentou-se e começou a ler aquele livro que espera ansioso na estante para ser lido.

~~*~~


e ... já mais calma pelo som das ondas do mar, respirou fundo três vezes, jogou a arma num canto da parede, tirou as roupas molhadas da chuva e foi fazer um café bem quentinho. Após o café pensou: nada se resolve com violência!

~~*~~


e... entrou no quarto de vestir, escancarou as portas do armário e tirou uma mala de viagem bem grande, que encheu com as suas melhores roupas e acessórios. Viajar, sair daquele lugar vazio e deprimente era imperativo, dar-se a si própria a oportunidade que lhe tinha sido subtraída. O mundo e a vida estavam lá fora à sua espera.

~~*~~

domingo, 21 de março de 2021

E para ti, o que é poesia ?





POESIA
é a primavera a dizer-me
BOM DIA 
é olhar nos teus olhos e ver
ALEGRIA
é sentir no teu beijo a doce
MAGIA
é dançar no teu corpo e vibrar
OUSADIA
é  viver o presente na tua
COMPANHIA

*

E para ti, o que é poesia ?


 ~~*~~


Poesia é ler os pensamentos duma alma romântica.

~~*~~


A poesia nasce na alma do poeta, transforma-se em palavras que suavemente vão pousar na folha branca de papel, transformando-a suavemente num mundo de sentimentos, que vão tocar e encantar o coração de quem vai ler.

~~*~~


Para mim, é quando deixo a alma me oferecer os versos! 

~~*~~


P onto final do Amor
 O bservação atenta do 💙 
E spera paciente de gratidão
 S inceridade dos sentires
 I mantação sublimada
 A rticulação do corpo e alma

Poesia é tudo que a Ternura sublima intensamente e muito mais...

~~*~~


Poesia é aproveitar as palavras para dizer o que se sente e o que se pensa, é escrever para continuar vivo.

~~*~~


Pra mim, poesia é ver os olhinhos de uma criança brilhando de alegria ao ver a vovó, ainda que de longe, é imaginar os sorrisos que estão por trás das máscaras...

~~*~~


 Poesia é minha voz,
 minha liberdade 
e minhas asas.
 É a cura para a alma 
de toda a humanidade.

~~*~~


Poesia ? É a própria Vida com todas as suas nuances.

~~*~~


 Poesia é o transbordar da alma em palavras de sentimento 

~~*~~


POESIA, (contributo poético para uma definição) 

 Poesia é tudo o que foi dito
 mas é 
também a pedra 
também o grito 
também o prado a erva 
a floresta e a seara 
de que se faz o pão da alma 
e é a ave
 e o grito Liberdade 
ecoando num vale

 Poesia é um punho cerrado
 erguido e declamado

 E todos nós somos poetas 
quando sorrimos às crianças
 Pena que nem todos
 arrisquemos um poema

 Tu que me lês, tenta!

~~*~~



NASCE, POESIA! 

 *

 Porque o que sou 

 me não cabe nas mãos fechadas, 

 escorrem-me, 

 por entre os dedos,

 estas sobras

 do que recuso transformar 

 em gesto de troca, 

 artigo de compra e venda, 

 alimento, embriaguez, culto, ritual 

 e que és tu, 

 Poesia.


 * 


 Divinizam-te,

 alguns,

 o corpo que não tens

 no altar que insistes em não ser,

 mas sei-te no cerne de todas as coisas,

 escorrendo inevitavelmente 

 de todos os poros, por todas as frestas,

 limpa, lúcida, viva, inexplicada…


 *


 Cantas,

 ainda, 

 onde a esperança morreu,

 ressoas no vácuo, apesar de inaudível, 

 desdobras-te

 em invisibilidades e vislumbres,

 acendes-te, sublime,

 no temor de cada escuridão.


 * 


 Inútil,

 ou não, 

 Nasce, Poesia! 


 *


~~*~~



Poesia é o grito da liberdade
 É renascer todas as manhãs
 Sentir os cheiros e contemplar as cores
. É tudo o que nos faz sentir felizes.

~~*~~


A poesia é desvelar, descobrir, desvendar, sentir o interior de um poema.

~~*~~


Poesia, é amor, paixão, beleza e cor, alegria e dor. Poesia é vida.

~~*~~


O que posso dizer sobre a poesia ?
 Só sei que admiro quem a faz e me encanto a ouvir ou ler .

~~*~~


Poesia é um chamamento 
Um rasgo de alma
 A melodia do quotidiano.

~~*~~


A poesia é a sublime e extraordinária forma de expressar na escrita todos os sentires.

~~*~~


É um bocadinho como o Natal: é quando e como o Homem quiser .

~~*~~


Nem sempre sabemos muito bem por que amamos a Poesia.
 O fundamental é: É lê-la, saboreá-la, senti-la.

~~*~~


Poesia

 é lavrar palavras como se fossem terra
 é afagar palavras como se fossem seda
 é viver com ela todos os dias
 que Deus me deixAR VIVER.

~~*~~


Poesia é Beleza e Emoção.

~~*~~


Poesia... é olhar o mundo por dentro... e achar que tem ainda mais sentido, senti-lo assim...

~~*~~


Poesia é um desprender-se e dar vida ás palavras, que encantadas, ocupam o incontido.

~~*~~


Poesia é ... que sei eu sobre poesia? Apenas que gosto de alguma poesia e de alguns poetas.

~~*~~


Para mim, Poesia, talvez seja respirar a cada dia.
A cada passo, a cada esquina, poderá deparar-se-nos estado de emoção, num qualquer pensamento, um olhar ou uma afeição.
Por isso, uma certeza: - Não sei o que é a Poesia!

~~*~~


Poesia é a voz do coração.

~~*~~


NORDIC HERDINGCALL - Welcoming spring with kulning  

~~*~~



A TODOS 

QUE TÃO GENEROSA E INSPIRADAMENTE  

RESPONDERAM À MINHA QUESTÃO


O MEU OBRIGADA !


Fê blue bird

sexta-feira, 19 de março de 2021

queres voar ...


foto minha


vives a tua história no meio dos outros
voas raso, de mansinho e em veludo
morrem-te sonhos 
nascem-te ideias 
e o mundo continua a girar à tua volta
indiferente, apático e maléfico
 estás cansado de ventos contrários 
  e tempestades perfeitas 
queres voar 
no azul mais profundo deste céu 
aquele que te traz o cheiro do espanto 
da liberdade, do amor e do pranto 
da força e da alegria em tons de esperança
.


Fê blue bird 

~~*~~


Jonathan Livingston Seagull/Neil Diamond -Instrumental

 

terça-feira, 16 de março de 2021

Eu não sou tão triste assim, é que hoje eu estou cansada. *

*Clarice Lispector

JP Morrison ART



Guardei a alegria num pequeno frasco
num lugar a que só eu tenho acesso.
Todos os dias toco nela .
Todos os dias volto a escondê-la.
Hoje quando a fui procurar,
não a vi !
-Alguém a viu por ai?


Fê blue bird 


~~*~~
 


HAEVN - Bright Lights

segunda-feira, 15 de março de 2021

quarta-feira, 10 de março de 2021

VEM E TRAZ UM POEMA ...

... que preencha este silêncio.

foto minha

Pode ser um poema escrito ou escolhido por ti.
Prometo que o vou ler em voz alta
até que a paisagem se agite.

Fê blue bird

~~*~~


Esperança! 

 Quantas vezes nesses bancos
 juras de amor trocamos... 
Mais tarde, o tempo passou... 
Cada um de nossos filhos ali brincou.

 Hoje ,até dos netos estamos afastados,
 por isso, nosso jardim tristonho a se mostrar!
 Mas esperamos ver tudo isso acabado, 
logo faltarão bancos ,
seremos muitos a ali sentar!

~~*~~


Primavera Partilhada

 Olharam-se como sempre 
 Frente a frente 
 Partilharam memórias de ambos conhecidas
 mas com o sabor 
 de quem não se cansa
 de as ouvir repetidas
 Partilhavam ali toda uma vida 
 e a alegria da partilha 
 Partilhavam agora a solidão da espera
 Pacientes
 Com a certeza 
 De que em breve seria Primavera.

~~*~~


 SONETO PARA UM PIC-NIC NO JARDIM

 * 
 Venho sentar-me num destes banquinhos; 
 Trago um poema no bojo da saia
 E a curiosidade da catraia 
 Que explora bosques procurando ninhos.
 *
 Não dou conselhos nem sigo os caminhos 
 Pelos quais meu olhar se alonga e espraia
 E é melhor que me sente antes que caia
 Do alto dos meus passos rasteirinhos...
 * 
 O meu soneto é para partilhar;
 Foi cortado em fatias quase iguais
 Pra que ambas o possamos degustar.
 * 
 Não é pequeno nem grande demais
 E foi cozido no forno solar
 Em que preparo as refeições normais...

~~*~~


Tempo sem Tempo

Para ti, minha irmã
escrevo
este pobre poema.

Para te falar da angústia
e do medo
que enche
os bancos vazios de gente
nos jardins
e parques do meu país.

Para te falar
deste tempo sem tempo
de horas intermináveis
de solidão e saudade.
E das vacinas que não chegam
perdidas
nos escuros labirintos de interesses
das indústrias farmacêuticas.

Para te falar, também
que por trás de cada máscara
de cada abraço que não se deu
de cada sonho que não se cumpriu.
A esperança é um pequeno barco
que navega
neste imenso mar
adormecido
que é a nossa vida,
em tempo de pandemia.

*

 Banco de Jardim 

 Aquele banco de jardim, abrigado pela árvore 
tem histórias p'ra contar.
 Fala de pássaros, de ninhos, de meninos a brincar.

 Fala de um velhinho 
que reparte pelos pombos saquinhos de afeição:
 migalhas da migalha à sua mesa.
 São eles os seus amigos, é com eles que conversa.
 Conta dos filhos ausentes, do lar, da solidão...

 Depois vem o outono expulsar os passarinhos 
Vem o inverno p'ra ficar eternamente... 

 Porém, uma manhã, de repente
 os pássaros voltam a encher de vida os ninhos,
 voltam os pombos, o sol e o riso dos meninos. 

 Mas algo se faz diferente, alguma coisa mudou.
 À tarde, naquele canto sombrio,
o banco jaz vazio.
 O velhinho não voltou.

 Lídia Borges

~~*~~


Doloroso isolamento.

 Naquele parque tantos encontros,
 nas belas tardes da linda estação, 
 foram horas alegres pelos bancos, 
 que os vejo solitários neste verão.

 Quisera não ver a triste imagem,
 da terra ressecada como o sertão.
Na aridez da dor sinto miragem.
 Nos olhos verdes, vejo abstração.

 A falta da palavra neste silencio,
 que ensurdece vis pensamentos, 
 há uma saudade sem armistício,
 no isolamento dores, tormentos.

 No ar perfume de uma açucena,
 esvaece os pensamentos pueris.
 vem Primavera na quarentena, 
 ameniza isolamento sui generis.

~~*~~


 Há sempre um poema 
para um amigo 
há sempre um poema
 mesmo que antigo 
há sempre um poema
 umas palavras
 um sorriso.

~~*~~


 São bancos de jardim
 Bancos de madeira 

 Bancos de conversar
 e de memórias
 de afectos 
 de pensar e de histórias 

 Bancos com nomes, datas e corações 
 de casalinhos enamorados 
 juras de amor eterno e de tantas ilusões

 Bancos de tristeza e solidão
 de velhas vidas, em negras vestes
 buscam companhia na voz da folhagem e do melro a canção 

 Bancos de alegria e tropelias 
 da gritaria da criançada 
 promessa de vida e amor, de continuidade, um destes dias

~~*~~


 Viver de pouco
 Ou coisa nenhuma 
De recordações fugazes: 
Gestos apenas esboçados
 Palavras mal proferidas 
Silêncios...

 Eis o que eu tenho 
O que me resta afinal 
Daquela quimera
Apenas entrevista,
Dos dias de sol e sombra
Em vão vividos à espera
De um renascer!

~~*~~


 Sento-me
 Junto 
A ti 
Como
 Se me 
Debruçasse
 Sobre Um abismo:
 A vertigem 
Do absurdo 
Cega-me
 Os dias 
E o mundo 
Resta mudo.

~~*~~


 Dois bancos vagos
Sozinhos
No meio do nada
Árvores fatigadas
Pelo tempo
Silêncios enfeitiçados
Sem carinhos
Quebrados pelo vento
Numa natureza
Outrora era apreciada.
E agora restam apenas
Lembranças...

~~*~~


Muitas Estórias Para Contar... 

 Bancos, agora, inertes e calados, 
 experimentaram abraços, beijos, sorrisos e prantos,
 conversas apaixonadas e pessoas caladas.
 Quando estes bancos voltarem a se agitar 
 Terão muitas histórias para contar...

~~*~~


Cinco minutos

 Cinco minutos podem ser uma eternidade
 Ou um simples momento de felicidade
 Podem ser tudo o que cabe num poema
 Ou dois bancos em palavras de gema
 Podem ser a minha leitura, ainda pequena 
Que dela farei uma primavera amena 
Com tanta flor a despontar
 E com aroma poético a se dar.

~~*~~

 
 Escrevi no banco 

 Não apararam a relva do jardim
 Atravessei apressada e vim
 Tinha aquela ansiedade que conheces
 Esperava teus passos
 A divagar por ali 
Esperava teus olhos de mel
 Teus contos entre abraços
 Tocar-te a pele

 Fui tomando notas
 Queria dizer-te 
Queria ler-te
 Enfim!

~~*~~


A Espera

Quantas confidências
Quantas amores
Presenciamos.
Hoje estamos
Esquecidos
Mas não solitários
Estamos aqui
Juntos no aguardo
De presenciarmos
Tudo de todos
Que possam chegar.

~~*~~


Resgate de um Jardim sem Flor

Senhor, onde está o meu jardineiro ?
Onde o colocaste, Mestre, Medianeiro,
conta para mim como ele está agora ?
Na tardezinha, ele vinha sem demora.

Sentávamos num prosa tão boa e feliz,
repúnhamos energia consumidas na lida. 
Num gramado verde, flores, como condiz,
numa ternura branda, afagava nossa vida.

Donde o puseste, Senhor ? Sabes do Amor
tão gratuito como a natureza que brinda
a cada ser vivente. Dolente, murcha flor,
estou por cá, só como o banco da berlinda.

Cada dia o espero à sombra de uma árvore
sua copa já nos deu tão bom refrigério...
Já sei, Amado Meu, de juiz não se arvore,
por que escondê-lo de mim. Que sacrilégio.

~~*~~


Aqui,
abrigada da brisa,
mas envolta em Luz...

Porque preciso de Luz...
Para respirar novamente,
agora que me deixaste...
e só tenho histórias,
memórias
de ti....

~~*~~


Olho os teus olhos de frente,
Vejo reflexos dos Céus...
Fico feliz e contente,
Porque os olhos sem véus
Mostram tudo transparente.

~~*~~


Se um banco ao outro falasse
Talvez lhe confessasse
O que custa a solidão
E num abraço apertado
Lhe diria tem cuidado
Não te separes de mim não
.
Os dois aqui sozinhos
Até os lindos meninos
Que junto a nós brincavam
Alguém os veio buscar
E na sua casa confinar
Quando em nós se sentavam
.
Aqui no meio da natureza
Os dois temos a certeza
Que tudo um dia mudará
Que os silêncios terminarão
E os sorrisos viltarão
E alguém em nós se sentará

~~*~~


Quanta homenagens a poetas
Que postam na blogosfera.
Aqui há uma atmosfera
De vozes tanto seletas
Quanto, à medida, discretas.
Tua generosidade
É um poema que invade
Nossas almas de encanto.
Oh, Fê, talvez canto
Tem som de pura amizade.

~~*~~


Descansa aqui.
Não importa de onde venham as flores
e as estrelas.
Não te perguntes. Acalma o frio das perguntas
olhando só para elas.
Na exaustão dos porquês, tens as respostas
no êxtase do teu olhar. Revê-te nelas.
E tu não sendo uma estrela, és muito maior que elas.


~~*~~


"Não basta abrir a janela
Para ver os campos e o rio.
Não é bastante não ser cego
Para ver as árvores e as flores.
É preciso também não ter filosofia nenhuma.
Com filosofia não há árvores: há ideias apenas.
Há só cada um de nós, como uma cave.
Há só uma janela fechada, e todo o mundo lá fora;
E um sonho do que se poderia ver se a janela se abrisse,
Que nunca é o que se vê quando
Se abre uma janela."

Alberto Caeiro

~~*~~