quarta-feira, 16 de junho de 2021

Papagaios de Papel



Com o semblante triste, Matilde olhava a paisagem.  A vista daquele lugar era incrível, espantosamente bela.

Tinha escolhido aquela esplanada, porque fora ali, que o olhar das duas se tinham cruzado pela primeira vez.

Estava tão alto que podia ver,  os papagaios de papel que voavam sobre as cabeças das crianças, e as copas das árvores coloridas. Era início da Primavera, num daqueles dias em que tudo parece perfeito.

Verónica aproximou-se nervosamente, sentou-se, ajeitou os  óculos, não olhando directamente para  Matilde :

-Desculpa atrasei-me, o trânsito estava insuportável.

-Não faz mal, senta-te, o que queres beber? 
 -Só um café. 
Enquanto a empregada servia o café, Matilde tentava impedir as lágrimas que os seus olhos teimosamente pediam. Num impulso pegou nas mãos de Verónica e com voz quase inaudível :
-  Estou muito cansada. Cansada de tanto me esconder, de tantos nãos, de caminhar sozinha numa estrada sem fim, preciso...
Verónica, pediu-lhe que parasse!
 -Desculpa, pensei bem, mas não te posso dar o que procuras. Lamento, mas esta não é, nem pode ser, a minha luta . 
Levantando-se, entregou-lhe um papel dobrado :
 - Para leres depois.
Virou as costas e saiu.

Matilde tentou falar, só que já não haviam mais palavras. Mergulhou num misto de culpas e de certezas. Desdobrou o papel, e leu, em letras irregulares e finas: 
" Não sei o que me assusta mais, se o desejo que nos esmaga, se a nossa infinita capacidade para o esmagar."

Lá em baixo, impelidos pela força do vento, os papagaios de papel, bem seguros,  continuavam voando...


__Fê blue bird__

 

56 comentários:

  1. Nunca entendi porque motivo as pessoas não são deixadas em paz para viver a sua própria sexualidade...

    Beijinho, bom resto de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo mesmo motivo que não são deixadas em paz, por tantas outras diferenças.

      Beijinho São, continuação de boa semana.

      Eliminar
  2. UAU! Um tema abordado tão lindamente...Veronica não pode continuar, não teria forças para lutar se prossegissesm. E os papagaios e suas cores falaram mais do que palavras! Lindo demais! Parabpens! beijos, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Chica, pelo seu comentário apreciativo.
      Acho que para assumir e enfrentar as diferenças, tem que haver muita coragem. Nem todos, pelos mais variados motivos, têm essa determinação.

      beijinho grato.

      Eliminar
  3. Movediços, seguem as suas pisadas... E cada estrada que não veio saúda o medo do novo!
    Beijinhos, Fê!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O medo, será sempre o maior obstáculo, nessa estrada ausente.

      Um beijinho, José Carlos.

      Eliminar
  4. É verdade amiga Fê.
    Aínda existe muitos complexos, ou medo, em assumir a sua própria sexualidade. Daí, o sofrimento e o não ser capaz, de levar por diante essa realidade.

    Todos nós, devíamos ser livres em termos a sexualidade que bem entendermos e desejamos.
    Mas infelizmente, ainda vivemos numa sociedade castradora da nossa própria liberdade. Em que, impõem o seu próprio conceito arbitrário de sexualidade.

    Gostei muito da analogia que fez, entre o papagaio voando livremente, e a frustração da Matilde, de não poder voar livremente como o Papagaio de papel...

    Parabéns, por este sublime texto!

    Beijinhos, e feliz quinta feira!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, amigo Mário.
      Quem não segue os padrões da "normalidade" está sujeito a preconceitos e até violência, infelizmente.
      Uma situação que não vejo ter melhorado, com as novas gerações.
      Os papagaios de papel, por estarem controlados, também não são totalmente livres, só quando o fio que os controla se parte.

      Fico feliz por ter apreciado o meu pequeno texto.

      Um beijinho e feliz quinta feira também para si.

      Eliminar
  5. Concordo plenamente com a São. Adorei...Obrigada pela partilha! :))🌹

    *
    Pensamento que enaltece ...
    -
    Beijos e um excelente dia! :)

    ResponderEliminar
  6. Boa noite de paz, querida amiga Fê!
    Sinceramente não sei como suportam os que passam por tão grande dificuldade com preconceitos.
    Graças a Deus, ainda que não entendamos os motivos alheios, a sociedade vai, ainda que obrigada pela penalização das leis, alargando horizontes.
    Não é só na questão da homo ou heterofobia, é preconceito por tudo que é diferente do "convencional".
    Uma coisa eu tenho certeza, amiga, como sofre quem prima pelo não preconceito. Às vezes, nem é da nossa parte, vem do que se sente "diferenciado". Tenho visto.
    Querida, excelente abordagem e com o toque da poesia discreta dos papagaios ao vento.
    Tenha uma noite abençoada!
    Obrigada pelo carinho em meus blogs. Uma presença constante e efetivamente profunda nos comentários que me deixa.
    Beijinhos fraternos de paz e bem
    ,🕊️💐🙏👼

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde, querida amiga Rosélia.
      Infelizmente sei o que ser vítima de preconceito por se ser diferente. Já aqui expus o caso do meu filho por ter epilepsia.
      No caso da homofobia, ou a pessoa tem uma grande força de vontade e caracter para enfrentar a sociedade, ou sucumbe à vontade dos outros e se anula, sendo infeliz a vida toda.
      As leis sempre ajudam a formar novas mentalidades, mas é um processo demorado.
      Dou-lhe razão amiga, por vezes o contrário também acontece.
      Também lhe agradeço o tempo e cuidado com que comenta, enriquecendo sempre este meu cantinho. Bem-haja!
      Santa tarde de paz !
      Grande e caloroso beijinho.

      Eliminar
  7. A Homossexualidade é uma um fato muito discutido. Uns aceitam como uma opção normal, outras pessoas não. A verdade também é os homossexuais e/ou as lésbicas, regra geral, não se comportam de uma forma dita normal como um casal heterossexual.
    Maneios corporais desnecessários
    .
    Cumprimentos poéticos
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haverá infelizmente sempre excessos, tanto de uma parte como da outra.
      O certo é que se todos achassem normal haver várias orientações sexuais, tudo e todos se harmonizavam.

      Cumprimentos poéticos também para si, Ricardo.

      Eliminar
  8. Infelizmente ainda há muito preconceito e o amor de duas pessoas do mesmo sexo, é muito crucificado.
    Pena que a palavra " Amor" seja sinal de diferenças, quando devia ser incondicional.

    Beijinhos Fê.
    😘

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo com cada palavra tua, amiga Manu.
      O Amor devia ser sinal de união, e nada mais.

      Beijinhos.

      Eliminar
  9. Subscrevo na integra o comentário da São.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A São, disse tudo em poucas palavras.

      Abraço e saúde também para si, Elvira.

      Eliminar
  10. Gostei da abordagem do tema.
    Penso que o preconceito e o egocentrismo estão encravados na alma das pessoas, juntamente com os padrões sociais. E esses ingredientes seguem controlando e reduzindo possibilidades e escolhas. Será que os "gosto" e "não gosto" de cada um, seriam os mesmos sem a prévia incorporação de padrões para determinadas situações de vida?
    Bjs
    Marli

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-vinda, Marli.
      Os padrões, sociais, morais, etc, sempre foram impostos na sociedade como comportamentos a seguir. Quem não se revê neles, infelizmente sofre penalizações, entre elas o preconceito e o egocentrismo que falou.

      Beijinho grato.

      Eliminar
  11. Olá Fê, um conto que encerra mil desencontros e desencantos pela longa estrada da vida, onde os preconceitos estão cada vez mais afinados no desafinar vidas. Um conto com muita arte com empinar um papagaio acima das copas das arvores.
    Ainda havemos de viver a liberdade de ser e fazer o que se tem direito.
    Belo trabalho querida amiga poetisa.
    Beijo no coração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Toninho.
      O preconceito, é uma das muitas pedras que se encontram na longa estrada da vida.
      A habilidade de manobrar os papagaios de papel, é que faz toda a diferença.
      Não sei se a nossa geração será testemunha disso, mas pelos nossos descendentes, assim espero e desejo.
      Obrigada meu bom amigo.

      Beijinho fraterno.

      Eliminar
  12. Os preconceitos sociais esmagam muitos sentimentos.
    Já foi bem pior, mas ainda persistem teimosamente.
    Uma bela história, gostei.
    Bom resto de semana, amiga Fê.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esmagam sentimentos que deviam ser livres.
      Por vezes parece que os preconceitos se reacendem como tochas incendiárias.
      Obrigada Jaime, pela sua apreciação.

      Bom resto de semana, também para o meu amigo.
      Beijinho.

      Eliminar
  13. Bom dia
    Só quem tem uma grande sensibilidade se lembraria de uma comparação destas .
    A liberdade de voar e de amar .
    Bonito .

    JR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde,

      Agradeço-lhe o simpático comentário, JR.

      Lembrei-me desta frase de Berdiaev :
      "A liberdade é, antes de tudo, o direito à desigualdade."

      Abraço, grato.



      Eliminar
  14. A Sociedade continua a impor comportamentos e quem saí das normas, é apelidado de estranho.
    A Verónica não conseguiu enfrentar e as duas vão viver uma vida triste, frustrada porque têm que calar o amor que sentem.
    Um tema interessante.
    Gostei da forma como o abordou.
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marta,
      Acho que ainda vai demorar muito tempo até o amor entre duas pessoas, independentemente do sexo, ser considerado normal. Até lá haverá sempre sofrimento para os envolvido.
      Fico feliz por ter gostado.

      Beijinho.

      Eliminar
  15. GOSTEI IMENSO DESTA PUBLICAÇÃO, BLUE BIRD :)

    AINDA QUE OS PAPAGAIOS E ATÉ O PAPEL VENHAM A EXTINGUIR-SE- LONGE VÁ O AGOURO... -, HAVERÁ SEMPRE PAPAGAIOS DE PAPEL A CRUZAR OS CÉUS EM DIAS DE VENTO... E SONHO :)


    BEIJINHO GRANDE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. BOA TARDE, MARIA JOÃO,
      O SEU COMENTÁRIO ABRANGEU DE FORMA POÉTICA, TODA A DIMENSÃO DESTE TEMA.
      O SONHO NUNCA SE EXTINGUE !

      BEIJINHO GRANDE TAMBÉM PARA A MINHA AMIGA.

      Eliminar
  16. Parabéns querida Fê por esse relato vem escrito e envolvente!
    O preconceito destrói as melhores possibilidades de alegria e felicidade em se tratando de relacionamento na homossexualidade. O dia em que a humanidade estiver esclarecida quanto a polaridade sexual que todos nós trazemos no espírito, caem por terra, o medo porque então não haverá as dificuldades do preconceito e da negação.

    E viva o amor que é a força que sustenta o universo e os seres !

    Parabéns amiga. Beijo de luz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, querida Maria Lucia.

      Tem toda a razão, a humanidade tem que dar esse passo em frente, muitas vidas seriam bem felizes.

      O amor é a força que tudo explica e que dá sentido à vida !

      Beijinho de luz também para si.

      Eliminar
  17. A capacidade de alguns para esmagar outros... irrita_me e muito!!! Bj

    ResponderEliminar
  18. Texto muito bem escrito que aplaudo de pé, querida Fê.
    Um beijinho carinhoso
    Verena.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, querida Verena.

      Beijinho carinhoso também para si.

      Eliminar
  19. Muito lindo este texto, meus parabéns.

    Arthur Claro
    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderEliminar
  20. Acho que deste ambiente à toada
    das minhas "conversas de esplanada"...
    e gostei do que li aqui
    Posso levar um papagaio de papel para alegrar a Gaby?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rogério, e eu gostei do que lá vi !
      Os papagaios de papel são livres para voar em todo o lado.

      Beijinho grato

      Eliminar
  21. Muitas vezes somos esmagados pelo preconceito
    E não nos permitimos viver o sentimento que floresce no coração
    Um texto esplêndido, querida Fê
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O preconceito, esmaga qualquer sentimento, e por vezes até mais do que isso, destrói vidas.

      Obrigada querida Gracita pela sua apreciação.

      Beijinhos

      Eliminar
  22. Olá, Fê, gostei muito de ler esta história que nos deixa motivos de sobra para a nossa reflexão.
    Um bom final de semana, com os cuidados com a saúde.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá , Pedro.
      Foi esse o meu objectivo, reflectirmos .

      Bom final de semana também para si, e muita saúde.
      Beijinho grato.

      Eliminar
  23. Olá!
    "Só te peço 5 minutos", belo nome para um Blog, pois, o quanto cabe nesse tempo...muito...
    Vi que temos amigos/as em comum e vim conhecer o seu Blog, me encantou a riqueza que tem por aqui, vou te acompanhar de perto.
    Seu texto, de forma lúcida e poética, toca num tema delicado e importante de ser trabalhado.
    Eu creio que todo tipo de amor, vale à pena, se for sincero, se fizer as pessoas felizes. Ainda leva tempo para as pessoas entenderem isso, mas penso que nas gerações futuras, isso mude, pois, o preconceito que infelizmente ainda existe, impede em muito, que exista real liberdade entre as pessoas, seja no âmbito que for.
    Voltarei! Bom fim de semana,
    Valéria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Valéria, bem-vinda!
      Fico muito feliz por o meu blogue lhe agradar, e por poder contar de futuro com a sua visita.
      Sim, em 5 minutos, cabe uma eternidade de palavras e emoções.
      Afinal, tudo poderia ser tão fácil, bastava só haver compreensão e respeito pelas opções amorosas de cada um.
      Obrigada, vou de seguida visitar também o seu.

      Bom fim de semana !
      Um beijinho

      Eliminar
  24. Infelizmente, tendo em conta a sociedade por vezes tão retrograda em que se vive, nem todos têm coragem para assumir livremente a sua sexualidade. Felizmente que existem países com uma mentalidade bem aberta e em cada um pode fazer a sua vida à sua maneira.
    Um texto excelente!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande verdade, Maria.
      A escolha e o assumir da sexualidade depende de país para país, infelizmente.
      Obrigada pela sua apreciação.

      Beijinhos.

      Eliminar
  25. Nem sempre o amor voa mais alto...
    Fê, aplaudo a inteligência e sensibilidade com que trataste este tema.
    Eu sou a favor do amor, o amor de todas as cores. O que importa mesmo é celebrá-lo.
    Beijo, repito, és o máximo!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão amiga, nem sempre ...

      Obrigada Teresa, esta tua opinião é importante para mim.
      Celebrar o amor, em todas as cores, devia ser obrigatório !

      Beijinho grato!

      Eliminar
  26. Um texto que nos remete a uma profunda reflexão.
    Não direi mais, acho que já foi tudo dito.
    Bela crónica!
    tenha uma semana boa
    beijinhos
    :)
    http://olharemtonsdemaresia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Piedade,
      pela tua assertiva opinião.

      Semana feliz também para ti.

      beijinho

      Eliminar
  27. Também subscrevo o comentário da São...
    Felizes, os que não se importam com os julgamentos alheios... ou que pelo menos, conseguem resistir a eles... Belíssima a abordagem do tema, repleta de sensibilidade!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizes os que acreditam nas suas escolhas, sem se importa com a opinião alheia,
      estou de acordo, Ana.

      Beijinho grato e amigo !

      Eliminar

Todos os comentários serão respondidos e as visitas retribuídas. Prometo ser tão breve quanto a minha disponibilidade o permitir. Obrigada, por me darem 5 minutos do vosso tempo.