terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Está nas tuas mãos mudar o nosso destino.

sugestão: vão ouvindo o som do vídeo enquanto prosseguem a leitura.



somos filhos do sol 
à beira desta imensidão de nada 
que nos afasta do abismo.

somos filhos do sol
 presos num fio de sonho
imaginando que somos invencíveis.

somos filhos do sol
lutando no mundo que herdámos
por aqueles que o destruíram.

somos filhos do sol
sem água, sem lua, sem estrelas
só este amarelo sem viço.

somos filhos do sol
quer queiram quer não este é o nosso futuro.
- não acreditas?

Está nas tuas mãos mudar o nosso destino.


Fê blue bird


~~*~~

nota da autora: 
Peço desculpa por ter mudado a palavra "meu" no título e no final do "poema"  para "nosso destino".
Não me referia ao meu destino, mas ao destino da protagonista, a criança da imagem.
Quase sempre escrevo de acordo com o que a imagem me sugere. Neste caso, pessimismo, admito.

55 comentários:

  1. somos filhos do sol
    quer queiram quer não este é o nosso futuro.
    - não acreditas?

    Boa noite de paz, querida amiga Fê!
    Fui ouvindo a música conforme sugeriu a mana, dá uma boa sensação.
    O sol me move, sem ele perco as forças como Sansão sem os cabelos e eu, sem os raios solares.
    No sentido espiritual, o sol é energético e representa o Filho do Pai que nos cuida diariamente.
    Linda a imagem e a poesia muito ritmada, com a excelente repetição: "Somos filhos do sol".
    Aqui, finalmente, veio o sol na semana e está lindíssimo cada amanhecer com céu azul e energia pura e renovadora a ser saboreada, dando ênfaxe a cada lida.
    Gostei muito e me vi no seu poema, sou filha do sol (faço coro com você), dos ceús azuis, das águas do mar...
    Tenha dias abençoados, com saúde, energia do sol, paz, junto aos seus amados!
    Beijinhos carinhosos e fraternos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite querida amiga Rosélia.

      O sol é luz, é conforto é vida!
      Aqui o sol está muito fraquinho não dá para amenizar o frio que se faz sentir.
      Acho que não fui muito feliz neste poema, e já alterei o título e o final, porque a minha ideia é pessimista quanto ao futuro destes "filhos do sol" as nossas crianças.

      Mas ninguém sabe o futuro, esperamos que seja como a mana o vê, "dos céus azuis, das águas do mar..."

      Noite serena minha querida, um beijinho grato e carinhoso.

      Eliminar
    2. Sou muito esperançosa do que o pior já o temos vivido, minha amiga. As crianças de fato merecem o melhor e precisam ter direito a um mundo de Sol.Bjm

      Eliminar
    3. Concordo consigo querida amiga, as crianças merecem um futuro radioso.

      Mas o que se passa no mundo é preocupante demais.

      https://www.dw.com/pt-002/fome-em-madag%C3%A1scar-gera-alerta-global-sobre-altera%C3%A7%C3%B5es-clim%C3%A1ticas/a-59533904


      Beijinho

      Eliminar
    4. Li o link. Obrigada, querida mana.
      Tenho um filho que me mostra tudo como no vídeo e não aguento com tanta informação pessimista(realista). Ele é muito informado como você e me tenta alertar, mas eu freio um pouco...
      Você tem total razão de estar assim, minha amiga do ��, mas estou sem ânimo para atentar para tanta notícia trágica que o mundo divulga em reportagens e que são dignas de crédito pelo andar da carruagem. São fato!
      Não é alienação, minha mana, é que preciso focar no bom que ainda temos ao redor para viver com sanidade emocional.
      Sei que você tem capacidade plena de me entender.
      Admiro-a no seu potencial de se debruçar sobre questões tão relevantes, atuais e vitais.
      Seus poemas retratam veracidades incontestáveis de forma reflexiva ímpar.
      Beijinhos, minha querida Fê����️��

      Eliminar
  2. Um poema lindo demais. Parabéns Fê!:)
    -
    Desenho a marca do teu corpo ausente

    Beijos, e votos de uma feliz terça-feira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cidália,
      felizmente a amiga é sempre animadora, obrigada!

      Beijinho de boa noite.

      Eliminar
  3. O destino é um conceito a que nos acobertamos para ser mais fácil aceitar os infortúnios, como se algo na nossa vida estivesse determinado à partida. Nunca saberemos, no início, se as mudanças que alguém sempre opera nas nossas vidas serão positivas ou negativas.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão.
      Mas quando escrevemos até o destino pensamos dominar, pura ilusão que nos vai mantendo vivos.

      Um abraço com estima.

      Eliminar
  4. Olá, amiga Fê.
    Sem dúvida alguma, que está nas nossas mãos mudar o futuro dos nossos filhos, dos nossos netos.
    Somos, como diz o seu lindíssimo poema, filhos do sol.
    Por isso, cabe-nos a nós proteger o nosso planeta, que é a nossa casa comum.
    Como sugerido, ouvi o som do vídeo. É de facto uma bela sensação.

    Parabéns, pela inspiração!

    Votos de uma excelente semana, com muita saúde.
    Beijinhos, com carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite amigo Mário.
      Foi exactamente assim que pensei quando fiz esta publicação.
      Uma despretensiosa chamada de atenção para o futuro das nossas crianças.
      A ilustração inspirou-me, uma criança olhando o vazio.
      A música é poderosa e a letra tem a ver com o que escrevi, achei que seria uma mais valia ouvi-la logo no início.

      Obrigada pela sua presença sempre amiga.

      Beijinho com estima e amizade.

      Eliminar
  5. Lindo demais, ouvir e te ler. Desde a imagem,uma maravilha! E realmente, cabe a cada um de nós fazer algo para o mundo dos nossos , o nosso e de outros mudar! ADOREI! bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso amiga Chica,
      não podemos adiar mais a nossa intervenção, para que este cenário não aconteça.

      Beijinho grato.

      Eliminar
  6. Faço minhas as palavras do autor do BRANCAS NUVENS NEGRAS.

    Estar nas minhas mãos o meu futuro, não tem nada a ver com o destino.
    Tomo sempre a responsabilidade das minhas decisões.

    Embora não acredite no destino e não queira mudar o mundo, as publicações da Fê Blue Bird são de uma estética excepcional, fora de qualquer banalidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teresa,
      A nota que acrescentei e as alterações que fiz, acho que mudaram a ideia inicial, pelo menos tentei (risos) mas obviamente cada pessoa interpreta livremente o que lê.

      Estou em total acordo consigo, também não delego em ninguém o meu futuro, mas penso que as nossas decisões podem alterá-lo.
      Mas em "poesia" tudo é possível não é verdade ?

      Agradeço as suas palavras de apreço, acredite que me incentivam.

      Eliminar
  7. Sem dúvida que está em nós mudarmos o nosso destino e tornar o Sol mais brilhante como brilhante foi este poema acompanhado com uma linda música

    Beijinhos amiga Fê.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Manu,
      será que ainda vamos a tempo de dar um cenário colorido à "ilustração"?
      Vamos lá então mudar o futuro!

      Beijinho grato.

      Eliminar
  8. Belíssimo poema , querida Fê. Sim, somos filhos do Sol, ainda pequenas centelhas , dotadas de livre arbítrio , consciência e Razão, a caminho da grande Luz.
    Beijinho carinhoso, amiga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querida Maria Lucia,
      pelas suas lindas palavras, encorajadores e apreciativas.

      Beijinho carinhoso também para si minha amiga.

      Eliminar
  9. Minha querida amiga Fernanda,
    Está perfeito, sempre será “nosso destino”, pois, mesmo àquelas pessoas que vivem em solidão, com certeza afetam a vida de outras pessoas. Mas, quando digo “AFETAR”, não representa algo ruim, até porque, os monges budistas vestidos com seus mantos açafrão, por exemplo, vivem uma vida contemplativa e introspectiva e nem por isso são tristes, porém, longínquos de tudo e de todos, deixam saudades nas pessoas que antes conviviam com eles. Ou seja, situados a grande distância, os monges afetam o viver, mesmo sem querer ou perceber.
    Sou do “Rio de Janeiro”, lugar que cada um de nós possui um Sol particular, que arde, ilumina e aquece “nosso destino”.
    Beijos e cuide-se bem!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu querido amigo Douglas,
      essa sua Luz chegou aqui ,agradeço-lhe por tudo o que tão bem expõe.

      Vamos AFETAR positivamente o "nosso destino".

      Beijinho grato e amigo.

      Eliminar
  10. Amanhã, vou ter um comício
    estava preparando minha intervenção
    desisto e pego no aqui lido
    e levo também a canção

    Já imagino o agitar das bandeiras

    Beijo agradecido

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quero ver o vídeo desse comício, promete?

      Outro beijinho.

      Eliminar
  11. Pois é, querida Fê, entrei com a alma dentro do teu belo poema, sim somos filhos do Sol e temos um mundo maravilhoso aos nossos pés, e o que fizemos para esse mundo? Destruímos, ainda, o que podemos pensando na nossa individualidade e bilhões de pessoas fazendo a mesma coisa, o que podemos pensar? Eu gostaria de ser mais otimista, mas está difícil. Também não me armo completamente do pessimismo, mas creio que os resultados de manifestos coletivos começam na individualidade de nossos atos; estão nas mutações dos nossos sentimentos e dos nossos atos. E grande parte da humanidade teria de se conscientizar, as vezes dá tempo, outras vezes não temos mais essa possibilidade. Passamos para nossos filhos o que tínhamos de melhor. E vejo que as andorinhas teriam de ser a maioria, pois poucas não resolverão.
    Um beijinho, querida, boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Táis,
      quando vi esta ilustração, senti um baque no coração imaginado o futuro das nossas crianças, assim, num abismo.
      Ainda há pouco tempo publiquei um tema sobre o otimismo de Sir David Attenborough, mas depois vemos e lemos notícias tão dramáticas e desanimadoras que o pessimismo volta de novo.
      Querida amiga, até as andorinhas estão desaparecendo, acho que o tempo está mesmo no limite.

      Obrigada e continuação de boa semana minha amiga.

      Eliminar
  12. Uma postagem perfeita para passear pelas palavras como viajar numa tela de Van Gogh.
    Somos todos estes herdeiros de um mundo empenado e modificado pela raça humana em desvario.
    E se não houver lugar nenhum, onde foram parar nossa força e nossos esforços?
    Esta é a herança querida Fê, onde todo seu sentimento de mundo foi poetizada na dor.
    Beijo e paz amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu bom amigo,
      bem queríamos ver a tela pintada com cores alegres e vivas, mas só vemos fumaça e um futuro ameaçador.
      Quando só alguns se esforçam enquanto outros destroem, o balanço será sempre negativo.

      Obrigada pela sua solidariedade e amizade.

      Beijinho com carinho.

      Eliminar
  13. Gostei muito mas digo sempre que futuro/destino está nas mãos das crianças e compete-nos a nós,pais e avós dar-lhes ferramentas numa boa educação.
    Quanto aos adultos, eu faço o que posso até onde chegam os meus braços.
    Já passei por crises tremendas e lutei sempre com optimismo/sorriso e esperança.

    PS: a "baixeza" de alguns políticos é tal que roçam o "nojo/meninos queques/criados com a papinha cheia. Fico por aqui porque vivendo uma pandemia foi vergonhoso criarem uma crise política.
    Beijocas e gostei muito de vir aqui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu observo, por exemplo reciclando o lixo doméstico, há quem se preocupe e o separe, mas depois há o dobro que faz ao contrário, coloca lixo em todo o lado, e muitos são jovens dos quais esperaríamos outra atitude.

      Não posso estar mais e acordo consigo, mete-me nojo ouvir tais "sabichões" que a única coisa que fizeram da vida foi ligarem-se a um partido.
      Temo que o povo tenha memória curta e que já se tenha esquecido dos governos de Passos, Portas e Cavaco para não mencionar outros.

      Também gosto de a ver aqui,

      Beijinhos.

      Eliminar
  14. Bom dia. A dor estampada neste sensível poema. Estamos aqui e agora vamos tentando com exemplos, acões e atitudes imprimir algo melhor. A raça humana tem trazido muitos malefícios, mas a criança é a esperança de uma futuro em que o balão seja um sonho a ser realizado. Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde Norma.
      Uma dor que se está agravando, mas que temos como bem escreveu, "tentando com exemplos, acões e atitudes imprimir algo melhor."
      Assim espero e desejo fortemente!

      Beijinho grato.

      Eliminar
  15. Somos todos filhos do sol e eu usei as minhas mãos - enquanto pude e ainda um pouco mais, se puder - não para mudar mas para transformar o mundo...

    Afinal nada existe sobre este planeta que não esteja em constante transformação e o estatismo é uma perfeita ilusão.

    O poema é lindíssimo, Blue Bird. Parabéns!

    Um grande abraço <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não duvido, querida Maria João.
      Aliás os seus poemas são o reflexo disso.

      O planeta transforma-se e regenera-se tenho a certeza, o ser humano é que não sei.

      Fico muito feliz por ter gostado minha amiga.

      Grande abraço também para si <3

      Eliminar
  16. Li em silêncio e, deslumbrado pela beleza poética, reli e, em silêncio me deixei ficar.
    .
    Saudações poéticas
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos

    ResponderEliminar
  17. Depositamos todas as nossas esperanças no Sol...mas continuamos a ignorar os sinais de que algo vai mal...
    Lindo o poema....
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É essa atitude Marta, que está a desmoronar o mundo.
      A ignorância!

      Obrigada, beijinhos e abraços.

      Eliminar
  18. Olá, amiga Fê.
    Passando por aqui, relendo este lindo poema que muito gostei. E desejar a continuação de ótima semana, com muita saúde.
    Beijinhos com carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada amigo Mário.
      De vez em quando fico em "modo pausa", este frio não me está ajudar nada.

      Feliz sexta-feira meu amigo.
      Beijinho com amizade.

      Eliminar
  19. Música maravilhosa, em crescendo, que quase nos tira o fôlego.
    E as palavras do seu poema vêm ao encontro do nosso mais puro
    desejo, ou seja, lutar contra todas as imposiç~es e tomar o
    destino nas nossas mãos.

    Mas será possível sermos senhores do nosso destino? Penso que em
    decisões particulares poderei dizer como José Régio:
    "...
    Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
    Ninguém me peça definições!
    Ninguém me diga: "vem por aqui"!
    A minha vida é um vendaval que se soltou.
    É uma onda que se alevantou.
    É um átomo a mais que se animou...
    Não sei por onde vou,
    Não sei para onde vou,
    --- Sei que não vou por aí.
    ..."

    Quanto ao mais, poderemos, cada um de nós, fazer
    a sua parte em tentar mudar o curso desastroso do mundo.
    Não só no que se refere às crianças, vítimas inocentes,
    como no que se refere àqueles que mais precisam. E
    no nosso espaço vital fazer com que o nosso planeta continue
    a ser habitável...
    E, nisso tudo, talvez o destino, algo pré-determinado, seja
    uma palavra vã.
    Adorei imenso esta reflexão, querida Fê.
    Saúde para si e para os seus.
    Beijinhos
    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Olinda,
      Foi a poderosa música e a ilustração que me inspiraram para este desabafo.

      As palavras podem ser armas, mas as atitudes têm que direcionadas para tomarmos o destino nas nossas mãos, como bem frisou.

      O Cântico Negro, comove-me e exalta-me sempre que o leio. Mesmo que José Régio não tivesse escrito mais nada, só com este poema já seria um grande poeta. Muito bem aplicado neste contexto.

      Este é um tema que nunca é demais refletirmos, pois todos os dias, todas as horas, vemos como o planeta sofre e a miséria associada se vai alastrando.

      Obrigada querida amiga pelo seu assertivo comentário.

      Beijinho e muita saúde também para si e para os seus.

      Eliminar
  20. Querida Fê
    E a nossa atitude que ajuda e que salva devemos procurar fazer, sempre, a nossa parte.
    Lindo o seu poema e o vídeo.
    Fiquei muito feliz com a sua gentil visitinha.
    Tenha uma noite abençoada e bom descanso.
    Um beijinho carinhoso
    Verena.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso querida Verena.
      Se todos fizerem o que lhes compete, tudo flui e se altera para melhor.
      Também fico feliz de a ver aqui.
      Continuação e feliz domingo minha miga.

      Beijinhos.

      Eliminar
  21. Olá, amiga Fê.
    Passando por aqui, relendo este lindo poema que muito gostei, e desejar um Feliz fim de semana com muita saúde.

    Beijinhos com carinho e amizade.

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom domingo e muita saúde também para o meu amigo.

      Beijinho com amizade e carinho.

      Eliminar
  22. Tão belo o poema.
    Não o achei pessimista, achei bem real.
    Somos filhos do Sol (tão belo isto)
    Bom fim-de-semana, com muita saúde e harmonia, amiga Fê.
    Beijinhos.
    ;)
    http://olharemtonsdemaresia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Piedade.

      Infelizmente também o acho bem real.

      Bom domingo minha amiga, muita luz e paz.

      Beijinhos.

      Eliminar
  23. Somos todos filhos do sol e se queremos deixar um mundo melhor para as gerações futuras, todos teremos de fazer a nossa parte. A atitude de cada um, contribui para o bem estar de todos.
    Lindo vídeo e belíssimo poema.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Corretíssima Maria.
      Assim devia ser a atitude de todos nós, mas bem sabemos que assim não é, infelizmente.

      Obrigada minha amiga.

      Beijinho e feliz semana!

      Eliminar
  24. Excelentes letras, esta en cada uno de nosotros hacer un cambio!!! Beso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hanna,
      tudo seria bem diferente se assim fosse.

      Beijinho grato.

      Eliminar
  25. Será que iremos a tempo?... A atitude de cada um faz a diferença... o que é certo... é que em termos de atitudes colectivas... reina a dispersão, e a falta de vontade, para se encetar grandes mudanças...
    Adorei o poema que nos remete para a acção... e para a consciencialização! Gostei imenso do tema musical, que não conhecia!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sinceramente duvido se iremos a tempo.
      Todos os dias assistimos a alterações e desastres tão profundos na natureza, que farão de certeza eco, nas gerações futuras.
      Também foi uma feliz descoberta este tema musical.

      Beijinhos

      Eliminar

Todos os comentários serão respondidos e as visitas retribuídas.
Prometo ser tão breve quanto a minha disponibilidade o permitir.
Obrigada, por me darem cinco minutos do vosso tempo.